"A gente se vê por aqui”: a realidade da TV numa perspectiva recepcional

2017-05-26

"É da percepção de que o par real/irreal não é válido para a televisão que se questiona a sobrevivência daquela mídia mais antiga e a impertinência contemporânea de um conceito de 'ficcionalidade' Por outro lado, o desenvolvimento do conceito de 'fictício' como um terceiro não entre 'real' e 'irreal', mas entre realidades e uma capacidade humana criadora, o imaginário, acentua o papel ativo do sujeito receptor na construção de mundos nos processos de mediação." (Bruno Souza Leal, 2005). Leia em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3335