O programa de bolsas de incentivo à docência (PIBID) e a abordagem do ciclo das políticas: estabelecendo relações entre a formação de professores, a universidade e o contexto emergente

  • Michele Martelet Pontifícia Universidade Católica do RS - PUCRS
  • Marília Costa Morosini PUCRS
Palavras-chave: Formação de professores. Educação superior. Ciclo de políticas. PIBID. Contexto emergente.

Resumo

As discussões sobre a formação de professores, o processo de internacionalização dessas políticas e o contexto em que apresenta-se a Educação Superior vêm sugerindo novos rumos para essas temáticas em nível local/nacional/global. Diante disso, o objetivo deste trabalho é apresentar uma análise sobre o Programa de Bolsas de Incentivo à Docência (PIBID), promovendo uma aproximação com a abordagem do ciclo de Políticas e com as possíveis relações que ora surgem envolvendo essa política de formação de professores, a universidade e o contexto emergente. A relevância deste trabalho constitui-se a partir da abordagem do ciclo das políticas proposta por Ball e Bowe (1992), presente em Mainardes (2006), na tentativa de compreendermos com maior clareza as questões que envolvem o lócus de funcionamento do referido Programa, as novas diretrizes para as políticas públicas educacionais e a Educação Superior e, mais especificamente, o papel da universidade como instituição capaz de corroborar novas perspectivas, por meio de suas ações, para a educação no contexto emergente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKKARI, Abdeljalil. Internacionalização das Políticas Educacionais: transformações e desafios. Petrópolis: Vozes, 2011.

BALL, S.J.; BOWE, R. Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, London, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992. <http://dx.doi.org/10.1080/0022027920240201>.

BASTOS, Maria Helena Camara. O ensino superior no Brasil: um percurso histórico.in: VEIZLA, Cristinna (Org.). Historia de las universidades latinoamericanas: de la colonia a hoy. Córdoba: Universidad de Córdoba, 2013.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394/96. Brasília, 1996.

BRASIL. Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES no fomento a programas de formação inicial e continuada, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, n. 21, 30 jan. 2009a. Seção I, p. 1-2. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Ato2007-2010/2009/Decreto/D6755.htm>. Acesso em: 28 out. 2013.

CAMPOS, Fernanda Araújo Coutinho; SOUZA JUNIOR, Hormindo Pereira. Políticas Públicas para a Formação de Professores: desafios atuais. Revista Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 33-46, jan.-abr. 2011.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência. 2010. Disponível em: <http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid>. Acesso em: 23 nov. 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

GATTI, Bernardete A. Análise das políticas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, jan.-abr. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n37/06.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2013.

KUENZER, A. Z. A formação de educadores no contexto das mudanças no mundo do trabalho: novos desafios para as faculdades de educação. Educação e Sociedade, v. 19, n. 63, p. 105-125, ago. 1998.

MAINARDES, Jeferson. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Revista Educação&Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, jan.-abr. 2006. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: out. 2013.

MAZZEU, L. T. B. A política de Formação docente no Brasil: fundamentos teóricos e metodológicos. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32., 2009, Caxambu, MG. Anais... Caxambu, 2009.

PORTO, Claudio; RÉGNIER, Karla. O Ensino Superior no mundo e no Brasil – Condicionantes, tendências e cenários

para o horizonte 2003-2025. MEC, 2003. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/ensinosuperiormundobrasil tendenciascenarios2003-2025.pdf>. Acesso em: 28 out. 2013.

RODRIGUEZ, M. V.; VARGAS, M. B. A formação de professores na América Latina: um balanço dos debates nos fóruns internacionais 1966 – 2002. In: RODRIGUEZ, M. V.; VARGAS, M. B. (Org.). Políticas educacionais e formação de professores em tempos de globalização. Brasília: Liber Livro Editora/UCDB, 2008. p. 37-56.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000. 256 p.

TEIXEIRA, Antônio. Desconstruindo a universidade: Modelos universitários emergentes mais abertos, flexíveis e sustentáveis. RED, Revista de Educación a Distancia, n. 32, 30 sept. 2012. Disponível em: <http://www.um.es/ead/red/32>. Acesso em: 28 out. 2013.

TRUMBIĆ, Stamenka Uvalić. Unesco. In: MULLER, Vera (Trad.). Educação superior em um tempo de transformação: novas dinâmicas para a responsabilidade social. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

Publicado
2015-04-23
Como Citar
Martelet, M., & Morosini, M. C. (2015). O programa de bolsas de incentivo à docência (PIBID) e a abordagem do ciclo das políticas: estabelecendo relações entre a formação de professores, a universidade e o contexto emergente. Educação Por Escrito, 6(1), 68-80. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2015.1.17767
Seção
Artigos