Bebês nas creches e nos espaços urbanos cariocas

  • Marcia de Oliveira Gomes Gil Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Vera Maria Ramos de Vasconcellos Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Bebês. Creche. Direito à educação. Cidadania.

Resumo

O direito à educação de bebês é discutido no cenário da cidade do Rio de Janeiro, entre os anos 2009 e 2016, gestão dupla de uma mesma prefeitura. As vagas na educação infantil municipal e as matrículas no berçário são investigadas após a construção de novas edificações (GIL, 2018). O reconhecimento social do direito à creche para todos os bebês e crianças pequenas, independentemente de critérios de vulnerabilidade, é o ponto de partida das discussões. A legislação brasileira é apresentada e as ações do Ministério Público são analisadas. Os resultados revelam que, na relação com o direito à educação de bebês, mesmo com as novas edificações, específicas para a educação infantil, o número de matrículas cresce nos agrupamentos de crianças com mais idade e no berçário vêm sendo reduzidas a cada ano. Acrescenta-se a isso a diminuição de creches municipais em tempo integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia de Oliveira Gomes Gil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Doutora em Educação pela Uerj
Vera Maria Ramos de Vasconcellos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Pós-Doutora em Psicologia; professora titular do Departamento de Educação da Uerj.

Referências

A AÇÃO BRASIL CARINHOSO como estratégia de expansão da oferta e redução da desigualdade educacional na creche Fineduca. Revista de Financiamento da Educação, Porto Alegre, v. 5, n. 11, 2015. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/fineduca>. Acesso em: 19 set. 2016.

ARAÚJO, Vania Carvalho de. A impermeabilidade das “políticas” destinadas às crianças: por uma necessária ressemantização do direito. Revista Educação, Porto Alegre, v. 40, n. 3, p. 405-412, 2017.

ARAÚJO, Vania Carvalho de. O tempo integral na educação infantil: uma análise de suas concepções e práticas. In: ARAÚJO, Vania Carvalho de (Org.). Educação infantil em jornada de tempo integral: dilemas e perspectivas. Vitória: Edufes, 2015.

ARENDT, Hannah. A promessa da política. Rio de Janeiro: Difel, 2008.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br>. Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL, Resolução MEC nº 1, de 28 de julho de 2016. Aprova as ponderações aplicáveis entre diferentes etapas, modalidades e tipos de ensino da educação básica para vigência no exercício de 2017. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/9435-resolu%C3%A7%C3%A3o-mec-n%C2%BA-1,-de-28-dejulho-de-2016>. Acesso em: 20 jun. 2017.

BRASIL. Resolução CD/FNDE/MEC nº 19, de 29 de setembro de 2014. Estabelece os procedimentos operacionais para a transferência obrigatória de recursos financeiros aos municípios e ao Distrito Federal, a título de apoio financeiro suplementar à manutenção e ao desenvolvimento da educação infantil para o atendimento de crianças de zero a 48 meses informadas no Censo Escolar da Educação Básica, cujas famílias sejam beneficiárias do Programa Bolsa Família, em creches públicas ou conveniadas com o poder público, a partir do exercício de 2014. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/6049-resolu%C3%A7%C3%A3ocd-fnde-mec-n%C2%BA-19,-de-29-de-setembro-de-2014>. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil03/ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 13 out. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Interministerial nº 19, de 27 de dezembro de 2013. Define e divulga os parâmetros anuais de operacionalização do Fundeb para o exercício de 2014. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/acessoa-informacao/institucional/legislacao/item/5147-portariainterministerial-n%C2%BA-19,-de-27-de-dezembro-de-2013>. Acesso em: 18 maio 2017.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm>. Acesso em: 13 abr. 2017.

BRASIL. Lei nº 12.722, de 3 de outubro de 2012. Altera as Leis nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004, nº 12.462, de 4 de agosto de 2011, e nº 11.977, de 7 de julho de 2009; dispõe sobre o apoio financeiro da União aos municípios e ao Distrito Federal para ampliação da oferta da educação infantil e dá outras providências. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12722-3-outubro-2012-774306-publicacaooriginal-137757-pl.html>. Acesso em: 22 set. 2017.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm>. Acesso em: 27 mar. 2016.

BRASIL. Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei nº 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis nº. 9.424, de 24 de dezembro de 1996, nº 10.880, de 9 de junho de 2004, e nº 10.845, de 5 de março de 2004, e dá outras providências. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm>. Acesso em: 12 jan. 2017.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm>. Acesso em: 13 mar. 2017. BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Câmara dos Deputados. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 de jul. 1990 Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm>. Acesso em: 13 mar. 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 13 mar. 2017.

BRASIL. Decreto-lei nº 4.830, de 15 de outubro de 1942. Estabelece contribuição especial para a Legião Brasileira de Assistência e dá outras providências. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-4830-15-outubro-1942-414830-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 30 jul. 2016.

BRASIL. Decreto nº 17.943-a, de 12 de outubro de 1927. Institui o Código de Menores. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1920-1929/decreto-17943-a-12-outubro-1927-501820-norma-pe.html>. Acesso em: 13 mar. 2017.

CASTRO, Lucia Rabello de. A aventura urbana: crianças e jovens no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2004.

DAMATTA, Roberto. A casa e a rua: espaço, cidadania e mulher no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

FERREIRA, Manuela. A gente gosta é de brincar com outros meninos: relações sociais entre as crianças num jardim de infância. Porto: Edições Afrontamento, 2004.

GIL, Márcia de Oliveira Gomes. Políticas públicas de Educação Infantil na cidade do Rio de Janeiro: berçário em foco (2009 a 2016). 2018. 208 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Proped), Rio de Janeiro, 2018.

LANTER-LOBO, Ana Paula Santos Lima. Políticas públicas para a educação infantil: uma releitura na legislação brasileira. In: VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de (Org.). Educação da infância: história e política. Niterói, RJ: Eduff, 2011. p. 133-164.

MÜLLER, Fernanda. Retratos da infância na cidade de Porto Alegre. 2007. 218 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

NUNES, Deise. Reconhecimento social da infância no Brasil: da menoridade à cidadania. In: VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de (Org.). Educação da infância: história e política. 2. ed. Niterói, RJ: Eduff, 2011. p. 107-132.

PEREZ, Jose Roberto Rus; PASSONE, Eric Ferdinando. Políticas sociais de atendimento às crianças e aos adolescentes no Brasil. Cadernos de Pesquisa, v. 40, n. 140, p. 649-673, maio/ago. 2010.

RIO DE JANEIRO. Plano Estratégico da Prefeitura do Rio de Janeiro, 2009 a 2012. Rio de Janeiro. Disponível em:

<http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/6616925/4178940/planejamento_estrategico_site_01.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2016.

ROSEMBERG, Fúlvia. A criança pequena na agenda de políticas para a infância: representações e tensões. Disponível em: <http://www.diversidadeducainfantil.org.br/PDF/A%20CRIANÇA%20PEQUENA%20NA%20AGENDA%20DE%20POLÍTICAS%20PARA%20A%20INFÂNCIA%20%20Fúlvia%20Rosemberg.pdf>. Acesso em: 15 maio 2016.

ROSEMBERG, Fúlvia. A educação pré-escolar brasileira durante os governos militares. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 82, p. 21-30, ago. 1992.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de; SARMENTO, Manuel Jacinto. (Org.). Infância (in)visível. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2007.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Crianças: educação, culturas e cidadania activa refletindo em torno de uma proposta de trabalho. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 1, p. 17-40, jan./ jul. 2005. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/download/9857/9109>. Acesso em: 18 ago. 2017.

TATAGIBA, Ana Paula. Percursos de uma luta urgente: a educação infantil como dever do Estado. Ser Social, Brasília, v. 13, n. 29, p. 146-171, jul./dez. 2011.

TONUCCI, Francesco. Ciudades a escala humana: laciudad de los niños. Revista de Educación, Roma, n. esp., p. 147-168, 2009.

Publicado
2018-09-17
Como Citar
Gil, M. de O. G., & Vasconcellos, V. M. R. de. (2018). Bebês nas creches e nos espaços urbanos cariocas. Educação, 41(2), 241-249. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.30824
Seção
Dossiê: Infância e cidade: diálogos com a educação