Fatores relacionados aos casamentos de longa duração: panorama a partir de uma revisão integrativa

Suzel Alves Goulart, Ana Carolina Graner Araújo Oliveira, Fabio Scorsolini-Comin, Manoel Antônio dos Santos

Resumo


Este estudo teve por objetivo apresentar uma revisão integrativa da literatura acerca dos casamentos de longa duração. A revisão foi operacionalizada mediante consulta às bases/bibliotecas LILACS, PePSIC, SciELO e PsycINFO, de janeiro de 2009 a junho de 2017, amparada na estratégia PICO. A pergunta norteadora foi: Como os casamentos de longa duração são abordados na literatura científica nacional e internacional? Foram recuperados 22 artigos empíricos, nove deles brasileiros. Os casamentos longevos promovem apreciação na qualidade de vida, conferida pelo elevado nível de satisfação conjugal, repercutindo na saúde física e emocional dos cônjuges. As relações sexuais e o amor são considerados dimensões essenciais para a manutenção do matrimônio e a sua ausência é motivo de conflito conjugal. Os antagonismos tendem a abrandar com o tempo, sendo importante criar estratégias saudáveis de enfrentamento. Além disso, em casais idosos percebe-se uma necessidade acentuada de apoio social, que pode ser proporcionado pelo parceiro ou pela família.


Palavras-chave


casamento, relações conjugais, revisão de literatura.

Texto completo:

PDF

Referências


Acevedo, B. P. & Aron, A. (2009). Does a long-term relationship kill romantic love? Review of General Psychology, 13(1), 59-65.

https://doi.org/10.1037/a0014226

Alves-Silva, J. D., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2017). Bodas para uma vida: Motivos para manter um casamento de longa duração. Temas em Psicologia (Ribeirão Preto), 25(2), 487-501.

https://doi.org/10.9788/tp2017.2-05

Alves-Silva, J. D., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2016). Conjugalidade e casamento de longa duração na literatura científica. Contextos Clínicos, 9(1), 32-50.

https://doi.org/10.4013/ctc.2016.91.03

Amorim, A. N. & Stengel, M. (2014). Relações customizadas e o ideário de amor na contemporaneidade. Estudos de Psicologia (Natal), 19(3), 157-238.

https://doi.org/10.1590/s1413-294x2014000300003

Areosa, S. V. C., Benitez, L. B., & Wichmann, F. M. A. (2012). Relações familiares e o convívio social entre idosos. Textos & Contextos, 11(1), 184-192. (DOI INEXISTENTE)

Arias, C. J. & Polizzi, L. (2013). The couple relationship: support functions and sexuality in old age. Journal Kairós Gerontologia, 16(1), 27-48.

Bachand, L. L. & Caron, S. L. (2001). Ties that bind: a qualitative study of happy long-term marriages. Contemporary Family Therapy, 23(1), 105-121.

https://doi.org/10.1023/A:1007828317271

Berg, C. A., Schindler, I., Smith, T. W., Skinner, M., & Beveridge, R. M. (2011). Perceptions of the cognitive compensation and interpersonal enjoyment functions of collaboration among middle-aged and older married couples. Psychology and Aging, 26(1), 167-173.

https://doi.org/10.1037/a0021124

Campos, S. O., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M, A. (2017). Transformações da conjugalidade em casamentos de longa duração. Psicologia Clínica, 29(1), 69-89.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v20i4.29536

Costa C. B., Cenci, C. M. B., & Mosmann, C. P. (2016). Conflito conjugal e estratégias de resolução: uma revisão sistemática da literatura. Temas em Psicologia, 24(1), 325-338.

https://doi.org/10.9788/tp2016.1-22

Costa, C. B. & Mosmann, C. P. (2015a). Relacionamentos conjugais na atualidade: percepções de indivíduos em casamentos de longa duração. Revista da SPAGESP, 16(2), 16-31.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v20i3.27817

Costa, C. B. & Mosmann, C. P. (2015b). Estratégias de resolução dos conflitos conjugais: percepções de um grupo focal. Psico (Porto Alegre), 46(4), 472-482.

https://doi.org/10.15448/1980-8623.2015.4.20606

Costa, C. B., Falcke, D., & Mosmann, C. P. (2015c). Conflitos conjugais em casamentos de longa duração: motivos e sentimentos. Psicologia em Estudo (Maringá), 20(3), 411-423.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v20i3.27817

Donoho, C.J., Seeman, T. E., Sloan, R. P., & Crimmins, E. M. (2015). Marital status, marital quality, and heart rate variability in the MIDUS cohort. Journal of Family Psychology, 29(2), 290-295.

https://doi.org/10.1037/fam0000068

Elliott, S. & Umberson, D. (2008). The performance of desire: gender and sexual negotiation in long-term marriages. Journal Marriage Family, 70(2), 391-406.

https://doi.org/10.1111/j.1741-3737.2008.00489.x

Féres-Carneiro, T. (2003). Separação: o doloroso processo de dissolução da conjugalidade. Estudos em Psicologia (Natal), 8(3), 367-374.

https://doi.org/10.1590/s1413-294x2003000300003

Féres-Carneiro, T. & Diniz-Neto, O. (2010). Construção e dissolução da conjugalidade: padrões relacionais. Paidéia (Ribeirão Preto), 20(46), 269-378.

https://doi.org/10.1590/s0103-863x2010000200014

Garcia, M. L. T. & Tassara, E. T. O. (2001). Estratégias de enfrentamento do cotidiano conjugal. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14(3), 635-642.

https://doi.org/10.1590/s0102-79722001000300019

Gerstorf, D., Anstey, K. J., Hoppmann, C. A., & Luszcz, M. A. (2009). Dynamic links of cognitive functioning among married couples: longitudinal evidence from the Australian longitudinal study of ageing. Psychology and Aging, 24(2), 296-309.

https://doi.org/10.1037/a0016649

Grizólio, T. C., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2016). A percepção da parentalidade de cônjuges engajados em casamentos de longa duração. Psicologia em Estudo (Maringá), 20(4), 663-674.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v20i4.29536

Haase, C. M., Holey, S., Block, L., Verstaen, A., & Levenson, R. W. (2016). Interpersonal emotional behaviors and physical health: a 20-year longitudinal study of long-term married couples. Emotion, 16(7), 965-977.

https://doi.org/10.1037/a0040239

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2013). Estatística do registro civil. Rio de Janeiro: Autor.

https://doi.org/10.17143/ciaed/xxiilciaed.2017.00322

Landis, M., Peter-Wight, M., Martin, M., & Bodenmann, G. (2013). Dyadic coping and marital satisfaction of older spouses in long-term marriage. GeroPsych, 26(1), 39-47.

https://doi.org/10.1024/1662-9647/a000077

Marques, F. & Sousa, L. (2012). Agregado familiar de casais idosos: estrutura, dinâmicas e valores. Revista Temática Kairós Gerontologia, 15(1), 177-198. (DOI INEXISTENTE)

Mazzoleni, M. H. B., Gorenstein, C., Fuentes, D., & Tavares, H. (2009). Esposas de jogadores patológicos: traços de personalidade, sintomas depressivos e ajustamento social. Revista Brasileira de Psiquiatria, 31(4), 332-337.

https://doi.org/10.1590/s1516-44462009005000009

Melo, C. F., Leite, C., Santos, F. O., Gontijo, J., & Souza, T. M. (2014). Vou pedir sua mão... mas o que eu faço com ela? Conjugalidade e psicanálise. Reverso, 36(68), 27-31. (DOI INEXISTENTE)

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, 17(4), 758-764.

https://doi.org/10.1590/s0104-07072008000400018

Mosmann, C. P. & Falcke, D. (2011). Conflitos conjugais: motivos e frequência. Revista da SPAGESP, 12(2), 5-16. (DOI INEXISTENTE)

Norgren, M. B., Souza, R. M., Kaslow, F., Hammerschmidt, H., & Sharlin, S. A. (2004). Satisfação conjugal em casamentos de longa duração: uma construção possível. Estudos de Psicologia (Natal), 9(3), 575-584.

https://doi.org/10.1590/s1413-294x2004000300020

O'Leary, K. D., Acevedo, B. P., Aron, A., Huddy, L., & Mashek, D. (2012). Is long-term love more than a rare phenomenon? If so, what are its correlates? Social Psychological and Personality Science, 3(2), 241-249.

https://doi.org/10.1177/1948550611417015

Perrig-Chiello, P., Hutchison, S., & Morselli, D. (2015). Patterns of psychological adaptation to divorce after a long-term marriage. Journal of Social and Personal Relationships, 32(3), 386-405.

https://doi.org/10.1177/0265407514533769

Petrican, R., Bielak, T., Schimmack, U., & Moscovitch, M. (2011). For my eyes only: gaze control, enmeshment and relationship quality. Journal of Personality and Social Psychology, 100(6), 1111-1123.

https://doi.org/10.1037/a0021714

Proulx, C. M. & Snyder-Rivas, L. A. (2013). The longitudinal associations between marital happiness, problems, and self-rated health. Journal of Family Psychology, 27(2), 194-202.

https://doi.org/10.1037/a0031877

Quissini, C. & Coelho, L. R. M. (2014). A influência das famílias de origem nas relações conjugais. Pensando Famílias, 18(2), 34-47. (DOI INEXISTENTE)

Ramos, M. P. (2002). Apoio social e saúde entre idosos. Sociologias, 4(7), 156-175.

https://doi.org/10.1590/s1517-45222002000100007

Rolim, K. I. & Wendling, M. I. (2013). A história de nós dois: reflexões acerca da formação e dissolução da conjugalidade. Psicologia Clínica, 25(2), 165-180.

https://doi.org/10.1590/s0103-56652013000200010

Rosowsky, E., King, K. D., Coolidge, F. L., Rhoades, C. S., & Segal, D. L. (2012). Marital satisfaction and personality traits in long-term marriages: an exploratory study. Clinical Gerontologist, 35(2), 77-87.

https://doi.org/10.1080/07317115.2011.639855

Sabey, A. K., Rauer, A. J., & Jensen, J. F. (2014). Compassionate love as a mechanism linking sacred qualities of marriage to older couples' marital satisfaction. Journal of Family Psychology, 28(5), 594-603.

https://doi.org/10.1037/a0036991

Sandberg, J. G., Miller, R. B., & Harper, J. M. (2009). The impact of marital conflict on health and health care utilization in older couples. Journal of Health Psychology, 14(1), 9-17.

https://doi.org/10.1177/1359105308097938

Santos, C. M. C., Pimenta, C. A. M., & Nobre, M. R. C. (2007). A estratégia para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 15(3), 508-511.

https://doi.org/10.1590/S0104-11692007000300023

Sardinha, A., Falcone, E. M. O., & Ferreira, M. C. (2009). As relações entre a satisfação conjugal e as habilidades sociais percebidas no cônjuge. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(3), 395-402.

https://doi.org/10.1590/s0102-37722009000300013

Silva, L. A., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2017). Casamentos de longa duração: recursos pessoais como estratégias de manutenção do laço conjugal. Psico-USF, 22(2), 323-335.

https://doi.org/10.1590/1413-82712017220211

Strey, M. N., Ploner, K. S., Michaels, L. R. F., & Oliveira, M. A. M. (1999). O significado de envelhecer para homens e mulheres. In A. F. Silveira, C. Gewehr, L. F. R. Bonin, & Y. L. M. Bulgacov (Orgs.), Cidadania e participação social (pp. 157-172). Porto Alegre: Abrapsosul.

https://doi.org/10.7476/9788599662885

Valdanha, E. D., Scorsolini-Comin, F., Peres, R. S., & Santos, M. A. (2013). Influência familiar na anorexia nervosa: em busca das melhores evidências científicas. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 62(3), 225-233.

https://doi.org/10.1590/s0047-20852013000300007

Vieira, E. D. & Stengel, M. (2010). O “nós” do individualismo e da conjugalidade na pós-modernidade. Aletheia, 32, 147-160. (DOI INEXISTENTE)

Zordan, E. P., Falcke, D., & Wagner, A. (2009). Casar ou não casar? Motivos e expectativas com relação ao casamento. Psicologia em Revista, 15(2), 56-76. https://doi.org/10.5752/p.1678-9563.2009v15n2p56




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2019.2.30370

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-8623

ISSN-L: 0103-5371

*********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS