Um currículo entre formas e forças

  • Marlucy Alves Paraíso UFMG
Palavras-chave: Currículo. Diferença. Formas e forças.

Resumo

Este artigo focaliza processos de diferenciação ocorridos nos currículos escolares e cenas de um livro – A contadora de filmes – para mostrar, por um lado, como as formas de um currículo são capazes de produzir rotinas, aprisionar as forças, dividir e desanimar. Por outro lado, este trabalho também pretende mostrar que a diferença, entendida como motor da vida, pode sempre ser reativada, já que na vida é sempre possível um encontro ou uma conexão capaz de reativar forcas. Este artigo defende, então, que em um currículo e na vida é sempre possível movimentos para deformar as formas, reativar as forças, instaurar possibilidades e ativar alegrias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlucy Alves Paraíso, UFMG
É professora do Departamento de Administração Escolar da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais desde 1995 e do Programa de Pós-graduação em Educação da mesma universidade desde 2003. Atualmente é Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da FAE/UFMG. É perquisadora do CNPq e Fundadora e Coordenadora do GECC: Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Currículos e Culturas da FAE/UFMG. É Professora Colaboradora do Mestrado em Currículo da Universidade Salesiana de Quito (Equador). Tem trabalhado uma vez por ano como professora visitante na Universidade de Valencia - Espanha. Paticipa do GT Curriculo da ANPEd desde 1992. Possui Pós-Doutorado (PHD) em Educação pela Faculdad de Filosofia y Ciências de la Educación de la Uiversidad de Valência Espanha (2009); Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002); Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995) e Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa (1992). Foi membro do Conselho Editorial de Educação em Revista (FAE/UFMG) durante 4 anos (de 2006 a 2010). Todos os seus trabalhos de ensino, pesquisa, extensao e orientação tem como foco os currículos escolares e não escolares. Investiga e orienta teses de doutorado e dissertações de mestrado principalmente nos seguintes temas: currículo e diferenças, curriculos e culturas, currículo e gênero, currículos escolares, políticas de currículos, curriculos e outros artefatos tecnoculturais, currículo e mídia.

Referências

ARTAUD, Antonin. Oeuvres completes. Paris: Gallimard, 1978.

ARTAUD, Antonin. Para terminar con el juicio de dios y otros poemas. Valencia: MCA, 2001.

ARTAUD, Antonin. El teatro y su doble. Barcelona: Edhasa, 2006.

CORAZZA, Sandra. Uma vida de professora. Ijuí: Unijuí, 2005.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DELEUZE, Gilles. Conversações – 1972-1990. São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 1998.

DELEUZE, Gilles. El intelectual y la política: sobre Foucault y la prision (Entrevista com Giles Deleuze). Archipiélago, Barcelona, n. 53, p. 68-74, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia. São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995a. v. 1.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995b. v. 2.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e

esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1996. v. 3.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1997a. v. 4.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 1997b. v. 5.

GAUTHIER, Clermont. Esquizoanálise do currículo. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 143-156, jun./jul.

GIL, José. Ele foi capaz de introduzir no movimento dos conceitos o movimento da vida: Entrevista. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 27, n. 2, jun./jul. 2002, p. 205-224.

LETELIER, Hernán Rivera. A contadora de filmes. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

ORLANDI, Luis. (Org.). A diferença. Campinas: Ed. UNICAMP, 2005.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Contribuições dos Estudos Culturais para o currículo. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 10, n. 55, p. 53-61, jan./fev. 2004.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo, desejo e experiência. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 277-293, maio/ago. 2009.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Diferença no currículo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 140, p. 587-604, 2010a. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000200014

PARAÍSO, Marlucy Alves. (Org.). Pesquisa sobre currículos e culturas: temas, embates, problemas e possibilidades. Curitiba: Editora CRV, 2010b.

PARAÍSO, Marlucy Alves. O currículo entre a busca por “bom desempenho” e a garantia das diferenças. In: SANTOS, Lucíola et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010c. p. 132-152.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e formação profissional em lazer. In: ISAYAMA, Hélder Ferreira (Org.). Lazer em Estudo. Campinas: Papirus, 2010d. p. 27-58.

PARAÍSO, Marlucy Alves. O desempenho como tecnologia de governo de estudantes no currículo. In: PEREIRA, Maria Zuleide Costa; LIMA, Idelsuite de Sousa. (Org.). Currículo e políticas educacionais. Campinas: Alínea, 2012. p. 87-104.

SILVA, Tomaz Tadeu. Manifesto por um pensamento da diferença em educação. In: CORAZZA, Sandra; SILVA, Tomaz Tadeu. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 9-17.

SPINOZA, Benedictus. Ética. Tradução e notas de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

TORRAS, Meri. Hábeas corpus. Cinco aperturas políticas del cuerpo. In: SCARANI, Stefano; CHINER Julia (Org.). Obertures del cós. Valencia: Universitat de Valencia, 2007. p. 69-72.

Publicado
2015-04-14
Como Citar
Paraíso, M. A. (2015). Um currículo entre formas e forças. Educação, 38(1), 49-58. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2015.1.18443
Seção
Dossiê - Estudos Culturais em Educação