A configuração da questão dos interesses no âmbito de uma ética do profissional de comunicação

  • Angela Cristina Salgueiro Marques Universidade Federal de Minas Gerais
  • Luis Mauro Sá Martino Faculdade Cásper Líbero
Palavras-chave: Comunicação, ética, jornalismo

Resumo

Este artigo delineia as possibilidades e condições de uma ética do jornalista a partir da análise do conceito de campo de Pierre Bourdieu e da ética do discurso de Jürgen Habermas. Embora os dois pensadores pareçam ter pouco em comum, ambos têm na noção de interesse um ponto chave de uma discussão sobre ética. Neste texto, o objetivo é discutir essas duas possibilidades de configuração de uma ética comunicativa de modo a analisar o que parece ser um paradoxo cotidiano entre as responsabilidades do profissional e o papel desempenhado pelo interesse nas práticas jornalísticas e na ética comunicativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela Cristina Salgueiro Marques, Universidade Federal de Minas Gerais
&outora em Comunicação Social pela UFMG e professora do Programa de Pós Graduação da Faculdade Cásper Líbero.
Luis Mauro Sá Martino, Faculdade Cásper Líbero
Graduado em Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (1998), com Mestrado (2001) e Doutorado (2004) em Ciências Sociais pela PUC-SP. Pós-Doutorado na School of Political, Social and International Studies na University of East Anglia, na Inglaterra (2008-2009).

Referências

AUDI, Robert. Moral value and human diversity. Oxford: OUP, 2007.

BARROS FILHO, Clóvis de. Ética na Comunicação. São Paulo: Moderna, 1995.

BARROS FILHO, Clóvis de; MARTINO, Luis Mauro Sá. O habitus na comunicação. São Paulo: Paulus, 2003.

BOHMAN, James. O que é a deliberação pública? Uma abordagem dialógica. In: MARQUES, Ângela (Org.). A deliberação pública e suas dimensões sociais, políticas e comunicativas: textos fundamentais. Belo Horizonte: Autêntica, 2009, p. 31-84.

BOURDIEU, Pierre. Le senses pratique. Paris: Minuit, 1980.

______. Ce que parler veut dire. Paris: Fayard, 1993.

______. Raisons Pratiques. Paris: Seuil, 1997.

______. Langage et pouvoir symbolique. Paris: Seuil, 1996.

CHAMBERS, Simone. Reasonable Democracy – Jürgen Habermas and the Politics of Discourse. London: Cornell

University Press, 1996.

CHAPPELL, Timothy. Ethics and Experience. Londres: Acumen, 2009.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Ética no jornalismo. São Paulo: Contexto, 2008.

COHEN, Jean; ARATO, Andrew. Discourse Ethics and Civil Society. In: COHEN, Jean; ARATO, Andrew (Orgs.). Civil society and political theory. Cambridge: MIT Press, 1992, p. 345-420.

ESTEVES, João Pissarra. Espaço Público e Democracia: comunicação, processos de sentido e identidades sociais. Rio Grande do Sul: Unisinos, 2003.

______. A ética da comunicação e os media modernos: legitimidade e poder nas sociedades complexas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenian, 1998.

FRASER, Nancy. Rethinking the Public Sphere: a contribution to the critique of actually existing democracy. Social Text, n. 25/26, p. 56-80, 1990.

GASTIL, John. Political Communication and Deliberation. London: Sage, 2008.

GOMES, Wilson; MAIA, Rousiley. Comunicação e democracia: problemas e perspectivas. São Paulo: Paulus, 2008.

GOMES, Mayra Rodrigues. Ética e jornalismo. São Paulo: Escrituras, 2002.

HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

______. A ética da discussão e a questão da verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. The theory of communicative action. Boston: Beacon Press, v.2, 1987.

______. A Reply to my Critics. In: THOMPSON, J. B., HELD, D. (Eds.). Habermas: critical debates. Cambridge: MIT Press, 1982, p. 219-283.

KARAM, Francisco José. Jornalismo, Ética e Qualidade. São Paulo: Summus, 1997.

LUKES, Steven. Moral relativism. Londres: Profile, 2008.

MANSBRIDGE, Jane. Conflict and Self-Interest in Deliberation. Paper presented at Granada IVR workshop on deliberative democracy and its discontents, on 25 and 27 May, 2005.

MANSBRIDGE, Jane e outros. The place of self-interest and the role of power in deliberative democracy. The Journal of Political Philosophy, v. 18, n. 1, p. 64-100, 2010.

MARQUES, Ângela. O papel dos interesses na construção de uma ética dos processos comunicativos. Lumina (UFJF. Online), v. 5, p. 1-18, 2011.

______. Ética do discurso e deliberação mediada sobre a questão das cotas raciais. Líbero, v. 13, p. 75-89, 2010.

______. As relações entre ética, moral e comunicação em três âmbitos da experiência intersubjetiva. Logos, v. 31, p. 51-63, 2009.

MARTINO, Luis Mauro Sá. Mídia e Poder Simbólico. São Paulo: Paulus, 2003.

______. A ética como estratégia no campo jornalístico. Líbero, v. 13, p. 75-89, 2010.

NUTTALL, Jon. Moral questions. Londres: Oxford, 1993.

PAGE, Benjamin. Who deliberates ? Mass Media in Modern Democracy. Chicago : The University of Chicago Press, 1996.

THOMPSON, Mel. Ethics. Londres: Hodder, 2006.

YOUNG, Iris. Justice and the politics of difference. Princeton: Princeton University Press, 1990.

Publicado
2011-12-22
Como Citar
Marques, A. C. S., & Martino, L. M. S. (2011). A configuração da questão dos interesses no âmbito de uma ética do profissional de comunicação. Revista FAMECOS, 18(3), 816-833. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2011.3.9860
Seção
Teorias da Comunicação