Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

Uma reflexão acerca das aproximações dos estudos em educação e em relações de trabalho

Palavras-chave: Educação, Trabalho, Relações de trabalho

Resumo

Compreendida como um marco regulatório da educação escolar, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) também pode ser fonte de interesse e reflexão para diversas outras áreas, como as que se dedicam às relações de trabalho. Pelo seu caráter inerente à atividade humana e às relações sociais, educação e trabalho são dimensões indissociáveis que se constituem historicamente, acompanhando as transformações econômicas, políticas e sociais. Dessa forma, este ensaio discute as aproximações entre os campos de estudos de educação e trabalho e reflete como a LDB também pode ser fonte de interesse para as pesquisas no campo das relações de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Koch Colomby, Instituto Federal do Paraná (IFPR), Palmas, PR, Brasil.

Doutor em Administração pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGA - UFRGS); professor no Colegiado de Administração do Instituto Federal do Paraná (IFPR) no Campus Palmas.

Catia Eli Gemelli, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutorado em andamento em Programa de Pós-Graduação em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

Andrea Poleto Oltramari, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutorado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, v. 134, n. 248, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

BERTERO, Carlos O. Réplica 2 - O Que é um Ensaio Teórico? Réplica a Francis Kanashiro Meneghetti. RAC-Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 2, 2011. https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200012

BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO, Ève. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BOTELHO, Louise Lira R.; DE ALMEIDA CUNHA, Cristiano C.; MACEDO, Marcelo. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011. https://doi.org/10.21171/ges.v5i11.1220

CARRETEIRO, Tereza C. O trabalho na vida do jovem: perspectivas diferentes. Observatório Jovem, 2006. Disponível em: http://www.observatoriojovem.uff.br/?q=materia/o-trabalho-na-vida-do-jovem-perspectivas-diferentes

CONCOLATTO, Claudia P.; OLTRAMARI, Andrea P.; RODRIGUES, Tatiana G. Mudanças nas relações de trabalho e o papel simbólico do trabalho na atualidade. Farol – Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, n. 9, v. 4, 2017. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/50203/mudancas-nas-relacoes-de-trabalho-e-o-papel-simbolico-do-trabalho-na-atualidade/i/pt-br

CONCOLATTO, Claudia; OLTRAMARI, Andrea. Relações de trabalho: reflexões sobre suas transformações e permanências. Anais do Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho da ANPAD, Curitiba, 2017.

CONCOLATTO, Claudia. Violência Urbana no Trabalho: desamparo nas Relações de Trabalho e marcas na saúde mental do trabalhador. 2018. 133 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

DEJOURS, Christophe. Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Tradução de Franck Soudant. Organizadores: Selma Lancman e Laerte Idal Sznelwar. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004.

DEMO, Pedro. A nova LDB: ranços e avanços. Campinas: Papirus, 1997.

DUNLOP, John T. Industrial Relations Systems. Boston, Massachussetts: Harvard Business School Press classic, 1993 [1958].

FERRAZ, Deise L.; OLTRAMARI, Andrea P; PONCHIROLLI, Osmar. Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho: Conceitos e Questionamentos. In: ______. (Orgs.). Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho. São Paulo: Atlas, 2011.

FISCHER, Rosa Maria. Pondo os Pingos nos “is”: sobre as relações do trabalho e políticas de administração de recursos humanos. In: FLEURY, Maria T.; FISCHER, Rosa M. (Coords.). Processo e relações do trabalho no Brasil. São Paulo: Atlas, 1987.

FLEURY, Maria Tereza Lema; FISCHER, Rosa Marias (Orgs.). O simbólico nas relações de trabalho. In: ______. Cultura e Poder nas Organizações. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2015.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e trabalho: bases para debater a educação profissional emancipadora. Perspectiva, v. 19, n. 1, p. 71-87, 2001. https://doi.org/10.5007/%25x

______. Fundamentos científicos e técnicos da relação trabalho e educação no Brasil de hoje. In: LIMA, Júlio César F.; NEVES, Lúcia Maria W. (Orgs.). Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006. Disponível em: http://books.scielo.org/morfeu/NASSHARE/Shares/APP-ppe/SciELOLivros/books/fiocruz/XI%20Reuni%C3%A3o/fun_edu_esc_bra_con/pdf/folha%20de%20rosto/10.7476/9788575416129

______. Contexto e sentido ontológico, epistemológico e político da inversão da relação educação e trabalho para trabalho e educação. Revista Contemporânea de Educação, v. 10, n. 20, p. 228-247, 2015. https://doi.org/10.20500/rce.v10i20.2729

HOLZMANN, Lorena. A dimensão do trabalho precário no Brasil no início XXI. In: PICCININI, Valmiria C.;

HOLZMANN, Lorena; KOVÁCS, Ilona; GUIMARÃES, Valeska N. (Orgs.). O mosaico do trabalho na sociedade contemporânea: persistências e inovações. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

HORTA, José Silverio B. Direito à educação e obrigatoriedade escolar. Cadernos de Pesquisa, n. 104, p. 5-34, 1998. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/713

KONDER, Leandro. O futuro da filosofia da práxis. Rio de Janeiro: Vozes, 1992.

MORIN, Estelle M. Os sentidos do trabalho. Revista de administração de empresas. São Paulo, v. 41, n. 3, p. 08-19, 2001. https://doi.org/10.1590/s0034-75902001000300002

NEVES, Diana R. et al. Sentido e significado do trabalho: uma análise dos artigos publicados em periódicos associados à Scientific Periodicals Electronic Library. Cadernos

EBAPE.BR, v. 16, n. 2, p. 318-330, 2018. https://doi.org/10.1590/1679-395159388

OLIVEIRA, Silvia Andreia Z. P.; ALMEIDA, Maria de Lourdes P. Educação para o mercado x educação para o mundo do trabalho: impasses e contradições. Revista Espaço Pedagógico, v. 16, n. 2, p. 155-167, 2009. https://doi.org/10.5335/rep.2013.2222

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, p. 152-180, 2007. https://doi.org/10.1590/s1413-24782007000100012

SILVA, Rafael B. Autonomia e educação: reflexões e tensões nos caminhos para a formação humana. Conjectura: Filosofia e Educação, v. 20, n. 1, p. 38-50, 2015. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/view/2929

Publicado
2021-08-17
Como Citar
Colomby, R. K., Gemelli, C. E., & Oltramari, A. P. (2021). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Uma reflexão acerca das aproximações dos estudos em educação e em relações de trabalho. Educação Por Escrito, 12(1), e40269. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2021.1.40269