Formação Continuada de Professores de Educação Infantil: o que revela o Banco de Teses da CAPES nos anos 2011-2012?

  • Dinorá Meinicke Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Leda Lísia Franciosi Portal Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Banco de Teses CAPES. Estado do Conhecimento. Educação Infantil. Formação Continuada. Inteireza do SER.

Resumo

O presente artigo desvela a produção cientifica sobre Formação Continuada de Professores de Educação Infantil, desenvolvida em Programas de Pós-graduação em Educação no Brasil, disponíveis no Banco de Teses da CAPES, referente aos anos 2011 e 2012, ora disponível. Essa construção do estado de conhecimento apresenta o contexto em que estão inseridas as 04 (quatro) pesquisas/teses, objeto deste estudo, assim como discussões e concepções de Formação Continuada e Educação Infantil que sustentam tais estudos. Aponta os avanços das Políticas Nacionais de Educação relacionada ao tema e sinaliza aproximações nas discussões das pesquisas, assim como revela o insuficiente incremento das investigações cientificas na Formação Continuada dirigida a Professores de Educação Infantil com vistas à Inteireza do SER.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dinorá Meinicke, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Doutoranda em Educação – PUCRS; Mestre em Engenharia de Produção – UFSC; Especialista em Naturologia Aplicada – UNISUL/SC e Pedagoga - FURB/FEDAVI.
Leda Lísia Franciosi Portal, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Educação e Professora da Faculdade de Educação/PUCRS – Coordenadora do Grupo de Pesquisa Educação para a Inteireza: um (re)descobrir-se.

Referências

AKKARI, Abdeljalil. Internacionalização das Políticas Educacionais: Transformações e desafios. Petrópolis: Vozes, 2011.

ALARCÃO, Isabel. Compreendendo e construindo a profissão do Professor: da história da profissão Professor ao histórico profissional de cada Professor. Universidade de Aveiro: CIFOP, 2001.

AZEVEDO, Priscila Domingues de. O Conhecimento Matemático na Educação Infantil: O Movimento de um Grupo de Professoras em Processo de Formação Continuada. 01/12/2012 241 F. Doutorado em Educação Instituição de Ensino: Universidade Federal de São Carlos Biblioteca Depositária: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - Bco/UFSCAR. Disponível em: http://www.capes.gov.br/ Acesso em: 27/03/2014.

BALBE, Marta Maria Gonçalves. A Contribuição da Formação Continuada para os Professores Da educação Infantil da Instituição Adventista do Paraná: Regional Norte ' 01/05/2011 137 f. Doutorado em Educação (Currículo) Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Biblioteca Depositária: Biblioteca da PUC/SP. Disponível em: http://www.capes.gov.br/ Acesso em: 27/03/2014.

BREJO, Janayna Alves Políticas nacionais de formação de Professores. Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP/SP, 2012. http://www.capes.gov.br/ Acesso em: 27/03/2014

BRASIL. Lei n. 9394/1996, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm - Acesso em: 04/05/2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial, 1988.

BRZEZINSKI, Iria. LDB/1996: uma década de perspectivas e perplexidades na formação do profissional da educação. In: BRZEZINSKI, Iria (Org.). LDB dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares. 2. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2008. p. 167-194.

BRZEZINSKI, Iria. Política de formação de Professores: a formação do Professor dos anos iniciais do Ensino Fundamental, desdobramentos em dez anos da Lei n. 9394/1996. In: BRZEZINSKI, Iria (Org.). LDB dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares. 2. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2008. p. 195-219.

CATANANTE, Bene. A gestão do ser integral: como integrar alma, coração e razão no trabalho e na vida. São Paulo: Infinito, 2000.

CUNHA, Maria Isabel da. Formação Continuada. IN: MOROSINI, Marília Costa. Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Glossário. Vol. 2. Brasília-DF, Brasil: INEP/MEC, 2006, p. 354.

CURY, Carlos Roberto Jamil. A Educação Básica como Direito. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 134, p. 293-303, maio/ago. 2008.

GARCIA, C. M. Formação de Professores para uma mudança educativa. Trad. Narciso, I. Portugal: Porto Editora, 1999.

GATTI, Bernardete A; Marina Muniz R. Nunes (Orgs.). Formação de Professores para o ensino fundamental: Instituições Formadoras e seus currículos. Relatório final: Pedagogia. São Paulo: Fundação Carlos Chagas/DPE, 2008.

GATTI, Bernardete A. Formação de Professores: Condições e problemas atuais. Revista Brasileira de Formação de Professores. v. 1, n. 1, p.90-102, maio. 2009. Disponível em: http://www.facec.edu.br/seer/index.php/formacaodeProfessores/issue/view/4 - Acesso em: 07 dez.2011.

GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. de A. (orgs). Cartografias do Trabalho Docente Professor(a) – Pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998.

GRACINDO, Regina Vinhaes. Sistemas municipais de ensino: limites e possibilidades. In: BRZEZINSKI, Iria (Org.). LDB dez anos depois: reinterpretação sob diversos olhares. 2. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2008. p. 220-245.

GOMES, Marineide de Oliveira. Formação de Professores na Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2009.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo, Cortez, 2004.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 77 v. (Coleção Questões da Nossa Época, v.77).

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2007.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 3. ed. Goiânia: Alternativa, 2001.259 p.

MARCELO GARCIA, Carlos. Formação de Professores. Para uma mudança educativa. Portugal: Porto, 1999.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual Discursiva. Ijuí: UNIJUI, 2007.

NÓVOA, Antônio. Professores Imagens do Futuro Presente. Lisboa: Educa, 2009.

_________. Formação de Professores e profissão docente. In: NÓVOA, António (org.). Os Professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p.13-33.

OLIVEIRA, Anatalia Dejane Silva de. Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Educação Infantil na Bahia: Políticas e Práticas da Universidade Pública. 01/07/2012 319 F. Doutorado em Educação Instituição de Ensino: Universidade Federal de Goiás Biblioteca Depositária: BC-UFG. Disponível em: http://www.capes.gov.br/ Acesso em: 27/03/2014

PIMENTA, Selma Garrido, e GHEDIN, Evandro. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

PORTAL, Leda Lísia F. Educação para Inteireza. IN: MOROSINI, Marília Costa. Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Glossário. Vol. 2. Brasília-DF, Brasil: INEP/MEC, 2006, p.77.

SCHÖN, Donald. Formar Professores como profissionais reflexivos. In: Nóvoa, Antonio. Os Professores e sua formação. Lisboa: D. Quixote, 1992.

UNIVERSITAS: a produção científica sobre educação superior no Brasil, 1968 – 2000. Porto Alegre: GT Política de Educação Superior/ ANPED, 2002. http: //biblioteca.ead.pucrs.br/universitas.

ZEICHNER, K.M. Tendências da Pesquisa sobre formação de Professores nos Estados Unidos. In: Revista Brasileira de Educação. n. 9, ANPED, set./dez. p. 76-87

Publicado
2014-09-23
Como Citar
Meinicke, D., & Portal, L. L. F. (2014). Formação Continuada de Professores de Educação Infantil: o que revela o Banco de Teses da CAPES nos anos 2011-2012?. Educação Por Escrito, 5(2), 256-273. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2014.2.18664