O discreto charme da escritura

Histórias da inscrição como pensamento técnico da comunicação

Palavras-chave: Escritura, Gramatização, Filosofia da técnica, Teoria da Comunicação, Algoritmos

Resumo

O presente artigo propõe uma articulação entre a teoria da escritura de Jacques Derrida e reflexões epistemológicas concernentes à comunicação. O argumento, construído de forma crítica a partir de pesquisa bibliográfica exploratória, consiste em reconstituir a noção de escritura em Derrida destacando, primeiro, seu aspecto técnico e, posteriormente, sua operacionalização no discurso enquanto rastros; caráter que a aproximação de uma reflexão midiática. A partir disso, demonstramos como esse pensamento do rastro se expressa na (e expressa a) materialidade comunicacional na sua atualização por Bernard Stiegler e seu conceito de gramatização. Por fim, como ensaio-piloto de ação dessa teoria, realizamos uma leitura da performatividade algorítmica como expressão contemporânea da escrituração comunicacional. Tal percurso acaba por demarcar para o potencial heurístico dessa perspectiva para a atual pesquisa com escritas midiáticas – e para a própria epistemologia da comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Felipe Abreu, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestre em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Integrante do Grupo de Pesquisa em Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC).

Alexandre Rocha da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Em memória.

Doutor em Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), em São Leopoldo, RS, Brasil. Pesquisador do CNPq (bolsista produtividade); professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; coordenador do Membro do Grupo de Pesquisa em Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC).

Referências

ABREU, Luis Felipe Silveira de; SILVA, Alexandre Rocha da; COLLING, Giovana dos Passos. A estrutura grafemática da Comunicação.: notas de um pensamento comunicacional em Jacques Derrida. In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 29., 2020, Campo Grande. Anais eletrônicos [...] Campinas: Galoá, 2020. Disponível em: https://proceedings.science/compos-2020/papers/a-estrutura-grafematica-da-comunicacao--notas-de-um-pensamento-comunicacional-em-jacques-derrida. Acesso em: 17 mar. 2022.

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: understanding new media. Cambridge: The MIT Press, 2000.

BRUNO, Fernanda. Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2013.

DERRIDA, Jacques; STIEGLER. Bernard. Echographies of television. Cambridge: Polity Press, 2002.

DERRIDA, Jacques. Acts of Literature. Londres; Nova York: Routledge, 1992.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 2014.

DERRIDA, Jacques. A voz e o fenômeno: introdução ao problema do signo na fenomenologia de Husserl. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 2017.

DERRIDA, Jacques. Limited Inc. Campinas: Papirus, 1991a.

DERRIDA, Jacques. Margens da filosofia. Campinas: Papirus, 1991b.

DERRIDA, Jacques. Posições. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

GILLESPIE, Tarleton. The Relevance of Algorithms. In: GILLESPIE, Tarleton; BOCZKOWSKI, Pablo J.; FOOT, Kirsten A. (org.). Media technologies: essays on communication, materiality, and society. Cambridge: MIT Press, 2014. p.167-194.

HUI, Yuk. On the existence of digital objects. Minneapolis: University of Minnesota. Press, 2016.

HUI, Yuk. Writing and cosmotechnics. Derrida Today, Edimburgo, v. 13, n. 1, p. 17-32, 2020.

JOHNSON, Christopher. System and writing in the philosophy of Jacques Derrida. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

LEROI- GOURHAN, André. Evolução e técnicas – O homem e a matéria. Lisboa: Edições 70, 1984. v. I.

LEROI-GOURHAN, André. O gesto e a palavra – Técnica e Linguagem. Porto: Edições 70, 1983. v. I.

MCLUHAN, Marshall; MCLUHAN. The laws of media. The new science. Toronto: University of Toronto Press, 1988.

PARISER, Eli. The Filter Bubble: what the Internet is hiding from you. Nova York: The Penguin Press, 2011.

PINTO NETO, Moysés. O conceito de escritura em Derrida e a gramatologia da sua época. Veritas, Porto Alegre, v. 62, n. 2, p. 308-329, 2017. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/veritas/article/view/27656. Acesso em: 15 jan. 2022.

STIEGLER, Bernard. Anamnésia e hipomnésia: Platão, primeiro pensador do proletariado. ARS, São Paulo, v. 7, n. 13, p. 22-41, 2009. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ars/article/view/3059/3748. Acesso em: 12 jan. 2022.

STIEGLER, Bernard. Automatic society. The future of work. Cambridge/Malden: Polity Press, 2016. v. 1.

STIEGLER, Bernard. Foreword. In: HUI, Yuk. On the existence of digital objects. Minneapolis/Londres: University of Minnesota. Press, 2016. p. VII-XIV.

STIEGLER, Bernard. Symbolic Misery. The Hyper-industrial Epoch. Cambridge/Malten: Polity Press, 2014. v. 1.

STIEGLER, Bernard. Technics and Time. The fault of Epimetheus. Stanford: Stanford University Press, 1998. v. 1.

STIEGLER, Bernard. Technics and Time. Disorientation. Stanford: Stanford University Press, 2008. v. 2.

STIEGLER, Bernard. Technics and Time. Cinematic time and the question of malaise. Stanford: Stanford University Press, 2010. v. 3.

STIEGLER, Bernard. The Neganthropocene. Londres: Open Humanities Press, 2018.

Publicado
2022-06-07
Como Citar
Abreu, L. F., & Silva, A. R. da. (2022). O discreto charme da escritura: Histórias da inscrição como pensamento técnico da comunicação. Revista FAMECOS, 29(1), e42651. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2022.1.42651
Seção
Pensamento Midiático Comunicacional