Governamentalização do Estado, movimentos LGBT e escola: capturas e resistências

  • Maria Rita de Assis César Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • André de Macedo Duarte Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Jamil Cabral Sierra Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Palavras-chave: Foucault, Movimentos sociais LGBT, Políticas educacionais, Teoria queer.

Resumo

Com a noção de governamentalidade, Foucault refletiu sobre a constituição do Estado moder-no e suas tecnologias de condução da vida da população. Discutimos neste texto a relação entre Estado brasileiro, movimentos sociais LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) e a elaboração de políticas curriculares para a inclusão social e jurídica daquela população. Nossa hipótese é que o processo de governamentalização dessa população específica, a despeito de garantir avanços antidiscriminatórios, tem como consequência colateral o aprisionamento dos próprios movimentos sociais LGBT e das políticas educacionais a eles relacionados numa lógica identitária e normalizadora, que tende a pacificar suas demandas e arrefecer sua capacidade de crítica e autocrítica. Finalmente, recorremos à noção foucaultiana de estética da existência e de atitude queer para pensar novas formas de resistência pós-identitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Rita de Assis César, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
possui graduação em Ciências Biológicas (1988), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (1998), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2004) com estágio de pesquisa (Doutorado Sanduíche) na Universidade de Barcelona/Espanha. Pós-doutorado em Filosofia Contemporânea (Michel Foucault) na Universidade de Paris XII (2011-2012) sob a supervisão do Prof. Dr. Frédéric Gros. Atualmente é Professora Adjunta do Setor de Educação na Universidade Federal do Paraná - UFPR e professora do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado) - PPGE/UFPR. Pesquisadora do Núcleo de Estudos de Gênero (CNPq/UFPR) e coordenadora do Laboratório de investigações sobre corpo, gênero e subjetividade na educação (UFPR). Vice-coordenadora do GT 23 Gênero, sexualidade e educação da ANPED (2011-2013). Membro do Conselho Editorial da Educar em Revista (ISSN 0104-4060) e da Editora da UFPR. Experiência na área de Educação (Ensino) com ênfase nos estudos sobre corpo, gênero, sexualidade e subjetividade; atuando principalmente nos seguintes temas: poder, biopolítica, governamentalidade e estética da existência (M. Foucault); pós-estruturalismo; teorias de gênero; feminismo e teoria queer.
André de Macedo Duarte, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Pós-Doutorado pela Universidade de Barcelona com bolsa Capes (2003), Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1997), Bolsa Sanduíche CNPq na New School for Social Research (NY, 1995-1997), Mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1992) e Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1988). Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Paraná nos níveis de Graduação e Pós-Graduação em Filosofia desde 1998. Líder do Grupo de Pesquisa em Ontologia, Fenomenologia e Hermenêutica, cadastrado no CNPq e certificado na UFPR. Coordenador do GT Heidegger associado à ANPOF desde 2006. Membro do GT Pensamento Contemporâneo. Membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Fenomenologia e representante brasileiro no Círculo Latino-Americano de Fenomenologia (CLAFEN). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, Ética, Fenomenologia, Ontologia Fundamental e Hermenêutica, atuando principalmente na discussão dos seguintes autores e temas: diagnósticos filosóficos da Modernidade; biopolítica; técnica; Heidegger, Arendt, Foucault, Nietzsche e Agamben. Alguns textos acadêmicos estão disponíveis em http://works.bepress.com/andre_duarte/ Ou então: http://ufpr.academia.edu/AndréDuarte Outros textos encontram-se em http://[email protected]
Jamil Cabral Sierra, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Sou licenciado em Letras Português-Inglês pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1999), especialista em Linguística Aplicada também pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2002) e mestre em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (2004). Atualmente, sou professor assistente no Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná UFPR. Pesquisador do Núcleo de Estudo de Gênero - NEG (CNPq/UFPR) e do Laboratório de Investigações sobre Corpo, Gênero e Subjetividade em Educação LABIN-CGS (UFPR). Doutorando em Educação na UFPR, sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Maria Rita de Assis César. Experiência na área de Letras e Educação, com ênfase nos estudos sobre discurso, relações de gênero, corpo e sexualidade, subjetividade e teoria queer.
Publicado
2013-06-27
Como Citar
César, M. R. de A., Duarte, A. de M., & Sierra, J. C. (2013). Governamentalização do Estado, movimentos LGBT e escola: capturas e resistências. Educação, 36(2), 192-200. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/12908
Seção
Dossiê - Biopolítica, governamentalidade e educação