Dos discursos freudianos sobre a educação: considerações acerca da inibição intelectual

  • Maira Sampaio Alencar Lima Universidade de Fortaleza
  • Maria Celina Peixoto Lima Universidade de Fortaleza
Palavras-chave: educação, psicanálise, desejo de saber, inibição intelectual.

Resumo

Freud apresentou diferentes posições sobre a educação, ora criticando-a como desencadeadora da neurose, ora aproximando-a da psicanálise enquanto profissão impossível. Este artigo, além de apontar esses diferentes momentos do pensamento freudiano, tem como objetivo discutir os conceitos de inibição e de desejo de saber. Ao relacionar o saber ao Complexo de Édipo e tratar a inibição como uma saídas da angústia, Freud possibilita deslocar a concepção da deficiência intelectual para o campo psíquico, evitando o reducionismo das explicações organicistas. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter qualitativo. Ao incluir a psicanálise nas discussões sobre a deficiência intelectual poderia haver a abertura para pensar criticamente os conceitos clássicos de normalidade e patologia, já que essa teoria enfatiza a singularidade do sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maira Sampaio Alencar Lima, Universidade de Fortaleza
Psicóloga, Mestre em Psicologia
Maria Celina Peixoto Lima, Universidade de Fortaleza
Doutora em Psicologia pela Universidade Paris 13(França), Professora do PPG de Psicologia da Universidade de Fortaleza,Membro-coordenador do Laboratório de Estudos e Intervenções Psicanalíticas naClínica e no Social.
Publicado
2011-01-12
Como Citar
Lima, M. S. A., & Lima, M. C. P. (2011). Dos discursos freudianos sobre a educação: considerações acerca da inibição intelectual. Psico, 42(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/6641
Seção
Artigos