Envolvimento paterno aos 12 meses de vida do bebê

  • Rodrigo Gabbi Polli Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Marília Reginato Gabriel Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cesar Augusto Piccinini Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Rita de Cassia Sobreira Lopes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Envolvimento paterno, Relações pai-criança, Paternidade.

Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar o envolvimento paterno de 35 pais (18 a 40 anos), cujo filho tinha 12 meses de vida. Os pais responderam a uma entrevista e as suas respostas foram examinadas através de análise de conteúdo qualitativa, com base em três dimensões do envolvimento paterno: interação, disponibilidade e responsabilidade. Os pais relataram se envolver com o filho de acordo com as necessidades e habilidades específicas dos 12 meses, idade em que o bebê passa a ser mais responsivo. Contudo, alguns pais relataram não ter a habilidade necessária para cuidar de um bebê, o que pode contribuir para um menor envolvimento com o filho. Os resultados do estudo evidenciam que os pais mostraram-se competentes para lidar com um bebê com novas habilidades, mesmo que, em alguns momentos, eles parecessem sentir dificuldades ou ainda preferissem que a mãe realizasse determinadas atividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Gabbi Polli, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Psicólogo, Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria, doutorando em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Marília Reginato Gabriel, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Psicóloga, Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Cesar Augusto Piccinini, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicólogo, Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre em Psicologia pela Universidade de Brasília, Doutor em Psicologia pela University of London.

Rita de Cassia Sobreira Lopes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicóloga, Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Doutora em Psicologia pela University of London.

Referências

Altafim, E. R. P., Schiavo, R. A., & Rodrigues, O. M. P. R. (2008). Práticas parentais de mães adolescentes: um estudo exploratório. Temas sobre Desenvolvimento, 16(93), 104-110.

Brown, G. L., Mangelsdorf, S. C., & Neff, C. (2012). Father involvement, paternal sensitivity, and father-child attachment security in the first 3 years. Journal of Family Psychology, 26(3), 421-430. http://dx.doi.org/10.1037/a0027836

Carvalho, A. M. A., Pedrosa, M. I., & Rossetti-Ferreira, M. C. (2012). Aprendendo com a criança de zero a seis anos. São Paulo: Cortez.

Castoldi, L., Gonçalves, T. R., & Lopes, R. C. S. (2014). Envolvimento paterno da gestação ao primeiro ano de vida do bebê. Psicologia em Estudo (Maringá), 19(2), 247-259. http://dx.doi.org/10.1590/1413-737222105008

Falceto, O. G., Fernandes, C. L., Baratojo, C., & Giugliani, E. R. J. (2008). Fatores associados ao envolvimento do pai nos cuidados do lactente. Revista de Saúde Pública, 42(6), 1034-1040. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102008000600009

Ferreira, B., Monteiro, L., Fernandes, C., Cardoso, J., Veríssimo, M., & Santos, A. J. (2014). Percepção de Competência Parental: Exploração de domínio geral de competência e domínios específicos de autoeficácia, numa amostra de pais e mães portuguesas. Análise Psicológica, 32(2), 145-156. http://dx.doi.org/10.14417/ap.854

Frascarolo, F. (2004). Paternal involvement in child caregiving and infant sociability. Infant Mental Health Journal, 25(6), 509-521. http://dx.doi.org/10.1002/imhj.20023 Fuertes, M., Faria, A., Breeghly, M., & Santos, P. L. (2015). The effects of parental sensitivity and involvement in caregiving on mother-infant and father-infant attachment in a portuguese sample. Journal of Family Psychology, 5, no pagination specified.

Fulgencio, C. D. R. (2007). A presença do pai no processo de amadurecimento: um estudo sobre D. W. Winnicott. Dissertação de mestrado não publicada. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Gabriel, M. R. & Dias, A. C. G. (2011). Percepções sobre a paternidade: descrevendo a si mesmo e o próprio pai como pai. Estudos de Psicologia, 16(3), 253-261. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2011000300007

Kong, S. Y. C. L., Ling, C. C. Y., Leung, C. L. K., & Li, J. C. M. (2013). Fathering self-efficacy, marital satisfaction and father involvement in Hong Kong. Journal of Child and Family Studies, 22, 1051-1060. http://dx.doi.org/10.1007/s10826-012-9666-1

Lamb, M. E., Pleck, J. H., Charnov, E. L., & Levine, J. A. (1985). Paternal behavior in humans. American Zoologist, 25(3), 883-894. http://dx.doi.org/10.1093/icb/25.3.883

Laville, C. & Dione, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas.

Lindsey, E. W., Cremeens, P. R., & Caldera, Y. M. (2010). Gender differences in mother-toddler and father-toddler verbal initiations and responses during a caregiving and play context. Sex Roles, 63(5-6), 399-411. http://dx.doi.org/10.1007/s11199-010-9803-5

McHale, J. P., Kazali, C., Rotman, T., Talbot, J., Carleton, M., & Lieberson, R. (2004). The transition to coparenthood: parents' prebirth expectations and early coparental adjustment at 3 months postpartum. Development and Psychopathology, 16(3), 711-733. http://dx.doi.org/10.1017/S0954579404004742

Nordahl, K. B., Jason, H., Manger, T., & Zachrisson, H. D. (2014). Family concordance and gender differences in parent-child structured interaction at 12 months. Journal of Family Psychology, 28(2), 253-259. http://dx.doi.org/10.1037/a0035977

Piccinini, C. A., Silva, M. R., Gonçalves, T. R., Lopes, R. C. S. L., & Tudge, J. (2004). O envolvimento paterno durante a gestação. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(3), 303-314. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722004000300003

Piccinini, C. A., Silva, M. R., Gonçalves, T. R., Lopes, R. C. S. L., & Tudge, J. (2012). Envolvimento paterno aos três meses de vida do bebê. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 28(3), 303-314. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722012000300006

Piccinini, C. A., Tudge, J., Lopes, R. C. S., & Sperb, T. (1998). Estudo longitudinal de Porto Alegre: da gestação à escola. Instituto de Psicologia – UFRGS, Porto Alegre. Projeto de pesquisa não publicado.

Premberg, A., Hellström, A. L., & Berg, M. (2008). Experiences of first year as father. Scandinavian Journal of Caring Sciences, 22, 56-63. http://dx.doi.org/10.1111/j.1471-6712.2007.00584.x

Saleh, M. F. & Hilton, J. M. (2011). A comparison of the paternal involvement of low-income fathers in four development stages: adolescence, young adult, adult, and midlife. The Familý Journal, 19(1), 47-55. http://dx.doi.org/10.1177/1066480710387496

Sary, M. P. & Turnip, S. S. (2015). Attitude difference between fathers and mothers toward father involvement in child rearing activities among couples with 0-12 months old babies. Community based study in a primary health care setting. Procedia – Social and Behavioral Sciences, 190(21), 92-96. http://dx.doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.04.921

Seward, R. R., Yeatts, D. E., & Zottarelli, L. K. (2002). Parental leave and father involvement in child care: Sweden and the United States. Journal of Comparative Family Studies, 33(3), 387-399.

Sutter, C. & Bucher-Maluschke, J. S. N. F. (2008). Pais que cuidam dos filhos: a vivência masculina da paternidade participativa. Psico, 39(1), 74-82.

Tamis-LeMonda, C. S., Kahana-Kalman, R., & Yoshikawa, H. (2009). Father involvement in immigrant and ethnically diverse families from the prenatal period to the second year: prediction and mediating mechanisms. Sex Role, 60, 496-509. http://dx.doi.org/10.1007/s11199-009-9593-9

Vieira, M. L., Bossardi, C. N., Gomes, L. B., Bolze, S. D. A., Crepaldi, M. A., & Piccinini, C. A. (2014). Paternidade no Brasil: revisão sistemática de artigos empíricos. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 66, 36-52.

Winnicott, D. W. (1982). A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: LTC Editora. (Original published in 1957)

Winnicott, D. W. (2005). A família e o desenvolvimento individual. São Paulo: Martins Fontes. (Original published in 1958).

Winnicott, D. W. (2006). Os bebês e suas mães. São Paulo: Martins Fontes. (Original published in 1987).

Publicado
2016-06-23
Como Citar
Polli, R. G., Gabriel, M. R., Piccinini, C. A., & Lopes, R. de C. S. (2016). Envolvimento paterno aos 12 meses de vida do bebê. Psico, 47(3), 198-208. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2016.3.23205
Seção
Artigos