O livro de mesa como dispositivo de reconhecimento sociocultural

2016-09-21

O artigo do pesquisador Francisco Barbosa da Silva (PUCSP) tem como objetivo analisar o livro de mesa (também chamado de coffee table book) como parte de uma rede de dispositivo de reconhecimento sociocultural. A hipótese considerada é a de que, por serem dotados, sobretudo, de apelos visuais, esses títulos, a princípio, são colocados em evidência no ambiente como um recurso meramente decorativo, mas, de fato, o que se pretende é valer-se de tais obras emblemáticas para promover uma série de representações,envolvendo aspectos estéticos, e assim revelar a persona de quem os exibe. O objeto, simbolizado no trabalho pelas obras da editora alemã Taschen, é interpretado a partir do conceito de dispositivo de Agamben. Para destacar as especificidades nos livros que despertam reconhecimento sociocultural, o autor recorre a estudos sobre o sistema de objetos, consumo, luxo e capital cultural. As obras são analisadas ainda como mercadorias com valores simbólicos e fetichistas. Leia o texto completo acessando o link abaixo.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/19290/13218