Carência de dados e desafios metodológicos para o desenvolvimento dos estudos da indústria da música

  • Micael Herschmann Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Comunicação, Indústria da música, Metodologia

Resumo

Balanço das dificuldades metodológicas enfrentadas pelos pesquisadores que vêm trabalhando com a indústria da música no contexto atual marcado pela crise e reestruturação deste setor da produção cultural. Analisa-se aqui não só as implicações das carências de dados e dos indicadores culturais do setor musical para o desenvolvimento destes estudos, mas também se sublinha neste artigo a importância em se renovar os protocolos de investigação e de se desenvolver pesquisas que sejam capazes de gerar dados primários, visando com isso dar conta da complexidade da dinâmica da indústria da música do início do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Micael Herschmann, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutor em Comunicação pela UFRJ, pesquisador do CNPq, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, onde também dirige o Núcleo de Estudos e Projetos em Comunicação.

Referências

ALBORNOZ, Luis A.; GALLEGO, Juan Ignacio. Setor da música…independente? Apontamentos sobre a trama empresarial española. In: HERSCHMANN, Micael (org.). Nas bordas e fora do mainstream. São Paulo: Estação das Letras e das Cores, 2011.

ALFARO, Santiago. Economía y cultura de la música andina. Tese (Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia, PUC-Peru, 2009.

HERSCHMANN, Micael (Org.). Nas bordas e fora do mainstream. São Paulo: Estação das Letras e das Cores, 2011.

______. A indústria da música como laboratório. Observatório. São Paulo: Itaú Cultural, n. 9, p. 21-30, 2010a.

______. Indústria da música em transição. São Paulo: Estação das Letras e das Cores, 2010b.

______. Lapa: cidade da música. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

International Federation of the Phonographic Industry (IFPI). Global Recording Industry in numbers – 2010. Londres: IFPI Market Publication, 2011.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

______. Fans, bloggers and gamers. New York: New York University Press, 2006.

LEMOS, Ronaldo; CASTRO, Oona. Tecnobrega: o Pará reinventando o negócio da música. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2008.

LONDON SCHOOL OF ECONOMICS. Music Sales. 2011. Disponível em: www2.lse.ac.uk/home.aspx. Acesso em: 12 jun. 2012.

MAFESOLI, Michel. O ritmo da vida. Rio de Janeiro: Record, 2007.

______. O tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.

OCHOA, Ana M. G. Músicas Locales en Tiempos de Globalización. Buenos Aires: Norma, 2001.

POLLSTAR. New business of music. 2010. Disponível em: www.pollstar.com. Acesso em: 2 ago. 2010.

SÁ, Simone Pereira de. Cenas musicais, sensibilidades, afetos e cidades. In: GOMES, Itania; JANOTTI JUNIOR, Jeder (Orgs.). Comunicação e Estudos Culturais. Salvador: EDUFBA, 2011.

SÁ, Simone Pereira; MIRANDA, Gabriela. Aspectos da economia musical popular no Brasil: o circuito do funk carioca. In: HERSCHMANN, Micael. (org.). Nas bordas e fora do mainstream. São Paulo: Editora Estação das Letras e das Cores, 2011.

STRAW, Will. Scenes and sensibilities. E-Compós, n. 6, 2006. Disponível em: www.compos.org.br/ecompos/adm/documentos/ecompos06_agosto2006_willstraw.pdf. Acesso em: 11 jun. 2012.

SUNKEL, Guillermo (Coord.). El consumo cultural en América Latina. Santafé de Bogotá: Convenio Andres Bello, 1999.

TROTTA, Felipe. O samba e suas fronteiras. Rio de Janeiro: UFRJ, 2011.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

______. Apontamentos sobre alguns dos novos negócios da música. In: HERSCHMANN, Micael (Org.). Nas bordas e fora do mainstream. São Paulo: Estação das Letras e das Cores, 2011.

______. La transformación y diversificación de la industria de la música. In: BUSTAMANTE, Enrique (Org.). La cooperación cultura-comunicación en iberoamérica. Madrid: Fundación Alternativas, 2007.

Publicado
2013-05-23
Como Citar
Herschmann, M. (2013). Carência de dados e desafios metodológicos para o desenvolvimento dos estudos da indústria da música. Revista FAMECOS, 20(1), 131-146. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.1.13129
Seção
Representações