Dois rapazes teimosos: a formação nas figuras do espírito

  • Amarildo Luiz Trevisan Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: formação, figuras do espírito, reconhecimento

Resumo

Com a queda dos fundamentos metafísicos da razão, surge a necessidade de revisar a formação na alegoria da caverna platônica. Para isso, buscamos apoio nas categorias hegelianas da fenomenologia do espírito – estoicismo, ceticismo e consciência infeliz –, não obstante a distância histórica que separa as duas experiências formativas. Para Hegel, a formação do espírito não pode ocorrer igual à metáfora dos rapazes teimosos (ceticismo ou estoicismo), pois isso leva justamente ao desenvolvimento da consciência infeliz. A saída pode estar na articulação desses elementos na ideia do reconhecimento. Porém, levando em conta a situação em que se encontram os aprisionados no fundo da caverna, cremos que ainda não existe aí tal espírito da formação, embora não se possa dizer o mesmo sobre a presença da Filosofia. Resta saber se essa oposição contribui também para desencadear as experiências de fracasso da formação atualmente e, ainda, de que maneira é possível articular esses dispositivos para que o reconhecimento não seja negado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amarildo Luiz Trevisan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Dadja Mara Amilibia Hermann Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1C Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (1973), mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1982) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995), com doutorado sanduíche na Universidade de Heidelberg. Foi professora titular de Filosofia da Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul de 1997 a 2005. Coordenou o Comitê de Educação e Psicologia da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul no período de 2002 a 2006. Realizou estágios de pesquisa na Universidade de Heidelberg/Erziehungswissensschatliches Seminar nos anos de 1998, 1999 e 2005. Atualmente é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia da educacao, racionalidade, hermenâutica, Habermas, Gadamer, ética, ética e estética. (Texto informado pelo autor)
Como Citar
Trevisan, A. L. (2011). Dois rapazes teimosos: a formação nas figuras do espírito. Educação, 34(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8669
Seção
Dossiê - Formação e Pluralidade Interpretativa