Novos negócios fonográficos no Brasil e a intermediação do mercado digital de música

  • Leonardo De Marchi Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Luis Alfonso Albornoz Universidad Carlos III de Madrid
  • Micael Herschmann Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Comunicação, cultura, indústria fonográfica

Resumo

Neste artigo, analisam-se as estratégias de algumas recentes empresas brasileiras que apostam em novas práticas de comercialização de gravações musicais no entorno digital. Afastando-se do modelo tradicional de venda de discos em suporte físico, as empresas aqui analisadas, iMusica, Trevo Digital, Fun Station e Bolacha Discos, buscam novas maneiras de distribuir seus conteúdos musicais através de distintos meios em um mercado fonográfico em plena reformulação. Os casos selecionados revelam que novas formas e graus de mediação entre produtores e consumidores se colocam como elemento importante do emergente mercado digital de fonogramas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo De Marchi, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Luis Alfonso Albornoz, Universidad Carlos III de Madrid
Professor do Departamento de Jornalismo e Comunicação Audiovisual da Universidad Carlos III de Madrid.
Micael Herschmann, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ALBORNOZ, Luis A. Digitalização e sociedade: o caso do setor musical. In: II ULEPICC, 2008, São Paulo. Anais do II Congresso da União Latina de Economia Política da Informação. São Paulo:Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2008.

ALBORNOZ, Luis A.; HERSCHMANN, Micael. La industria de la música en transición. Tenerife: Cabildo de Tenerife, 2010. (no prelo).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE DISCOS. Mercado brasileiro de música 2009. Rio de Janeiro: ABPD, 2009. Disponível em: http://www.abpd.org.br/downloads/Mercado_Fonografico_BR_15abril09.pdf Acesso em: 05 fev. 2010.

BUSTAMANTE, Enrique. Hacia un nuevo sistema de comunicación: las industrias culturales en la era digital. Barcelona: Gedisa, 2007.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. Pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e da comunicação no Brasil: TIC domicílios e TIC empresas 2008. São Paulo: CGI.br, 2009. Disponível em: http://www.cetic.br/tic/2009/index.htm Acesso em: 05 fev. 2010.

DIAS, Márcia T. Os donos da voz: indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. São Paulo: Boitempo, 2000.

HERSCHMANN, Micael. Alguns apontamentos sobre a reestruturação da indústria da música. In: HERSCHMANN, Micael; FREIRE FILHO, J. (org.). Novos rumos da cultura da mídia. Rio de Janeiro: Mauad X, 2006, p. 161-188.

______. Lapa: cidade da música. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

HERSCOVICI, Alain. Redes eletrônicas e economia digital: economia da dádiva ou novas estratégias concorrenciais?. In: XVII Compós, 2008, São Paulo. Anais do XVII Encontro da Compós. São Paulo: UNIP, 2008.

INTERNATIONAL FEDERATION OF THE PHONOGRAPHIC INDUSTRY. Digital musicreport2010. Londres. Disponível em: http://www.abpd.org.br/downloads/DMR2010_UK_JAN2010.pdf Acesso em: 05 fev. 2010.

MIDANI, André. Música, ídolos e poder: do vinil ao download. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

MORELLI, Rita C. L. Indústria fonográfica: um estudo antropológico. 2. ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2009.

NAPOLITANO, Marcos. Seguindo a canção: engajamento político e indústria cultural na MPB 1959-1969. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2001.

PRESTES FILHO, Luís C. Cadeia produtiva da economia da música. Rio de Janeiro: Instituto Gênesis/PUC-RJ, 2005.

SCHUMPETER, Joseph A. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SHAPIRO, Carl; VARIAN, Hai R. Information rules: a strategic guide to network economy. Cambridge, Massachusetts: Harvard Business School Press, 1999.

Como Citar
Marchi, L. D., Albornoz, L. A., & Herschmann, M. (2011). Novos negócios fonográficos no Brasil e a intermediação do mercado digital de música. Revista FAMECOS, 18(1), 279-291. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2011.1.8814