Reforma dos cursos de formação de professores: relações entre políticas curriculares e a prática pedagógica

  • Marilda Pasqual Schneider Universidade do Oeste de Satna Catarina
  • Zenilde Durli Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Elton Nardi Universidade do Oeste de Santa Catarina
Palavras-chave: Descritores, Formação de professores, políticas curriculares, prática pedagógica, recontextualização.

Resumo

Partindo do conceito de recontextualização de Bernstein (1996), examinamos textos curriculares sobre a reforma da formação de professores da educação básica produzidos em dois campos: o oficial e o pedagógico. No estudo realizado, as Diretrizes emitidas pelo Conselho Nacional de Educação em 2002 representaram o campo oficial dessas reformas. Na outra ponta está a proposta para cursos de licenciatura elaborada por uma instituição de ensino superior catarinense, a qual representa o campo da prática pedagógica. Por considerarmos a prática como produtora de sentido das políticas curriculares, argumentamos favoravelmente à investigação desse campo nos estudos sobre a reforma da formação de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilda Pasqual Schneider, Universidade do Oeste de Satna Catarina
Doutora em Educação. Professora da Área de Ciências Humanas e Sociais da Unoesc - Campus de Videira.
Zenilde Durli, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutora em Educação. Professora da Área de Ciências Humanas e Sociais da Unoesc - Campus de Joaçaba.
Elton Nardi, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutor em Educação. Professor da Área de Ciências Humanas e Sociais da Unoesc - Campus de Xanxerê
Publicado
2009-09-10
Como Citar
Schneider, M. P., Durli, Z., & Nardi, E. (2009). Reforma dos cursos de formação de professores: relações entre políticas curriculares e a prática pedagógica. Educação, 32(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/4946
Seção
Outros Temas