Ação profissional e subjetividade: para além do conceito de intervenção profissional na psicologia

  • Fernando González Rey Universidade de Brasília
  • Daniel Magalhães Goulart Centro Universitário de Brasília
  • Marília dos Santos Bezerra Universidade de Brasília
Palavras-chave: Psicologia do desenvolvimento. Psicoterapia. Inclusão educacional. Assistência à saúde. Ação comunitária.

Resumo

O presente artigo visa apresentar e discutir possibilidades de sistemas de ações profissionais a partir da teoria da subjetividade em uma perspectiva cultural-histórica, de modo a avançar sobre temas e práticas historicamente ausentes na psicologia soviética. Para tanto, são discutidas ações profissionais em diferentes contextos, a saber, na psicoterapia, nas práticas escolares, na atuação em instituições de saúde e na comunidade. Essa proposta teórica implica uma concepção dialógica e não instrumental dos sistemas de ações profissionais e atribui uma forte importância à capacidade dos indivíduos e grupos de se posicionarem de forma ativa em seus diversos caminhos de vida, emergindo como sujeitos de suas próprias experiências. Nesse sentido, as práticas profissionais devem ser orientadas a favorecer o desenvolvimento humano, para além da resolução pontual de problemas específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando González Rey, Universidade de Brasília
Professor titular da Faculdade de Ciências da Educação e da Saúde do Centro Universitário de Brasília. Pesquisador colaborador da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília.
Daniel Magalhães Goulart, Centro Universitário de Brasília

Professor Adjunto do curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Educação e Psicologia do Centro Universitário de Brasília. Doutorando em Educação pela Universidade de Brasília, com estágio no Discourse Unit em Manchester, Reino Unido (CAPES). 

Marília dos Santos Bezerra, Universidade de Brasília

Professora adjunta da Faculdade de Psicologia do Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB). Doutoranda em Aprendizagem, Ação Pedagógica e Subjetividade na escola, pelo Programa de educação da Universidade de Brasília (UnB). 

Referências

BEZERRA, Marília Santos. Dificuldades de aprendizagem e subjetividade: Para além das representações hegemônicas do aprender. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

BLEICHMAR, Silvia. Conceptualización de catástrofe social: límites y encrucijadas. In: WAISBROT, D.; WIKINSKI, M.; SLUCKI, D.; TOPOROSI, S. (Org.). Clínica psicoanálitica ante las catástrofes sociales: la experiencia argentina. Buenos Aires: Paidos, 2003. p. 35-51.

DANIELS, Harry. Changing situations and motives. In: HEDEGAARD, M.; EDWARDS, A.; FLEER, M. (Org.). Motives in children development: cultural historical approaches. London: Cambridge University Press, 2012. p. 191-208.

FLEER, Marilyn. Conceptual play: foregrounding imagination and cognition during concept formation in early years education. Contemporary Issues in Early Childhood, v. 12, n. 3, p. 224- 237, 2011. https://doi.org/10.2304/ciec.2011.12.3.224

FLEER, Marilyn. The development of motives in children´s play. In: HEDEGAARD, M.; EDWARDS, A.; FLEER, M. (Org.). Motives in children development: cultural historical approaches. London: Cambridge University Press, 2012. p. 79-96.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Relación entre la metodología, la teoría y la investigación empírica en el estudio de la personalidad. Journal de Psicología, v. 10, n. 6, p. 21-42, 1989.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Psicoterapia y Personalidad: algunas reflexiones. Revista Cubana de Psicología, v. VII, p. 117-127, 1990.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Personalidad, salud y modo de vida. México: UNAM Campus Iztacala, 1993.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Epistemología cualitativa y subjetividad. São Paulo. EDUC, 1997.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Saúde e subjetividade: desafios para a investigação em psicologia da saúde. Universistas Psicológica, Brasilia, v. 1, n. 1, p. 25-44, 2000.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Sujeto y subjetividad: una aproximación histórico-cultural. México: D. F. Editora Thomson, 2002.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Personalidade Saúde e Modo de Vida. São Paulo. Thomson, 2004.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Thomson Learning, 2005.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Psicoterapia, subjetividade e pós modernidade: uma aproximação histórico-cultural. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Subjetividade e saúde: superando a clínica da patologia. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Advancing on the concept of sense: subjective and subjective configurations in human development. In: HEDEGAARD, M.; EDWARDS, A.; FLEER, M. (Org.). Motives in children development: cultural historical approaches. London: Cambridge University Press, 2012. p. 45-62.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Human motivation in question: discussing emotions, motives and subjectivity from a culturalhistorical standpoint. Journal for the Theory of Social Behavior, v. 45, n. 3, p. 1-18, 2014. https://doi.org/10.1111/ jtsb.12073

GOULART, Daniel Magalhães. Institucionalização, subjetividade e desenvolvimento humano: Abrindo caminhos entre educação e saúde mental. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

GOULART, Daniel Magalhães. Clínica, subjetividade e educação: uma integração teórica alternativa para forjar uma ética do sujeito no campo da saúde mental. In: GONZÁLEZ REY, F.; BIZERRIL, J. (Org.). Saúde, cultura e subjetividade: uma referência interdisciplinary. Brasília: UniCEUB, 2015. p. 34-57.

HEDEGAARD, Mariane. The dynamic aspects in children´s learning and development. In: HEDEGAARD, M.; EDWARDS, A.; FLEER, M. (Org.). Motives in children development: cultural historical approaches. London: Cambridge University Press, 2012. p. 9-27.

LEONTIEV, Alexei Nikolaevich. Deyatelnosti, Soznaniye, Lischnosti [Atividade, consciência, personalidade]. Moscou: Politizdat, 1975.

MIASICHEV, V. N. Lischnost e nevrozy [A personalidade e a neurose]. Leningrado: Editora Universidade de Leningrado, 1960.

MITJÁNS MARTÍNEZ, Albertina. La escuela como organización: sus possibilidades creativas y inovadoras. Revista Linhas Críticas, v. 1, n. 8, p. 45-56, 1999.

MITJÁNS MARTÍNEZ, Albertina. Inclusão escolar: desafios para o psicólogo. In: MITJÁNS MARTINEZ, A. (Org.). Psicologia Escolar e compromisso social. Campinas: Alínea, 2005, p. 105-127.

MITJÁNS MARTÍNEZ, Albertina. La perspectiva históricocultural y la educación especial: contribuciones iniciales y desarrollos actuales. Actualidades Investigativas en Educación, v. 9, n. esp., p. 1-28, 2009.

MOLL, Luis. Only life educates: Immigrant families, the cultivation of bileteracy, and the mobility of knowledge. In: PORTES, P.; SALAS, S. (Org.). Vygotsky in the 21st century society: advances in cultural historical theory and praxis with non-dominant communities. New York: Peter Lang, 2011. p. 151-161.

PORTES, Pedro. Vygorsky´s significance in advancing counseling and psychoterapy. In: PORTES, P.; SALAS, S. (Orgs.). Vygotsky in the 21st century society. New York: Peter Lang, 2011, p. 113-130.

ROSSATO, Maristela. O movimento da subjetividade na superação das dificuldades de aprendizagem. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

VASILYUK, Fedor. Coexperiencing psychoterapy as a psychotechnical system. Journal of Russian and East European Psychology, v. 52, n. 1, p. 1-58, 2015. https://doi.or g/10.1080/10610405.2015.1064721

YASNITSKY, Anton. Vygotsky circle during the decades of 1931-1934: Toward an integrative science of mind, brain and education. Tese (Doutorado) – Department of Curriculum, Teaching and Learning, University of Toronto, Toronto, 2009.

YASNITSKY, Anton. Revisionist revolution in Vygotskian science: toward cultural-historical Gestalt psychology. Journal of Russian and East European Psychology, v. 50, p. 3-15, 2012. https://doi.org/10.2753/RPO1061-0405500400

Publicado
2016-12-31
Como Citar
Rey, F. G., Goulart, D. M., & Bezerra, M. dos S. (2016). Ação profissional e subjetividade: para além do conceito de intervenção profissional na psicologia. Educação, 39(4), s54-s65. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.s.24379
Seção
Dossiê - Compreensões Interdisciplinares Teórico-metodológicas sobre Intervenção