Violência doméstica em “Sinhazinha” (1929) de Afrânio Peixoto

Palavras-chave: Afrânio Peixoto, Feminino, Regionalismo, Romance, Violência doméstica.

Resumo

O propósito deste artigo é apresentar o panorama da vida conjugal no Brasil durante o século XIX, a partir do contexto da violência doméstica descrita na literatura regionalista do escritor baiano Afrânio Peixoto. Para tanto, serão analisados no romance Sinhazinha (1929) duas das micronarrativas que circundam a trama principal do livro ­— as histórias de Pia e da “Cabocla do Catulé” — cujo tema preocupa-se em descrever as relações de amor e ódio que estão presentes nos envolvimentos fatais dos personagens. A perspectiva do estudo relaciona-se ao debate sobre o poder do patriarcado, da supremacia masculina e da submissão feminina segundo as reflexões de Gilberto Freyre (2004), Mary del Priore (2009, 2013, 2016) e Raquel Soihet (2017), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Rocha, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE.

 

 

Referências

A BÍBLIA DA MULHER: leitura, devocional, estudo. Edição de Sidney Alan Leite. Trad. de Neyd V. Siqueira, prepar. e adapt. de texto por Liege Maruci e Luciana Abud; revisão de Érica S. S. de Freitas e alii. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil; São Paulo: Mundo Cristão, 2003.

BRASIL. Lei Nº 13.104, de 9 de Março de 2015. 2018. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/L13104.htm >. Acesso em: 01 out. 2019.

BRITTO, Lemos. O Crime e os Criminosos na Literatura. Rio de Janeiro: José Olympio, 1946.

CAMPOS, Carmen Hein de. Feminicídio no Brasil: Uma análise crítico-feminista. Sistema Penal & Violência, Porto Alegre: v. 7, n. 1, p.103-115, 2015. Semestral. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/sistemapenaleviolencia/article/view/20275>. Acesso em: 01 out. 2019.

COIMBRA, José César. Até que a morte nos separe. In: PRIORE, Mary del; MÜLLER, Angélica. História dos Crimes e da Violência no Brasil. São Paulo: UNESP, 2017. Cap. 9. p. 255-284.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem Médica e Norma Familiar. São Paulo: Graal, 1979.

EXPILLY, Charles. Mulheres e costumes do Brasil. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Itatiaia, 2000.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos. 15. ed. São Paulo: Editora Global, 2004.

MENEGUEL, Stela Nazareth; PORTELLA, Ana Paula. Feminícidios: conceitos, tipos e cenários. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro: v. 22, n. 9, p. 3077-3086, set. 2017. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/handle/10183/169598>. Acesso em: 01 out. 2019.

PASINATO, Wânia. 'Femicídios' e as mortes de mulheres no Brasil. Cadernos Pagu. Campinas: v. 37, p.219-246, dez. 2011. Quadrimestral. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332011000200008>. Acesso em: 01 out. 2019.

PEIXOTO, Afrânio. Sinhazinha. 7. ed. São Paulo: Clube do Livro, 1976.

PERROT, Michele. Minha História das Mulheres.Trad. de Angela M. S. Côrrea. São Paulo: Contexto, 2007.

PRIORE, Mary del. Histórias da Gente Brasileira: Império. São Paulo: Leya, 2016, v. 2.

______. Histórias e Conversas de Mulher. São Paulo: Planeta, 2013.

______. Matar para não morrer: A morte de Euclides da Cunha e noite sem fim de Dilermando de Assis. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

SANTOS, Maria Aparecida C. M.; SALES, Vera Lúcia R. O corpo em transe: a moral sexual sobre o corpo feminino no Brasil no final do século XIX e início do XX. Revista Estação Literária, Londrina, v. 13, p. 120-132, jan. 2015.

SOIHET, Rachel. Mulheres pobres e violência no Brasil urbano. In: PRIORE, Mary del; PINSKY, Carla Bassanezi. História das Mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2017. p. 362-400.

VAINFAS, Ronaldo. Moralidades brasílicas: deleites sexuais e linguagem erótica na sociedade escravista. In: SOUZA, Laura de Mello e. (Org.). História da Vida Privada no Brasil. 6 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. v. 5, p. 221-274.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
Rocha, D., & Melo Fernandes, J. P. . (2020). Violência doméstica em “Sinhazinha” (1929) de Afrânio Peixoto. Navegações, 13(1), e37108. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2020.1.37108
Seção
Artigos