A representação de Angola na construção das personagens em Se o passado não tivesse asas, de Pepetela

Palavras-chave: Pepetela, Se o passado não tivesse asas, Mikhail Bakhtin, Construção da personagem

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar a construção das personagens do romance de Pepetela Se o passado não tivesse asas, que narra os tempos de guerra civil e de pós-guerra em Angola, um período entre 1995 e 2012. À luz de conceitos como exterioridade e excedente da visão, postulados por Mikhail Bakhtin, investiga-se como duas narrativas aparentemente independentes, qu apresentam protagonistas supostamente distintas (Himba e Sofia), são capazes de descrever metafórica e criticamente o processo de reconstrução do país. Por meio do olhar do narrador heterodiegético, é possível estabelecer-se uma relação entre o eu e o outro em dois planos que se interligam: um plano temporal (a trajetória das duas personagens) e um plano espacial (o olhar do outro que observa de uma posição externa e que, por isso, pode identificar o que excede). O discurso não finalizável sugerido por Bakhtin revela o que parece ser a proposta dos textos literários de Pepetela a partir de 1990: denunciar a tentativa de Angola de apagar o passado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Coelho Silva Wertheimer, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); professora do curso de Graduação em Letras da mesma instituição.

Referências

AGUALUSA, José Eduardo. A literatura angolana e a representação da guerra pela independência, da guerra civil e da violência urbana. Revista Diversitas. Ano I, mar/ser, 2013. p.101-105. Disponível em: http://diversitas.fflch.usp.br/sites/diversitas.fflch.usp.br/files/inline-files/Revista%20Diversitas%201.%20Dossie%20Fronteiras%20em%20Movimento.pdf Acesso em: 18 fev. 2020.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução direta do russo, notas e prefácio de Paulo Bezerra. 5.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução do russo de Aurora Fornoni Bernardini, José Pereira Júnior, Augusto Góes Júnior, Helena Spryndis Nazário e Homero Freitas de Andrade. São Paulo: Hucitec, 1988.

BAKHTIN, Mikhail. The dialogic imagination: four essays by M.M. Bakhtin. Editado por Michael Holquist. Tradução para o inglês de Caryl Emerson e Michael Holquist. Austin: University of Texas Press, 1981.

BEATON, Roderick. Poética histórica: cronotopos em Leucipe e Clitofonte e Tom Jones. Tradução de Lásaro José Amaral. In: BEMONG, Nele et al. (org.). Bakhtin e o cronotopo: reflexões, aplicações, perspectivas. São Paulo: Parábola Editorial, 2015, p. 80-98.

EMERSON, Caryl. Os cem primeiros anos de Mikhail Bakhtin. Tradução de Pedro Jorgensen Jr. Rio de Janeiro: DIFEL, 2003.

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. 3. ed. Lisboa: Veja, 1995.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Tradução de Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1988.

MORSON, Gary Saul & EMERSON, Caryl. Mikhail Bakhtin: criação de uma prosaística. Tradução de Antonio Pádua Danesi. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

OLIVEIRA, Ricardo Soares de. Magnífica e miserável: Angola desde a guerra civil. Tradução de Suzana Souza e Silva. Lisboa: Tinta da China, 2015.

PEPETELA. Pepetela por Inocência Mata. [Entrevista cedida a] Inocência Mata. Camões – Revista de Letras e Culturas Lusófonas. Lisboa, n. 6, set. 1999. p. 113-116. Disponível em: file:///C:/Users/usuario/Downloads/rev6_art14_pepetela.pdf Acesso em: 20 fev. 2020.

PEPETELA. Se o passado não tivesse asas. Rio de Janeiro, LeYa, 2017

SECCO, Carmen Lucia Tindó Ribeiro. Na curva oblonga do tempo, uma alegórica parábola... In: CHAVES, Rita; MACÊDO, Tania (org.). Portanto... Pepetela. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009. p. 151-169.

VALENTIM, Jorge. Pepetela e a predatória arte de narra. In: CHAVES, Rita; MACÊDO, Tania (org.). Portanto... Pepetela. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009. p. 347-355.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Wertheimer, A. M. C. S. (2020). A representação de Angola na construção das personagens em Se o passado não tivesse asas, de Pepetela. Navegações, 13(2), e37240. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2020.2.37240
Seção
Artigos