A estética do cine-olho nas imagens em protestos

  • Alexandre Rocha da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • Bruno Bueno Pinto Leites Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Imagem, Vertov, Protestos

Resumo

Este trabalho introduz uma proposta para análise de imagens feitas em fluxos de protestos. Para tanto, (1) retoma o conceito de estética proposto por Jacques Rancière; (2) revisita as teses de Dziga Vertov sobre o cine-olho, para seguir um antigo sonho das imagens – confundir-se com a matéria dos acontecimentos; (3) analisa imagens produzidas nos protestos de 2013 no Brasil, destacando, entre outros elementos, as deformações. Deste modo, é possível indicar uma rede de agenciamentos estético-políticos que essas imagens vêm fomentar, rede esta que implica um apagamento da distinção entre acontecimento e imagem e que ecoa os modos contemporâneos de organização coletiva que se pretendem a-centrados. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Rocha da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003) e pós-doutor pela Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (2005-6). Atualmente é professor e vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 
Bruno Bueno Pinto Leites, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Universidade Federal de Pelotas

Doutorando em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), é professor substituto nos cursos de Cinema da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Referências

A PARTIR de agora. Realização: PRONZATO, Carlos. 2014.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica. Magia e técnica, arte e política – ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BENTES, Ivana. Mídia-multidão: estéticas da comunicação e biopolíticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016.

BREAKING the spell. Realizado por: LEWIS, Tim; REAM, Tim; ROCK, Sir Chuck A. 1999.

COM VANDALISMO. Realização: Coletivo Nigéria, 2013.

DELEUZE, Gilles. A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1985.

FACÇÃO – Encontro Latino-Americano de Midiativismo. Realizado por: Facção, 2013. Disponível em: http://www.faccao.org/

Acesso: 25 nov. 2013.

GABEIRA, Fernando. Mídia Ninja e o futuro desfocado. Estadão, São Paulo, 16 ago. 2013. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,midia-ninja-e-o-futuro-desfocado,1064592,0.htm

Acesso em: 15 dez. 2013.

LAPA 5ª DP 27/08/2013 Black Bloc Rio de Janeiro. Sem autoria. Publicado por: Prezz Libre, em 27 ago. 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eBam-Hx1Zuk

Acesso em: 15 mar. 2016.

LEANDRO, Anita. Sem imagens: memória histórica e estética de urgência no cinema sem autor. Estudos da língua(gem), Vitória da Conquista, v. 12, n. 1, p. 121-134, jun. 2014. Disponível em: http://www.estudosdalinguagem.org/index.php/estudosdalinguagem/article/view/415/374

Acesso em: 15 fev. 2016.

O HOMEM com a câmera. Realização: VERTOV, Dziga, 1929.

O maior protesto contra a passagem em Porto Alegre! Realização: Coletivo Catarse. Publicado por: Coletivo Catarse, em 28 mar. 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=PoLuEXcurB

Acesso: 15 mar. 2016.

PRISÃO do Carioca – Mídia Ninja. Sem autoria. Publicado por: Felipe Buarque, em 22 jul. 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=SlINOilQ68o

Acesso em: 15 mar. 2016.

PRISÃO do Repórter da Mídia Ninja. Sem autoria. Publicado por: PosTV, em 31 jul. 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=aDO6tr6kgAk

Acesso em: 15 mar. 2016.

RAMOS, Fernão. Mas afinal... O que é mesmo documentário? São Paulo: SENAC São Paulo, 2013.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível – arte e política. São Paulo: EXO Experimental (org.): Ed. 34, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. As distâncias do cinema. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

REPÓRTER da TV Folha e manifestante são agredidos pela polícia. Realização: TV Folha, 2011. Disponível em: http://www.youtube.com/ watch?v=fCfxshW2OME

Acesso em: 15 mai. 2013.

RJ - CENAS exclusivas da corajosa resistência das massas à violência da PM em ato no Leblon. Realização: ANG produções e Jornal A Nova Democracia. Publicado por: Jornal A Nova Democracia, em 18 de jul. 2013. Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=eWew1wIiLuI

Acesso em: 15 mar. 2016.

FRAMES a second: the WTO in Seatle. Realização: THOMPSON, Rustin, 2000.

THIS IS what democracy looks like. Realizado por: FRIEDBERG, Jill; ROWLEY, Rick, 2000.

VERTOV, Dziga. Resolução do conselho de três (10/4/23). In: XAVIER, Ismail (Org.). A experiência do cinema – antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal/Embrafilme, 1983a.

VERTOV, Dziga. NÓS – Variação do manifesto. In: XAVIER, Ismail (Org.). A experiência do cinema – antologia. Rio de Janeiro: Edições Graal/Embrafilme, 1983b.

Publicado
2017-01-02
Como Citar
Silva, A. R. da, & Leites, B. B. P. (2017). A estética do cine-olho nas imagens em protestos. Revista FAMECOS, 24(1), ID24443. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.1.24443
Seção
Cinema