A relação entre amor e educação na Suma teológica de Tomás de Aquino

  • Rafael Henrique Santin Centro Universitário Cesumar
  • Terezinha Oliveira Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Educação, Amor, Tomás de Aquino

Resumo

Neste artigo, aborda-se a relação entre amor e educação na Suma teológica de Tomás de Aquino, a fim de destacar a importância do amor como princípio para a formação humana. O teólogo dominicano analisa as características do amor na primeira seção da segunda parte da Suma e evidencia sua importância para o homem e para a sociedade. Sendo uma das paixões da alma que nos torna capazes de agir, o amor está, na perspectiva tomasiana, intimamente relacionado ao conhecimento e ao pensamento reflexivo, pois a razão é o elemento pelo qual se pode estabelecer o bem comum como princípio essencial das ações. Para a fundamentação teórica e metodológica, buscou-se elucidar os pressupostos da História Social para que se pudesse analisar o objetivo numa perspectiva de totalidade, já que o amor, ainda que um sentimento singular, está potencialmente em todas as pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Henrique Santin, Centro Universitário Cesumar
Graduado em Pedagogia e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá. Doutorando em Educação do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá. Professor-mediador do curso de Pedagogia à distância da Unicesumar de Maringá.
Terezinha Oliveira, Universidade Estadual de Maringá
Possui graduação em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1986), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (1991) e doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997). Realizou, em 2004, estágio de Pós-Doutorado em  História e Filosofia da Educação, na Faculdade de Educação da USP.  Atualmente é professora associada nível C da Universidade Estadual de Maringá. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, especialmente em Filosofia e História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: transformação social, história da educação na Idade Média, escolástica, filosofia da educação na  Idade Média, Intelectuais e Instituições Educacionais na Idade Média e formação de professores.

Referências

ARISTÓTELES. Política. Trad. Nestor Silveira Chaves. 15. ed. São Paulo: Editora Escala, [s./d.].

BLOCH, Marc Leopold Benjamin. Apologia da história, ou, O ofício de historiador. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

DE BONI, Luis Alberto. De Abelardo a Lutero: estudos sobre filosofia prática na Idade Média. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

FARIA, Ernesto (Org.). Dicionário escolar latino-português. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 1962.

GILSON, Étienne. A filosofia na Idade Média. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

KHAN, Salman. Um mundo, uma escola. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

LACOSTE, Jean-Yves. Beatitude. In: ______. (Dir.). Dicionário crítico de teologia. Trad. Paulo Meneses et al. São Paulo: Paulinas: Edições Loyola, 2004. p. 263-269.

LE GOFF, Jacques. Mercadores e banqueiros na Idade Média. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

LE GOFF, Jacques. As ordens mendicantes. In: ______. Uma longa Idade Média. Trad. Marcos de Castro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

NICOLAS, Marie-Joseph. introdução à Suma Teológica. In: TOMÁS DE AQUINO. Suma teológica. Trad. Pe. Gabriel C. Galache, SJ e Pe. Fidel García Rodríguez, SJ (Dir.). São Paulo: Edições Loyola, 2003. p. 21-68. v. I.

NUNES, Ruy Afonso da Costa. Capítulo IX A escolástica. In: ______. História da educação na Idade Média. São Paulo: Edusp, 1979. p. 243-286.

OLIVEIRA, Terezinha. Escolástica. São Paulo: Mandruvá, 2005.

OLIVEIRA, Terezinha. O ambiente citadino e universitário do século XIII: um lócus de conflitos e novos saberes. In: ______. (Org.). Antiguidade e medievo: olhares histórico-filosóficos da educação. Maringá: Eduem, 2008.

OLIVEIRA, Terezinha. A obediência como virtude social em Tomás de Aquino. Notandum (USP), v. 27, p. 81-103, 2011.

TOMÁS DE AQUINO. Do reino ou do governo dos príncipes, ao rei de Chipre. In: ______. Escritos políticos. Trad. Francisco Benjamin de Souza Neto. Petrópolis: Vozes, 1997.

TOMÁS DE AQUINO. Suma teológica. Trad. Pe. Gabriel C. Galache, SJ e Pe. Fidel García Rodríguez, SJ (Dir.). São Paulo: Edições Loyola, 2003. (v. III).

TOMÁS DE AQUINO. Sobre o ensino (De Magistro), os sete pecados capitais. Trad. Jean Luiz Lauand. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

VERGER, Jacques. As universidades na Idade Média. Trad. Fúlvia M. L. Moretto. São Paulo: Unesp, 1990.

VERGER, Jacques. Universidade. In: LE GOFF, J.; SCHMITT, J.-C (Orgs.). Dicionário temático do Ocidente Medieval. Trad. Lênia Márcia Mongelli. Bauru: Edusc, 2006. p. 573-588.

Publicado
2016-09-05
Como Citar
Santin, R. H., & Oliveira, T. (2016). A relação entre amor e educação na Suma teológica de Tomás de Aquino. Educação, 39(2), 157-165. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.2.16657
Seção
Artigos