“Fake news”, pós-verdade e sociedade do capital: o irracionalismo como motor da desinformação jornalística

Palavras-chave: Jornalismo. “Fake News”. Irracionalismo.o

Resumo

Investiga-se a constituição histórico-social do fenômeno da pós-verdade e, no âmbito jornalístico, das chamadas “fake news”, analisando-as como decorrentes de processos econômicos, sociais e ideológicos característicos das mutações no sistema metabólico do capital. Assim, busca-se compreender a relação entre as mudanças da ordem econômica e a consolidação e intensificação da pós modernidade, dimensão ideológica e cultural do capitalismo tardio, em sua recente inserção na esfera cotidiana, a pós-verdade. Por meio do debate em torno das categorias lukacsianas de irracionalismo e decadência ideológica, propõe-se uma reflexão sobre os fundamentos ontológicos da desinformação jornalística e, por conseguinte, da perda da realidade objetiva por ela promovida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Bellan Rodrigues de Souza, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória (ES)

Professor adjunto do curso de Comunicação Social/Jornalismo e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades do Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Com pós-doutorado pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP), possui doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), mestrado em Comunicação Midiática pela Unesp (2006) e graduação em Comunicação Social - Jornalismo também pela Unesp (2003).

Referências

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BARROCO, Maria Lúcia Silva. Lukács e a crítica do irracionalismo: elementos para uma reflexão sobre a barbárie contemporânea. In: DEL ROIO, Marcos. Gÿorgy Lukács e a emancipação humana. São Paulo: Boitempo, 2013.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Padrões de manipulação no jornalismo brasileiro: fake news e a crítica de Perseu Abramo 30 anos depois. Revista Rumores, São Paulo, n. 23, v. 12, jan/jun. 2018. https://doi.org/10.11606/issn.1982-677x.rum.2018.144229

D’ANCONA, Matthew. Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de Fake News. Barueri: Faro Editorial, 2018. https://doi.org/10.20396/etd.v21i1.8652833

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Editora Boitempo, 2016. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2018.149022

EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

EAGLETON, Terry. Depois da teoria: um olhar sobre os Estudos Culturais e o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

ENZENSBERGER, Hans Magnus. Elementos para uma teoria dos meios de comunicação. São Paulo: Conrad Editora, 2003.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2012.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do Cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. v.1.

HARVEY, David. 17 contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016.

HARVEY, David. A Condição Pós-Moderna. São Paulo: Ed. Loyola,1993.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

HUWS, Ursula. Vida, trabalho e valor no século XXI: desfazendo o nó. Caderno CRH, Salvador, v. 27, n. 70, p. 13-30, jan./abr. 2014. https://doi.org/10.1590/s0103-49792014000100002

JAMESON, Frederic. Pós-Modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 1998. https://doi.org/10.11606/d.8.2013.tde-12022014-113107

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo Editorial, 2013.

LUKÁCS, György. Marx e Engels como historiadores da literatura. São Paulo: Boitempo, 2016.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

PINASSI, Maria Orlanda. Da miséria ideológica à crise do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

PONTES, Felipe. Adelmo Genro Filho e a Teoria do Jornalismo. Florianópolis: Insular, 2015.

RAMONET, Ignácio. A explosão do jornalismo: das mídias de massas à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

RAMONET, Ignácio. Meios de comunicação: um poder a serviço de interesses privado? In: MORAES, Dênis de. Mídia, poder e contrapoder. Da concentração monopólica à democratização da informação. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.

SAFATLE, Vladimir. O circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016. https://doi.org/10.26512/rfmc.v3i1.12501

SCHNEIDER, Marco. A comunicação e o gosto: uma abordagem marxista. Tese. (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação. São Paulo: ECA/USP, 2008. https://doi.org/10.1590/s0100-19652004000200014

SENNET, Richard. A corrosão do caráter. São Paulo: Editora Record, 2009.

SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis. Rio de Janeiro: Vozes, 2006.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WOOD, Ellen. Em defesa da história: o marxismo e a agenda pós-moderna. Revista Crítica Marxista 3, 1996.

ŽIŽEK, Slavoj. Primeiro como tragédia, depois como farsa. São Paulo: Boitempo, 2011. https://doi.org/10.24824/978854441505.4

Publicado
2019-12-27
Como Citar
de Souza, R. B. R. (2019). “Fake news”, pós-verdade e sociedade do capital: o irracionalismo como motor da desinformação jornalística. Revista FAMECOS, 26(3), e33105. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2019.3.33105
Seção
Jornalismo