Arquétipos e simbologias do candomblé na ficção televisiva: o universo de Tenda dos Milagres

  • Robéria Nádia Araújo Nascimento Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Palavras-chave: Tenda dos Milagres, Ficção televisiva, Candomblé

Resumo

Este texto expõe os resultados de uma pesquisa[1] que analisou as simbologias da religiosidade afro-brasileira, especialmente o candomblé, na minissérie Tenda dos Milagres, inspirada na obra de Jorge Amado. Os fragmentos dos capítulos, as descrições das cenas e as entrevistas com praticantes contextualizam tradições e rituais que integram a mitologia dessa vertente, auxiliando a compreensão de suas representações no espaço social. 


[1]  Intitulada Os arquétipos místico-religiosos na ficção televisiva: o universo simbólico de Tenda dos Milagres, realizada pela linha de pesquisa Mídia e Estudos Culturais do Curso de Comunicação Social da UEPB com recursos do CNPQ e concluída no ano de 2012, que teve os seguintes objetivos: caracterizar o gênero ficcional como possível vetor da midiatização contemporânea do campo religioso; apontar diálogos entre os personagens que ilustram as situações de preconceito e os rituais do candomblé; Destacar as trilhas sonoras e os elementos imagéticos dos cenários, uma vez que estes auxiliam a compreensão dos simbolismos religiosos; Perceber, a partir de entrevistas com representantes e adeptos do candomblé, se ainda existe discriminação social pela sua opção religiosa; Verificar, junto aos pesquisados, se a mídia, para além do segmento da teledramaturgia, informa a sociedade sobre as religiões de matriz africana. Este texto, portanto, apenas sintetiza o estudo em questão, na tentativa de sinalizar o potencial investigativo das tramas literárias de Jorge Amado em suas transposições televisivas, que, na nossa ótica, configuram ricos objetos de análise para apropriações de diversas áreas do conhecimento científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robéria Nádia Araújo Nascimento, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Doutora em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2007). Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2001). Professora Titular do curso de Comunicação Social (UEPB), vinculada aos Grupos de Pesquisa Comunicação, Cultura e Desenvolvimento e Comunicação, Memória e Cultura Popular, e à linha Mídia e Estudos Culturais.Suas produções acadêmicas são interdisciplinares e permeiam os campos do pensamento complexo e epistemologia da comunicação, enfocando as interfaces entre sociedade, educação, informação, pesquisa, conhecimento e mídias. Desenvolve estudos sobre televisão, ficção, expressões de religiosidade nos processos midiáticos, observando as possíveis construções identitárias que emergem das dinâmicas informacionais e dos fluxos de sentidos midiatizados pela comunicação no espaço social.

Referências

ALBUQUERQUE, Paulo Roberto Lopes de. Os símbolos de Xangô. In: MIELE, Neide (Org). Religiões, múltiplos territórios. João Pessoa: Editora UFPB, 2012.

BULHÕES, Marcelo. A ficção nas mídias: um curso sobre a narrativa nos meios audiovisuais. São Paulo: Ática, 2009.

DUARTE, Jorge. Entrevista em profundidade. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (Orgs). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

GEERTZ, Clifford James. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis: Vozes, 2000.

GORDILLO, Inmaculada. Manual de narrativa televisiva. Madrid: Editorial Sintesis, 2010.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

ISAIA, Artur Cesar; MANOEL, Ivan Aparecido (orgs.). Espiritismo & religiões afro-brasileiras: história e ciências sociais. São Paulo: Uniesp, 2012.

JOST, François. Compreender a televisão. Porto Alegre: Sulina, 2007.

LAPLANTINE, François. Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense, 1996.

LOPES, Maria Immacolata Vassalo de; BORELLI, Silvia Helena Simões; RESENDE, Vera da Rocha. Vivendo com a telenovela. São Paulo: Summus Editorial, 2002.

LOPES, Maria Immacolata Vassalo de. Para uma revisão das identidades coletivas em tempos de globalização. In: LOPES, Maria Immacolata Vassalo de (Org). Telenovela: internacionalização e interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Rio de Janeiro/Petrópolis: Vozes, 2005.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Viagens da telenovela: dos muitos modos de viajar em, por, desde e com a telenovela. In: LOPES, Maria Immacolata Vassalo de (Org). Telenovela: internacionalização e interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise pragmática da narrativa jornalística. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (Orgs). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007.

MOTTER, Maria Lourdes. Mecanismos de renovação do gênero telenovela: empréstimos e doações. In: LOPES, Maria Immacolata Vassalo de (Org). Telenovela: internacionalização e interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

NEGRÃO, Lísias Nogueira (Org). Novas tramas do sagrado: trajetórias e multiplicidades. São Paulo: Editora FAPESP, 2009.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Edições Loyola, 2002.

Publicado
2016-03-21
Como Citar
Nascimento, R. N. A. (2016). Arquétipos e simbologias do candomblé na ficção televisiva: o universo de Tenda dos Milagres. Revista FAMECOS, 23(2), ID21048. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2016.2.21048
Seção
Televisão