Educação infantil: da diversidade de oferta aos novos locais de governança

  • Zara Figueiredo Tripodi Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Educação infantil. Política educacional. Plano Nacional de Educação. Governança.

Resumo

Este texto apresenta resultados preliminares de pesquisa que tem sido realizada no âmbito de pós-doutorado, no Centro de Estudos da Metrópole – USP/Cebrap. Busca-se examinar, aqui, as principais tendências de expansão da educação infantil pelos municípios, tendo como referência o novo Plano Nacional de Educação. Inicialmente, fazse uma breve retrospectiva dos marcos regulatórios da educação infantil. Discute-se, em seguida, o federalismo, a reforma do aparelho do Estado (1995) e sua interface com a educação das crianças pequenas. A instituição do PNE, as metas das capitais brasileiras para a primeira etapa da educação básica e os novos locais de governança são o foco de atenção seguinte do texto. Por fim, conclui-se que a publicação da Lei nº 13.019/2014 concorre para reafirmar a tendência de oferta da educação infantil pelo setor público não estatal, tendo em vista as metas do PNE.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zara Figueiredo Tripodi, Universidade de São Paulo
Formada em letras e pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, onde também cursou o mestrado em letras. Possui doutorado em educação (políticas públicas educacionais) pela USP. Atualmente, é pos-doutoranda no Centro de Estudos da Metrópole (USP/Cebrap, departamento de ciências políticas.

Referências

ABRUCIO, Fernando Luiz; GAETANI, Francisco. Avanços e perspectivas da gestão pública nos Estados: agenda, aprendizado e coalizão. In: Avanços e Perspectivas da Gestão Pública nos Estados. Consad, Fundap, 2006.

ABRUCIO, Fernando Luiz. Os avanços e dilemas do modelo pós-burocrático: a reforma da administração pública à luz da experiência internacional recente. In: BRESSER PEREIRA; Luiz Carlos; SPINK, Peter. Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006, p. 173-199.

ABRUCIO, Fernando Luiz; SEGATTO, Catarina Ianni. O manifesto dos pioneiros e o federalismo brasileiro: percalços e avanços rumo a um sistema nacional de educação. In: CUNHA et al. (org.). O Sistema Nacional de Educação – diversos olhares 80 anos após o manifesto. Brasília: MEC/SASE, 2014. p. 40-57.

ARRETCHE, Marta. Mitos da descentralização: mais democracia e eficiência nas políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais – Anpocs, v. 11, n. 34, p. 111-141, fev. 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo: Saraiva, 2012.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse estatística da educação básica. Brasília, DF: Inep, 2014.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 2014.

BRASIL. Lei nº 13.019, de 31 de julho de 2014. Diário Oficial da União. Brasília, 2014.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos; GRAU, Nuria Cunill. Entre o Estado e o mercado: o público não-estatal. In: BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos; GRAU, Nuria Cunill. O público nãoestatal na reforma do Estado. Rio de Janeiro: FGV, 1999. p. 15-47.

CAMPOS, Maria Malta. (coord.); BHERING, Eliana Bahia; ESPOSITO, Yara. et al. Educação infantil no Brasil: avaliação qualitativa e quantitativa. São Paulo: Fundaçã o Carlos Chagas; Ministério da Educação; Banco Interamericano de Desenvolvimento, 2010. (Relatório Final).

CAMPOS, Maria Malta. Educação infantil: o debate e a pesquisa. Cad. Pesq., Fundação Carlos Chagas, n. 101, p. 113-127, jul. 1997.

CAMPOS, Maria Malta; COELHO, Rita de Cássia; CRUZ, Silva Vieira. Consulta sobre a qualidade da educação infantil: Relatório Técnico Final. Textos FCC. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2006.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Um novo movimento da educação privada. In: ADRIÃO, Theresa; PERONI, Vera (org.). Público e privado na educação: novos elementos para o debate. São Paulo: Xamã Editora, 2008, p. 17-25.

DALE, Roger. A promoção do mercado educacional e a polarização da educação. Educação, Sociedade e Culturas, Porto, n. 2, p. 109-139, 1994.

DOURADO, Luiz Fernandes (org.). Plano Nacional de Educação (2011-2020): avaliação e perspectivas. Belo Horizonte; Goiânia: Editora UFG; Editora Autêntica, 2010.

DRAIBE, Sônia; HENRIQUE, Wilnês. “Welfare state”, crise e gestão da crise: um balanço da literatura internacional. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais – Anpocs, v. 3, n. 6, fev., 1988.

FARAH, Marta Ferreira Santos. Gestão Pública Municipal e Inovação no Brasil. In: ANDREWS, Christina W.; BARIANI, Edison. Administração Pública no Brasil – Breve História Política. São Paulo: Editora Unifesp, 2010.

GIDDENS, Anthony. A terceira via. Reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da social-democracia. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 2005.

GOLDSMITH, Stephen; EGGERS, Willian D. Governar em rede. O novo formato do setor público. Brasília: Enap, 2011.

JESSOP, Bob. The future of the capitalist state. Cambridge: Polity Press, 2003.

MARE (Ministério de Administração e Reforma do Estado). Plano Diretor da Reforma Administrativa do Aparelho do Estado. Brasília: Mare, 1995.

MORDUCHOWICZ, Alejandro. La asignación de recursos en sistemas educativos descentralizados de América Latina. In: GOUVEIA, Andréa B.; PINTO, José Marcelino R.; CORBUCCI, Paulo Roberto (org.). Federalismo e políticas educacionais na efetivação do direito à educação no Brasil. Brasília, DF: Ipea, 2011. p. 13-28.

PERONI, Vera. A relação público/privado e a gestão da educação em tempos de redefinição do papel do Estado. In: ADRIÃO, Theresa; PERONI, Vera (org.). Público e privado na educação: novos elementos para o debate. São Paulo: Xamã Editora, 2008. p. 111-127.

PINTO, José Marcelino Rezende. Federalismo, descentralização e planejamento da educação: desafios aos municípios. Cad. Pesq., Fundação Carlos Chagas, v. 44, n. 153, p. 624-644, jul.-set. 2014.

ROBERTSON, Susan; VERGER, Antoni. A origem das parcerias público-privadas na governança global da educação. Educ. Soc. Centro de Estudos Educação e Sociedade – Cedes, v. 33, n. 121, p. 1133-1156, out.-dez, 2012.

RHODES, R. A. W. The new governance: governing without government. In: Political Studies, XLIV, 1996. p. 652-667.

TRIPODI, Maria do Rosário Figueiredo. A instituição da agenda contratual na educação mineira: arquitetura de uma reforma, 2014, 313 p. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

Publicado
2016-12-22
Como Citar
Tripodi, Z. F. (2016). Educação infantil: da diversidade de oferta aos novos locais de governança. Educação, 39(3), 383-392. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.3.21890
Seção
Outros Temas