O processo de apropriação do gênero textual em sua dupla possibilidade de abordagem escolar

  • Marilúcia dos Santos Domingos Striquer Universidade Estadual do Norte do Paraná
Palavras-chave: Gêneros textuais. Instrumentos psicológicos. Gêneses instrumental.

Resumo

Partindo das concepções do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) sobre gêneros textuais e sobre instrumentos psicológicos (SCHNEUWLY, 2004) e de Rabardel (1995), a respeito de gênese instrumental, investigou-se em que medida os integrantes de um projeto de ensino integrado ao Pibid, que tem como base teórico-metodológica os gêneros textuais, apropriaram-se do gênero como um instrumento mediador e organizador do ensino da língua materna. De forma mais específica, a intenção, neste artigo, é conhecer se a base teórico-metodológica sobre os gêneros foi apropriada pelos membros do projeto após uma série de eventos. Para tanto, analisou-se um conjunto de respostas dadas pelos pibidianos a três diferentes questionários. Os resultados revelaram que a maioria dos investigados completou o processo da gênese instrumental, contudo dois deles demonstraram que a teoria estudada é ainda para eles artefato.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilúcia dos Santos Domingos Striquer, Universidade Estadual do Norte do Paraná
Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Professora Adjunta da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), campus Jacarezinho. Professora do Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS/UENP. Pesquisadora do Grupo de pesquisa Diálogos linguísticos e ensino: saberes e práticas (CNPQ/UENP).

Referências

BAKHTIN, Mikail. Estética da criação verbal. Tradução Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BRONCKART, Jean Paul. Atividade de linguagem, textos e discurso: por um Interacionismo Sociodiscursivo. Tradução Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. 2. ed. São Paulo: Educ, 2009.

BRONCKART, J. P.; MACHADO, A. R. Procedimentos de análise de textos sobre o trabalho educacional. In: MACHADO, A. R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004, p. 131 -163.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e cols. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004., p. 95-128.

FRIEDRICH, Janette. Lev Vigotski: mediação, aprendizagem e desenvolvimento – uma leitura filosófica e epistemológica. Tradução Anna Rachel Machado e Eliane Gouvêa Lousada. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

MACHADO, Anna Raquel; CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes. A construção de modelos didáticos de gêneros: aportes e questionamentos para o ensino de gêneros. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão/SC, v. 6, n. 3, p. 547-573, set./dez. 2006.

MACHADO, Anna Raquel; LOUSADA, Eliane. A apropriação de gêneros textuais pelo professor: em direção ao desenvolvimento pessoal e à evolução do ‘méttier’. Linguagem em (Dis)curso, Palhoça/SC, v. 10, n. 3, p. 629-633, set./dez. 2010.

NASCIMENTO, Elvira Lopes (org.). Gêneros textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. São Carlos: Claraluz, 2009.

_______. Mediações formativas na perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo. Mesa-Redonda Práticas Docentes na Educação Profissional: perspectivas e desafios. II Seminário das Áreas de Conhecimento da Base Comum: aprendizagens na educação profissional técnica e tecnológica. Dourados, MT: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (UFMT), 2012. Cópia interna.

PARANÁ. Diretrizes Curriculares de Língua Portuguesa para os anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Curitiba: SEED, 2009.

RABARDEL, Pierre. Les hommes et les technologies. Approche cognitive des instruments contemporains. Paris: Armand Colin, 1995.

SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros e tipos de discurso: considerações psicológicas e ontogenéticas. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado das Letras, 2004. p. 21-40.

VYGOTSKY, Levi Semenovitch. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Organizadores Michael Cole et al. Tradução José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Publicado
2016-12-22
Como Citar
Striquer, M. dos S. D. (2016). O processo de apropriação do gênero textual em sua dupla possibilidade de abordagem escolar. Educação, 39(3), 357-362. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2016.3.21186
Seção
Outros Temas