Cidades e infâncias: a criança vai ao museu

  • Gerda Margit Schütz Foerste Universidade Federal do Espírito Santo
  • Sônia Maria de Oliveira Ferreira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Dulcemar da Penha Pereira Uliana Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Museus. Infância. Mediações.

Resumo

O artigo discute a mediação de espaços expositivos na formação da criança na cidade. Problematiza a estrutura desses espaços com orientação voltada ao público adulto. Fundamenta-se no conceito vigotskiano de mediação semiótica e estabelece diálogo com autores como Agamben, Canevacci, Santos, entre outros, para dimensionar as infâncias nas territorialidades da cidade. Duas pesquisas referenciam o presente artigo e foram desenvolvidas em colaboração. A questão que o orienta é assim definida: como museus acolhem crianças e que sentidos elas lhes conferem quando os visitam? Nos dois casos analisados, as crianças foram conduzidas em grupos para visitas guiadas a espaços expositivos na cidade de Vitória. As visitas foram planejadas com as crianças e registradas em fotografias e vídeos, que foram posteriormente analisados. Os resultados permitem perceber que os espaços visitados não aguardavam crianças. Por outro lado, as crianças atribuem sentidos novos aos espaços expositivos, redimensionando-os a partir de seus interesses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gerda Margit Schütz Foerste, Universidade Federal do Espírito Santo
Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/Ufes), na linha de pesquisa Educação e Linguagens; líder do Grupo de Pesquisa Imagens, Tecnologias e Infâncias
Sônia Maria de Oliveira Ferreira, Universidade Federal do Espírito Santo
Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/Ufes); membro do Grupo de    Pesquisa Imagens, Tecnologias e Infâncias
Dulcemar da Penha Pereira Uliana, Universidade Federal do Espírito Santo
Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/Ufes); membro do Grupo de Pesquisa Imagens, Tecnologias e Infâncias

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e língua. In: AGAMBEN, G. Infância e história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

ARAÚJO, Vânia. C. Ética e estética tecendo um olhar a partir da criança. Cadernos de Pesquisa em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Pedagógico, Programa de Pós-Graduação em Educação. Vitória: PPGE, v. 11, n. 22, p. 107-120, jul./dez. 2005.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. Tradução de Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CANEVACCI, Massimo. A cidade polifônica: ensaio sobre a antropologia da comunicação urbana. São Paulo: Studio Nobel, 2004.

FERREIRA, Sonia Maria de Oliveira. A imaginação de Palácio e a mediação das imagens da cidade na educação infantil de Vitória. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013. Disponível em: <http://repositorio.ufes.br/handle/10/6086>. Acesso em: 3 jun. 2017.

KRAMER, Sônia. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças. Cadernos de Pesquisa, Fundação Getúlio Vargas, n. 116, jul. 2002.

LEITE, Maria Izabel. Educação estética e infância. Cadernos de Pesquisa em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Pedagógico, Programa de Pós-Graduação em Educação. Vitória: PPGE, v. 11, n. 22, p. 94-106, jul.-dez. 2005.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes. Por uma ética da responsividade: exposição de princípios para a pesquisa com crianças. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 1, p. 50-64, jan./abr. 2015. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol15iss1articles/pereira.pdf>. Acesso em: 3 jun. 2017.

SANTOS, Milton. O dinheiro e o território. In: SANTOS, Milton; BECKER, Bertha K. (Org.). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 3. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

SCHÜTZ-FOERSTE, Gerda Margit. Leitura de imagens: um desafio à educação contemporânea. Vitória: Edufes, 2004.

SCHÜTZ-FOERSTE, Gerda Margit; GUEDES, Michele. Desafios éticos na pesquisa educacional com crianças pequenas: a potência do agir ético. Anais do Grupeci, 2016. (no prelo)

ULIANA, Dulcemar da Penha Pereira. Experiência sensível na educação: um encontro com a arte. Disponível em: <http://repositorio.ufes.br/handle/10/1340>. Acesso em: 10 jun. 2017.

VALDETARO, Maruzza. “Olé”. Obra de arte, reprodução fotográfica. Disponível em: <http://www.secult.es.gov.br/?

id=/espacos_culturais/hotsites/maes/exposicoes/exposicoes_andamento>. Acesso em: 3 jun. 2017.

VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de. Educação da infância: história e política. Rio de Janeiro: DP&A, 2007.

VIGOTSKI, Lev Semenovitch. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, Lev Semenovitch. A formação social da mente. Tradução José Cipolla Netto. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VIGOTSKI, Lev Semenovitch. Psicologia pedagógica. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

VIGOTSKI, Lev Semenovitch. Denken und Sprechen. Basel: Beltz Taschenbuch, Germany, 2002.

Publicado
2018-09-17
Como Citar
Foerste, G. M. S., Ferreira, S. M. de O., & Uliana, D. da P. P. (2018). Cidades e infâncias: a criança vai ao museu. Educação, 41(2), 168-176. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.30545
Seção
Dossiê: Infância e cidade: diálogos com a educação