Escrita acadêmica e formação docente

Contribuições possíveis

Palavras-chave: Educação, Escrita acadêmica, Educação Superior, Formação docente

Resumo

Neste trabalho, apresenta-se um estudo que tem como objetivo investigar as repercussões da participação na disciplina Escrita Acadêmica, a partir da análise dos diários de aula escritos por alunas participantes do segundo semestre de 2017 logo após o transcorrer das aulas. Os dados coletados correspondem a um escopo de dez produções, que serão analisadas através da Análise Textual Discursiva, baseada nos pressupostos de Moraes e Galiazzi (2011) com a intenção de responder a seguinte questão de pesquisa: Quais as repercussões da participação na disciplina Escrita Acadêmica presentes nos diários de aula de professores em formação continuada? Com enfoque na escrita acadêmica e consequente impacto na formação docente, o referencial teórico que baliza essa investigação versa, fundamentalmente, sobre esses dois grandes temas. No que diz respeito à escrita acadêmica, o aporte teórico contempla alguns conceitos de escrita, apresenta características específicas da escrita acadêmica e discute aspectos que beneficiam e dificultam a qualificação das produções textuais no contexto universitário. No concernente à formação docente, destaca o papel a ser desempenhado pelos professores de diferentes áreas e níveis de ensino em relação ao compromisso com a escrita de seus alunos, além de apresentar algumas possibilidades referentes ao desenvolvimento de ações pedagógicas, intencionalmente voltadas à qualificação da escrita na Educação Superior. Os resultados obtidos nesse estudo apontam como repercussões da participação na já referida disciplina, o exercício reflexivo da escrita acerca de tópicos como: a valorização da subjetividade na produção do conhecimento; a atenção à diversidade linguística; a alteridade e a valorização do outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thelma Duarte Brandolt Borges, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutoranda em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Sabrina Malinoski, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Valderez Marina do Rosário Lima, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil, professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Andreia Mendes dos Santos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ALARCÃO, I. (org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto-Portugal: Porto, 1996.

ARIÈS, P. Por uma história da vida privada. In: CHARTIER, R. (org.). História da vida privada: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. v. 3, p. 7-19.

BARGALLÓ, C. M. Aprender Ciências através del lenguaje. Educar, [s. l.], p. 27-39, abr./jun. 2005. p. 27-39. Disponível em: http://gent.uab.cat/conxitamarquez/sites/gent.uab.cat.conxitamarquez/files/Aprender%20ciencias%20a%20traves%20del%20lenguaje_0.pdf. Acesso em: dez. 2015.

BARRETO, J. A. E.; MESQUITA, V. A escrita acadêmica: acertos e desacertos. Fortaleza: UFC, 1997.

BERNARDO, G. Educação pelo argumento. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 2006.

CARLINO, P. Alfabetización académica diez años después. Revista Mexicana de Investigación Educativa, México, v. 18, n. 57, p. 355-381, abr./jun., 2013.

CARLINO, P. Escribir, leer y aprender en la universidad: una introducción a la alfabetización académica. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2005.

CODO, W; GAZZOTTI, A. A. Trabalho e afetividade. In: CODO, W. (org.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Editora Vozes, 1999. p. 48-59.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 8 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

FARACO, C. A.; TEZZA, C. Prática de texto para estudantes universitários. Petrópolis: Vozes, 1992.

FIORIN, J. L. Pragmática. In: FIORIN, J. L. (org.). Introdução à Linguística II: princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2016.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOLLARI, R. A. Para quem investigamos e escrevemos? para além de populistas e elitistas. In: GARCIA, R. L. (org.) Para quem pesquisamos, para quem escrevemos: o impacto dos intelectuais. 3. ed. São Paulo: Cortes, 2011. p. 43-69. (Coleção Questões da Nossa Época; v. 31).

FREIRE, P. Carta de Paulo Freire aos professores. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, p. 259-268, 2001. https://doi.org/10.1590/S0103-40142001000200013

GONZÁLEZ, P. B. The progression and transformations of the Program of Academic Reading and Writing (PLEA) in Colombia’s Universidad Sergio Arboleda. In: THAISS, C.; BRÄUER, G.; CARLINO, P.; GANOBCSIK-WILLIAMS, L.; SINHA, A. (ed.). Writing programs worldwide: profiles of academic writing in many places. Anderson: Parlor Press, The WAC Clearinghouse, 2012. p. 157-167. Disponível em: http://wac.colostate.edu/books/wpww/chapter14.pdf. Acesso em: 26 ago. 2018. https://doi.org/10.37514/PER-B.2012.0346.2.14

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

LOURENÇO, A. B; ABIB, M. V. T dos S; MURILLO, F. J. Aprendendo a ensinar e a argumentar: saberes de argumentação docente na formação de futuros professores de Química. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 295-316, ago. 2016.

MACHADO, A. M. N.; BIANCHETTI, L. Leitura e escrita: junta de bois ou carreira de potros? Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 2, n. 7, p. 29-42, 2000.

MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. 5. ed. Ijuí: Unijuí, 2006.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 2011.

SANTOS, J. B.P. dos; CHAVES, P. M.; LARA, I. C. M. de. Movimentos da escrita: pesquisa, enunciação e autoria. In: LIMA, V. M do R.; HARRES, J. B. S.; PAULA, M. C. de. Caminhos da pesquisa qualitativa no campo da Educação em Ciências: pressupostos, abordagens e possibilidades. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2017. p. 135-151.

SILVA, M. G. L. da; BARGALLÓ, C. M.; PRAT, B. O. Análisis de las dificultades de futuros profesores de química al leer críticamente un artículo de prensa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 535-552, abr./jun., 2017. https://doi.org/10.1590/s1517-9702201704161715

STAKE, R. E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011.

VILLELA PEREIRA, M. A escrita acadêmica: do excessivo ao razoável. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 52, p. 213-228, jan./mar. 2013. https://doi.org/10.1590/S1413-24782013000100013

VITÓRIA, M. I. C.; CHRISTOFOLI, M. C. P. A Escrita no Ensino Superior. Educação, Santa Maria, v. 38, n. 1, p. 41-54, jan./abr., 2013. https://doi.org/10.5902/198464445865

VITÓRIA, M. I. C.; SILVA, L. F. da. Diários de Aula na formação de professores: vínculos relacionais. In: CONGRESSO INTERNACIONAL GALEGO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA, 10., 2009, Braga. Atas [...]. Braga: Universidade do Minho, 2009. p. 933-941.

YIN. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

ZABALZA, M. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Publicado
2020-11-03
Como Citar
Borges, T. D. B., Malinoski, S., Lima, V. M. do R., & dos Santos, A. M. (2020). Escrita acadêmica e formação docente: Contribuições possíveis. Educação Por Escrito, 11(2), e31766. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2020.2.31766
Seção
Artigos