Português como Língua Adicional nas universidades federais brasileiras

Um perfil da área

  • Aline Aurea Martins Marques Fundação de Apoio e Desenvolvimento da Universidade Federal de Mato Grosso e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) (Fundação Uniselva), Cuiabá, MT, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-5366-0358
  • Juliana Roquele Schoffen Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-9945-0794
Palavras-chave: Português como Língua Adicional, Ensino de Português como Língua Adicional, Internacionalização

Resumo

Este artigo apresenta um mapeamento da área de Português como Língua Adicional (PLA) nas universidades federais brasileiras. Muito importante para o processo de internacionalização das universidades e para o atendimento do crescente número de imigrantes que o Brasil tem recebido nos últimos anos, a área de PLA ainda é relativamente pequena no Brasil. A fim de contribuir para o fortalecimento da área e para o reconhecimento da sua importância na rede educacional, traçamos um histórico da área no Brasil e discutimos ações e políticas que colaboraram para seu crescimento e consolidação. Apresentamos e discutimos, na sequência, dados gerados entre novembro de 2016 e julho de 2017 sobre a oferta de cursos de PLA nas universidades federais. Considerando a expansão do ensino de PLA nos últimos anos e a escassez de informações publicadas sobre a sua inserção nas instituições de ensino superior, entendemos que os dados aqui apresentados contribuem como um importante subsídio para o debate sobre políticas para a institucionalização da área de PLA no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Aurea Martins Marques, Fundação de Apoio e Desenvolvimento da Universidade Federal de Mato Grosso e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) (Fundação Uniselva), Cuiabá, MT, Brasil.

Aline Aurea Martins Marques é mestra em Letras pela UFRGS (2018) e licenciada em Letras – Português e Francês pela UFMT (2014). Atualmente, cursa Direito na Universidade de Cuiabá (Unic) e, por meio da Fundação Uniselva, trabalha como apoio especializado no projeto “A inovação educacional e a pesquisa científica e tecnológica da UFMT a serviço do controle interno, externo e social do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT) e Ministério Público de Contas do Estado de Mato Grosso (MPC/MT)”.

Juliana Roquele Schoffen, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Juliana Roquele Schoffen é professora do Instituto de Letras da UFRGS e atua na formação de professores de língua materna e adicional na graduação e na pós-graduação. Desenvolve pesquisas sobre avaliação em exames de larga escala e definição de níveis de proficiência. É integrante da Comissão Técnico-Científica do exame Celpe-Bras desde 2008 e foi a idealizadora do Acervo Celpe-Bras. Lidera o grupo de pesquisa Avalia – Avaliação de uso da linguagem, que estuda avaliação de proficiência.

Referências

ABREU-E-LIMA, Denise Martins de; MORAES FILHO, Waldenor Barros; MONTENEGRO, Ana Raquel Aires. Perfil da área de língua inglesa nas universidades federais. In: SARMENTO, Simone; ABREU-E-LIMA, Denise Martins de; MORAES FILHO, Waldenor Barros (org.). Do Inglês sem Fronteiras ao Idiomas sem Fronteiras: A construção de uma política linguística para a internacionalização. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016, v.1. p. 45-76.

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes de. Ensino de português língua estrangeira/EPLE: a emergência de uma especialidade no Brasil. In: LOBO, Tânia et al. Rosae: linguística histórica, história das línguas e outras histórias. Salvador: Edufba, 2012. p. 723-728. Disponível em: http://books.scielo.org/id/67y3k/pdf/lobo-978852321230851.pdf. Acesso em: 25 jun. 2020.

BAUMVOL, Laura Knijnik; SARMENTO, Simone. A internacionalização em casa e o uso do inglês como meio de instrução. Echoes: Further reflections on language and Literature, Florianópolis, p. 65-82, 2016. Disponível em: http://ppgi.posgrad.ufsc.br/files/2017/02/Echoes_Further-Reflections-on-Language-and-Literature.pdf. Acesso em: 30 maio 2020.

BRASIL. Decreto nº 7.642, de 13 de dezembro de 2011. Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. Brasília, DF: Presidência da República, [2011]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7642.htm. Acesso em: 17 abr. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2019: divulgação dos resultados. Brasília, 2020a. 82 slides, color. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2020/Apresentacao_Censo_da_Educacao_Superior_2019.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Documento base do exame Celpe-Bras. Brasília, 2020b. Disponível em http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484421/Documento+base+do+exame+Celpe-Bras/1f18842d-0f8d-4645-8824-aaa18e0ae934?version=1.0. Acesso em: 9 jul. 2020.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. História dos Centros Culturais Brasileiros. Brasília: DF, 2016. Disponível em: http://redebrasilcultural.itamaraty.gov.br/images/Arquivos_PDF/Historia_dos_Centros_Culturais.pdf. Acesso em: 17 maio 2020.

CARVALHO, Simone da Costa; SCHLATTER, Margarete. Ações de difusão internacional da Língua Portuguesa. Cadernos do IL, Porto Alegre, n. 42, p.260-284, jun. 2011. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/cadernosdoil/article/view/26027. Acesso em: 29 jun. 2020. https://doi.org/10.22456/22366385.26027

DINIZ, Leandro Rodrigo Alves. Política linguística do Estado brasileiro para a divulgação do português em países de língua oficial espanhola. Trab. Linguist. Apl., Campinas, v. 51, n. 2, p. 435-458, jul./dez. 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-18132012000200009. Acesso em: 30 abr. 2020. https://doi.org/10.1590/S0103-18132012000200009

DORIGON, Thomás. A língua portuguesa como ferramenta de política externa brasileira: da criação da CPLP ao plano de ação de Brasília. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) – Departamento de Economia e Relações Internacionais, Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/96719. Acesso em: 12 jun. 2020.

DORIGON, Thomás. O Celpe-Bras como instrumento de política linguística: um mediador entre propósitos e materializações. 2016. 128 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: http://hdl. handle.net/10183/148497. Acesso em: 5 jul. 2020.

FRANCISCO, Denis Leandro. Português Língua Estrangeira/Adicional (PLE/PLA) e o Programa Idiomas sem Fronteiras. RELACult – Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade, [s.l.], v. 6, ed. especial, mar. 2020, p. 1-11. Disponível em: http://periodicos.claec.org/index.php/relacult/article/view/1803. Acesso em: 6 jul. 2020. https://doi.org/10.23899/relacult.v6i6.1803

FURTOSO, Viviane Bagio. Onde estamos? Para onde vamos? – a pesquisa em Português para Falantes de Outras Línguas nas universidades brasileiras. In: LUCAS, Patrícia de Oliveira; RODRIGUES, Rosana Ferrareto Lourenço (org.). Temas e rumos nas pesquisas em Linguística (Aplicada): questões empíricas, éticas e práticas. Campinas: Pontes, 2015. p. 153-195.

JOÃO, Faustino; CLEMENTE, Elvo. História da PUCRS – Volume II. Porto Alegre: Edipucrs, 1997.

JUDD, Elliot L.; TAN, Lihua; WALBERG, Herbert J. Teaching Additional Languages. Brussels: International Academy of Education, 2001. 30 p. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001254/125455e.pdf. Acesso em: 15 nov. 2016.

LOBO, Moana de Lima e Silva. O ensino de português para fins específicos no Programa mais Médicos para o Brasil. 2017. 208 f. Tese de Doutorado em Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8142/tde-19032018-112257/publico/2017_MoanaDeLimaESilvaLobo_VCorr.pdf. Acesso em: 13 abr. 2020.

LOPES, Carlos. CPLP: Paradoxo certo ou futuro incerto? Revista Angolana de Sociologia, Ramada, n. 7, p. 143-145, 2011. Disponível em: https://journals.openedition.org/ras/1232. Acesso em: 22 nov. 2020. https://doi.org/10.4000/ras.1232

MARCHANT, Mercedes. Português para estrangeiros. Porto Alegre: Edições Sulinas, 1954.

MARQUES, Aline Aurea Martins. Políticas linguísticas e ensino de português como língua de acolhimento para imigrantes no Brasil: uma discussão a partir da oferta de cursos nas universidades federais. 2018. 136 f. Dissertação de Mestrado em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/189500. Acesso em: 4 abr. 2020.

MAUÉS, Olgaíses Cabral; BASTOS, Robson dos Santos. Políticas de internacionalização da Educação Superior: o contexto brasileiro. Educação: Dossiê – Internacionalização da educação superior, [S.L.], v. 40, n. 3, p. 333-342, 31 dez. 2017. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/28999. Acesso em: 24 nov. 2020. https://doi.org/10.15448/19812582.2017.3.28999

MIYAMOTO, Shiguenoli. O Brasil e a comunidade dos países de língua portuguesa (CPLP). Revista Brasileira de Política Internacional, [S.L.], v. 52, n. 2, p. 22-42, dez. 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292009000200002&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 24 nov. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0034-73292009000200002.

MOROSINI, Marília Costa. Internacionalização na produção de conhecimento em IES Brasileiras: cooperação internacional tradicional e cooperação internacional horizontal. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 93-112, abr. 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S010246982011000100005. Acesso em: 18 abr. 2020. https://doi.org/10.1590/S010246982011000100005

OLIVEIRA, Caio Augusto. A CPLP como instrumento de política externa brasileira e de desenvolvimento para os PALOP. Revista Perspectiva, Porto Alegre, v. 8, n. 15, p. 30-53, 2015. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaPerspectiva/article/view/71245. Acesso em: 12 nov. 2020.

PINTO, José Filipe. Da CPLP à Comunidade Lusófona: o futuro da lusofonia. Revista Angolana de Sociologia, Ramada, n. 7, p. 107-118, 2011. Disponível em: https://journals.openedition.org/ras/1212. Acesso em: 24 nov. 2020. https://doi.org/10.4000/ras.1212

RAMALHO FILHO, Jorge Eliano; LIMA, Anna Elisa Iung. O Programa Mais Médicos e a cooperação trilateral Brasil-OPAS-Cuba para o fortalecimento da atenção básica no SUS. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde e Política Externa: os 20 anos da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde (1998-2018). Brasília. 2018. p. 221-241. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_politica_externa_20_anos_aisa. pdf. Acesso em: 17 abr. 2020.

SCHLATTER, Margarete; GARCEZ, Pedro M. Línguas adicionais (Espanhol e Inglês). In: RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referenciais curriculares do Estado do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Secretaria de Estado da Educação, 2009. p. 127-172.

SCHOFFEN, Juliana Roquele; MARTINS, Alexandre Ferreira. Políticas linguísticas e definição de parâmetros para o ensino de português como língua adicional: perspectivas portuguesa e brasileira. ReVEL, v. 14, n. 26, 2016, p. 271-306. Disponível em: http://www.revel.inf.br/downloadFile.php?local=artigos&id=487&lang=pt. Acesso em: 30 jun. 2020.

SIGNORINI, Inês. Política, Língua Portuguesa e Globalização. In: LOPES, Luiz Paulo da Moita. O Português no Século XXI: Cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola, 2013. p. 74-100.

SOUSA, José Vieira de. Internacionalização da Educação Superior como indicador do Sinaes: de qual qualidade estamos falando? Educação: Dossiê – Internacionalização da educação superior, [S.L.], v. 40, n. 3, p. 343-354, 31 dez. 2017. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/28979. Acesso em: 24 nov. 2020. http://dx.doi.org/10.15448/19812582.2017.3.28979

UEBEL, Roberto Rodolfo Georg. Política externa migratória brasileira: das migrações de perspectiva à hiperdinamização das migrações durante os governos Lula da Silva e Dilma Rousseff. 2018. Tese (Doutorado em Estudos Estratégicos Internacionais) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. 629 f. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/188410. Acesso em: 26 abr. 2020.

UEBEL, Roberto Rodolfo Georg; BRÍGIDO, Eveline Vieira; RIBEIRO, Vítor Eduardo Alessandri. Evolução da governança migratória no Brasil. Ideias, Campinas, SP, v. 11, p. 1-30, e020009, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8658545. Acesso em: 25 jun. 2020. https://doi.org/10.20396/ideias.v11i0.8658545

ZOPPI-FONTANA, Mônica Graciela; DINIZ, Leandro Rodrigo Alves. Declinando a Língua pelas injunções do mercado: institucionalização do português língua estrangeira (PLE). Estudos Linguísticos, São Paulo, 37 (3), p. 89-119, set.-dez., 2008. Disponível em: http://www.ufrgs.br/acervocelpebras/arquivos/textos-publicados/fontana-alves. Acesso em: 9 jul. 2020.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Aurea Martins Marques, A. ., & Roquele Schoffen, J. . (2020). Português como Língua Adicional nas universidades federais brasileiras : Um perfil da área. Letras De Hoje, 55(4), e38778. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2020.4.38778
Seção
PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL: LINGUÍSTICA E TRADUÇÃO