Elementos para uma Intervenção em Aconselhamento Psicológico com Pais Enlutados

  • Ana Bárbara Morelli Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Fabio Scorsolini-Comin Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Manoel Antônio dos Santos Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Conjugalidade, Luto, Intervenções psicológicas, Aconselhamento psicológico.

Resumo

Este estudo teve por objetivo delinear os principais elementos que devem compor um programa de intervenção em aconselhamento psicológico com pais enlutados, a partir das necessidades de casais que perderam seus filhos. Trata-se de um estudo de caso coletivo desenvolvido com cinco casais, que foram entrevistados individualmente e, em seguida, em díades, totalizando 15 entrevistas. Os resultados permitiram a construção de três categorias, que constituem os elementos centrais a serem considerados na proposição de um programa de aconselhamento psicológico: (1) necessidade de acolhimento emergencial do sofrimento, (2) conjugalidade e (3) espiritualidade/religiosidade. Com base na experiência dos pais investigados, recomenda-se disponibilizar intervenções individuais, na estratégia de atendimento breve, ou de casal, com foco no acolhimento e potencialização de recursos adaptativos advindos da conjugalidade e da prática espiritual/religiosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Bárbara Morelli, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Bolsista de Iniciação Científica do CNPq. Pesquisadora do PROSA - Laboratório de Investigações sobre Práticas Dialógicas e Relacionamentos Interpessoais (CNPq). 
Fabio Scorsolini-Comin, Universidade Federal do Triângulo Mineiro
&sicólogo (Universidade de São Paulo), Especialista em Gestão Educacional (Faculdade de Educação São Luís), mestrando em Psicologia (Universidade de São Paulo) e graduando em Pedagogia (Universidade de São Paulo).
Manoel Antônio dos Santos, Universidade de São Paulo
Professor Associado da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FFCLRP-USP). Livre Docente pela Universidade de São Paulo. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Referências

Alves, D., Fernández-Navarro, P., Ribeiro, A. P., Ribeiro, E., & Gonçalves, M. M. (2014). Ambivalence and innovative moments in grief psychotherapy: The cases of Emily and Rose. Psychotherapy, 51(2), 308-321.

Bittencout, A. L. P., Quintana, A. M., & Velho, M. T. A. C. (2011). A perda do filho: Luto e doação de órgãos. Estudos de Psicologia (Campinas), 28(4), 435-442.

Bolze, S. D. A. & Castoldi, L. (2005). O acompanhamento familiar antes e depois da morte da criança: Uma proposta de intervenção para o psicólogo hospitalar. Aletheia, 21, 79-91.

Bonanno, G. A., Moskowitz, J. T., Papa, A., & Folkman, S. (2005). Resilience to loss in bereaved spouses, bereaved parents, and bereaved gay men. Journal of Personality and Social Psychology,

(5), 827-843.

Bowlby, J. (1985). Perda: Tristeza e depressão (Valtensir Dutra, Trad.). São Paulo: Martins Fontes.

Dennis, M. R. & Kunkel, A. (2012). Relationship after loss: Communication in the new grief paradigm. In O. Gillath, G. Adams, & A. Kunkel (Eds.). Relationship science: Integrating evolutionary, neuroscience, and sociocultural approaches (pp. 199-218).

Washington, DC, US: American Psychological Association.

Domingues, G. R., Alves, K. O., Carmo, P. H. S., Galvão, S. S., Teixeira, S. S., & Baldoino, E. F. (2013). A atuação do psicólogo no tratamento de pacientes terminais e seus familiares. Psicologia Hospitalar, 11(1), 2-24.

Féres-Carneiro, T. (1998). Casamento contemporâneo: O difícil convívio da individualidade com a conjugalidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 11(2), 379-394.

Ferreira, R. A., Lira, N. P. M., Siqueira, A. L. N., & Queiroz, E. (2013). Percepções de psicólogos da saúde em relação aos conhecimentos, às habilidades e às atitudes diante da morte. Psicologia: Teoria e Prática, 15(1), 65-75.

Forghieri, Y. C. (2007). Aconselhamento terapêutico: Origens, fundamentos e prática. São Paulo: Thomson Learning.

Freud, S. (1976). Sobre o narcisismo: Uma introdução. In S. Freud, Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud: Volume XIV (pp. 75-83) (J. Salomão, Trad.). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1914).

Gonçalves, M. O. (2001). Morte e castração: Um estudo psicanalítico sobre a doença terminal infantil. Psicologia: Ciência e Profissão, 21(1), 30-41.

Kovács, M. J. (1992). Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Kovács, M. J. (2005). Educação para a morte. Psicologia: Ciência e Profissão, 25(3), 484-497.

Kovács, M. J. (2012). Educadores e a morte. Psicologia Escolar e Educacional, 16(1), 71-81.

Larson, D. G. & Hoyt, W. T. (2007). What has become of grief counseling? An evaluation of the empirical foundations of the new pessimism. Professional Psychology: Research and Practice, 38(4), 347-355.

Magagnin, C., Kõrbes, J. M., Hernandez, J. A. E., Cafruni, S., Rodrigues, M. T., & Zarpelon, M. (2003). Da conjugalidade à parentalidade: Gravidez, ajustamento e satisfação conjugal. Aletheia, 17/18, 41-52.

Magalhães, A. S. & Féres-Carneiro, T. (2004). Transmissão psíquico-geracional na contemporaneidade. Psicologia em Revista, 10(16), 243-255.

Meihy, J. C. S. B. & Holanda, F. (2010). História oral: Como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto.

Menezes, C. C. & Lopes, R. C. S. (2007). A transição para o casamento em casais coabitantes e em casais não-coabitantes. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 17(1), 52-63.

Minayo, M. C. S. (2006). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. (9ª ed.). São Paulo: Hucitec.

Monti, M. R. (2008). Contrato narcisista e clínica do vazio. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 11(2), 239-253.

Morato, H. T. P. (Org.) (1999). Aconselhamento psicológico centrado na pessoa: Novos desafios. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Morelli, A. B., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2013). Impacto da morte do filho sobre a conjugalidade dos pais. Ciência & Saúde Coletiva, 18(9), 2711-2720.

Muza, J. C., Sousa, E. N., Arrais, A. R., & Iaconelli, V. (2013). Quando a morte visita a maternidade: Atenção psicológica durante a perda perinatal. Psicologia: Teoria e Prática, 15(3), 34-48.

Pascoal, M. (2012). Trabalho em grupo com enlutados. Psicologia em Estudo, 17(4), 725-729.

Peres, R. S. & Santos, M. A. (2005). Considerações gerais e orientações práticas acerca do emprego de estudos de caso na pesquisa científica em Psicologia. Interações, 20(10), 109-126.

Sandler, I. N., Ayers, T. S., Wolchik, S. A., Tein, J., Kwok, O., Haine, R. A. et al. (2003). The family bereavement program: Efficacy evaluation of a theory-based prevention program for parentally bereaved children and adolescents. Journal of Consulting and Clinical Psychology, 71(3), 587-600.

Santos, O. B. (1982). Aconselhamento psicológico & psicoterapia: auto-afirmação – um determinante básico. São Paulo: Pioneira.

Santos, E. M., & Sales, C. A. (2011). Familiares enlutados: Compreensão fenomenológica existencial de suas vivências. Texto & Contexto Enfermagem, 20(n. esp.), 214-222.

Schmidt, M. L. S. (2012). O nome, a taxonomia e o campo do aconselhamento psicológico. In H. T. P. Morato, C. L. B. T. Barreto, & A. P. Nunes (Orgs.), Aconselhamento psicológico numa perspectiva fenomenológica existencial (pp. 1-21). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Scorsolini-Comin, F. (2014). Aconselhamento psicológico e psicoterapia: Aproximações e distanciamentos. Contextos Clínicos, 7(1), 2-14.

Scorsolini-Comin, F. & Santos, M. A. (2011). Casamento e satisfação conjugal: Um olhar da Psicologia Positiva. São Paulo: Annablume/FAPESP; Brasília: CNPq.

Scorsolini-Comin, F. & Santos, M. A. (2013). Counseling Psychology: A view of the scientific production in the Brazilian postgraduation. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 23(3), 338-345.

Silva, A. C. O. & Nardi, A. E. (2010). Luto pela morte de um filho: Utilização de um protocolo de terapia cognitivo-comportamental. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 32(3), 113-116.

Souza, A. M., Moura, D. S. C., & Corrêa, V. A. C. (2009). Implicações do pronto-atendimento psicológico de emergência aos que vivenciam perdas significativas. Psicologia: Ciência e Profissão, 29(3), 534-545.

Wagner, A. & Mosmann, C. P. (2010). Educar para a conjugalidade: Que a vida não nos separe. In L. C. Osório & M. E. P. Valle (Orgs.). Manual de terapia familiar (Vol. 2; pp. 261-270). Porto Alegre: Artmed.

Wagner, A. & Mosmann, C. P. (2012). Intervenção na conjugalidade: Estratégias de resolução de conflitos conjugais. In M. N. Baptista, & M. L. M. Teodoro (Orgs.). Psicologia de família: Teoria, avaliação e intervenção (pp. 240-248). Porto Alegre: Artmed.

Publicado
2014-12-23
Como Citar
Morelli, A. B., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. dos. (2014). Elementos para uma Intervenção em Aconselhamento Psicológico com Pais Enlutados. Psico, 45(4), 434-444. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2014.4.14640
Seção
Artigos