Atentado em looping: uma palavra que aciona uma imagem

2016-12-16

O artigo da pesquisadora Ana Paula da Rosa (Unisinos) parte da palavra atentado para tratar das imagens simbólicas construídas pela midiatização. Com os acontecimentos na França envolvendo o jornal Charlie Hebdo e com a divulgação de vídeos pelo grupo Estado Islâmico, questiona-se qual o significado que a palavra atentado convoca. Adota-se a premissa de que o imaginário coletivo é acionado por fenômenos midiáticos toda vez que um atentado ocorre pelo mundo. Então, é possível dizer que há uma figura recorrente, partilhada socialmente, no que se refere à cristalização da imagem da palavra atentado? Assim, o artigo se organiza em três etapas: as noções conceituais, o contexto midiático de aparecimento/reaparecimento de imagens e a articulação dos atentados com a ideia de imagem totêmica pela circulação. A hipótese de base é de que a imagem do 11 de setembro é a figura aderente, convocada seja pelo jornalismo ou por atores sociais de modo a manter uma ligação com o imaginário coletivo. Leia o texto completo no link abaixo.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/20992/13493