Metodologia da problematização: uma possibilidade para o desenvolvimento de competências crítico-reflexivas em contextos curriculares tradicionais

Palavras-chave: Aprendizagem ativa, Educação superior, Metodologias ativas

Resumo

O objetivo deste artigo é socializar uma situação de ensino-aprendizagem problematizadora na formação superior em saúde. A situação socializada foi desenvolvida com uma turma de 36 estudantes de um Curso de Nutrição em Santa Catarina, de organização pedagógica tradicional. Foi adotada a metodologia da problematização com o arco de Maguerez. Os estudantes, em disciplina de 40 horas/aula, dividiram-se em grupos, escolhendo uma parcela da realidade para realização das atividades, mediadas por tutoria semanal da professora. Pondera-se que os estudantes desenvolveram a capacidade de leitura de mundo, mobilizaram conhecimentos e articularam teoria e prática.
Conclui-se que a metodologia contribuiu para o desenvolvimento de competências crítico-reflexivas, de autonomia e de trabalho em equipe, representando oportunidade de aprendizagem significativa de aplicação viável em contextos curriculares tradicionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Rosane Paz Arruda Teo, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) Chapecó, SC, Brasil.

Carla Rosane Paz Arruda Teo Doutora em Ciências de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Docente do Curso de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Chapecó, SC, Brasil.

Aline Tecchio Borsoi, Prefeitura Municipal de Cordilheira Alta/SC

Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). Nutricionista da Secretaria Municipal de Educação de Cordilheira Alta, SC, Brasil.

Fátima Ferretti, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó)

Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Docente do Curso de Fisioterapia e do Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

Referências

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 6. ed. Joinville: UNIVILLE, 2006.

BALLARINA, M. L. G. S. et al. Metodologia da problematização no contexto das disciplinas práticas terapêuticas supervisionadas. Cadernos de Terapia Ocupacional, São Carlos, v. 21, n. 3, p. 609-616, 2013.

https://doi.org/10.4322/cto.2013.063

BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: uma reflexão teórico-epistemológica. Londrina: EDUEL, 2012a. https://doi.org/10.26694/reufpi.v4i3.4173

BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização em três versões no contexto da didática e da formação de professores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 12, n. 35, p. 101-18, 2012b. https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.5904

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 2, n. 2, p. 139-54, 1998. https://doi.org/10.1590/s1414-32831998000100008

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011. https://doi.org/10.5433/1679-0383.2011v32n1p25

BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização:fundamentos e aplicações. Londrina: EDUEL, 1999.BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização: uma alternativa metodológica apropriada ao ensino superior. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 16, n. 2, p.9-19, 1995. https://doi.org/10.5433/1679-0383.1995v16n3p09

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino aprendizagem. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

DEMO, P. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à

prática educativa. 54. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016. https://doi.org/10.9771/2317-1219rf.v13i13.3221

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 63. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2017.

LARROSA, J. Experiência e alteridade em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 2, p. 4-27, 2011. https://doi.org/10.17058/rea.v19i2.2444

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensinoaprendizagem

na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, 2008.https://doi.org/10.1590/s1413- 81232008000900018

UNOCHAPECÓ. Síntese do projeto pedagógico do curso de graduação em Nutrição (bacharelado). Chapecó:UNOCHAPECÓ, 2014. Disponível em:https://www.unochapeco.edu.br/static/data/portal/sites/ppc/57.pdAAcesso em: 18 ago. 2017. https://doi.org/10.23925/18093876.2017v15i1p200-220

REGO, H. M. C.; RODRIGUES, J. R. Metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: um método complementar para a educação em odontologia. Brazilian Dental Science, São José dos Campos, v.18,n.1,p. 34-43,2015.

STRECK, D. R. Metodologias participativas de pesquisa e educação popular: reflexões sobre critérios de qualidade. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 20,n. 58, p. 537-547, 2016. https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0443

VASCONCELLOS, C. S. Avaliação: concepção dialética-libertadora do processo de avaliação escolar. 16. ed. São Paulo: Libertad, 2006.

VIEIRA, M. N. C. M.; PANÚNCIO-PINTO, M. P. A Metodologia da Problematização (MP) como estratégia de integração ensino-serviço em cursos de graduação na área da saúde. Medicina, Ribeirão Preto, v. 48, n. 3, p. 241-248, 2015.

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p241-248

VILLARDI, M. L.; CYRINO, E. G.; BERBEL, N. A. N. A problematização em educação em saúde: percepções dos professores tutores e alunos. São Paulo: UNESP, 2015. https://doi.org/10.7476/9788579836626

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Teo, C. R. P. A., Borsoi, A. T., & Ferretti, F. (2019). Metodologia da problematização: uma possibilidade para o desenvolvimento de competências crítico-reflexivas em contextos curriculares tradicionais. Educação, 42(3), 486-495. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2019.3.29602
Seção
Outros Temas