A noção de espaço na apropriação de tecnologias de comunicação no rural contemporâneo

  • Ana Carolina Escosteguy Professora Visitante do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria). Pesquisadora do CNPq.
  • Aline Bianchini Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUCRS. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUCRS.
  • João Vicente Ribas Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUCRS. Mestre em História pela Universidade de Passo Fundo. http://orcid.org/0000-0001-5233-4182
Palavras-chave: Estudos culturais, tecnologias de comunicação, espaço rural

Resumo

Na pesquisa Tecnologias de comunicação nas práticas cotidianas: o caso de famílias relacionadas à cadeia agroindustrial do tabaco, desenvolvida no município de Vale do Sol (RS), uma das estratégias de coleta de informações em campo foi focar na predileção dos entrevistados sobre um meio de comunicação. As perguntas “qual o seu meio de comunicação preferido?” e “onde você costuma usá-lo?” geraram a problematização da dinâmica do espaço, tomado aqui como categoria de análise. A partir das tensões e complexidades espaciais, a exemplo das relações entre rural e urbano, ou casa e rua, a proposta é compreender os usos e apropriações de tecnologias de comunicação. Para tanto, consideramos o aspecto físico dos locais de moradia e trabalho das famílias, e o abstrato, a exemplo da implicação simbólica de outra dualidade: modernidade e tradição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Escosteguy, Professora Visitante do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria). Pesquisadora do CNPq.
Professora visitante da Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

CARNEIRO, Maria José. Do rural como categoria de pensamento e como categoria analítica. In: CARNEIRO, Maria José. Ruralidades Contemporâneas: modos de viver e pensar o rural na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Mauad X/Faperj, 2012.

DAMATTA, Roberto. A casa & a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991.

HAESBAERT, Rogério; LIMONAD, Ester. O território em tempos de globalização. Etc, espaço, tempo e crítica: Revista Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas e outras coisas, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2 (4), p. 39-52, 15 ago. 2007. Disponível em: http://www.uff.br/etc/UPLOADs/etc%202007_2_4.pdf. Acesso em: 27 set. 2016.

HARVEY, David. Space as a keyword. In: CASTREE, Noel; GREGORY, Derek (org.). David Harvey: a critical reader. Cambridge: Blackwell Publishing, 2006.

MARTINS, José de Souza. Sociologia da fotografia e da imagem. São Paulo: Contexto, 2009.

MORLEY, David. Home territories: media, mobility and identity. Londres/Nova Iorque: Routledge, 2000.

ORTIZ, Renato. Universalismo e diversidade: contradições da modernidade-mundo. São Paulo: Boitempo, 2015.

SILVA, Mozart Linhares da. Educação e etnicidade na região de Santa Cruz do Sul - RS. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, SP: UFSCar, v. 6, n. 2, p. 340-354, nov. 2012. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br. Acesso em: 27 set. 2016.

SILVERSTONE, Roger; HIRSCH, Eric; MORLEY, David. Tecnologías de la información y de la comunicación y la economía moral de la família. In: SILVERSTONE, Roger; HIRSCH, Eric (org.). Los efectos de la nueva comunicación: El consumo de la moderna tecnología en el hogar y em la família. Barcelona: Bosch, 1996. p. 39-

WINOCUR, Rosalía. Robinson Crusoe ya tiene celular: la conexión como espacio de control de la incertidumbre. México: Siglo XXI, 2009.

Publicado
2018-04-07
Como Citar
Escosteguy, A. C., Bianchini, A., & Ribas, J. V. (2018). A noção de espaço na apropriação de tecnologias de comunicação no rural contemporâneo. Revista FAMECOS, 25(2), ID28325. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2018.2.28325
Seção
Mídia e Cultura