O valor do “egocard”: afetividade e violência simbólica na rede Fora do Eixo

2016-08-10

A rede Fora do Eixo, constituída por coletivos de produtores culturais e ativistas atuantes no cenário alternativo brasileiro, tornou-se amplamente conhecida a partir de 2013 com a atuação da Mídia Ninja – experiência formulada no âmbito da rede. De que modo o imaginário de irmandade, união e cumplicidade entre o grupo pode ocultar o emprego de violência simbólica para forjar a imagem de coesão e intensificar as dinâmicas de organização e mobilização? Para analisar as tensões e contradições nas práticas colaborativas entre os integrantes, a pesquisa no campo interdisciplinar entre a Comunicação e a História Cultural realizada por André Azevedo da Fonseca (UEL) emprega o método da análise documental sobre dados obtidos em entrevistas, observação participante, acompanhamento de listas de e-mail e redes sociais. Notamos que, em um ambiente de relações de trabalho informal baseadas em pactos de honra e dívidas de gratidão, a fabulação do imaginário de que eles constituem um movimento histórico e revolucionário, análogo ao modernismo e ao tropicalismo, representa a motivação central que legitima as violências simbólicas em nome da causa idealizada. Para ler o artigo completo, acesse o link abaixo. 

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/19461/13114