Não há cegos, há cegueira

Reflexões acerca do capitalismo tardio em Ensaio Sobre a Cegueira, de José Saramago

Palavras-chave: Cegueira, José Saramago, Capitalismo

Resumo

Ensaio Sobre a Cegueira narra os eventos que se desenvolvem durante uma inexplicável epidemia de cegueira que acomete os habitantes de uma cidade não identificada. A narrativa acompanha um grupo de cegos, liderados pela mulher do médico, única personagem que pode enxergar, que se reúnem após serem isolados em um manicômio. Os eventos que acometem os cegos, o tratamento dado à epidemia pelo estado, a imagética apocalíptica, bem como as intervenções do narrador – o que dá ao romance seu caráter de ensaio – contribuem para reflexões acerca do paradigma industrial que rege o modo de vida da sociedade contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Aparecida Ferreira, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Assis, SP, Brasil.

Doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil; pós-doutorado em Teoria Literária pela Universidade de Coimbra. Professora de Literatura Portuguesa na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP/FCL-Assis), em Assis, SP, Brasil. 

João Carlos Soares dos Santos, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Assis, SP, Brasil.

Graduando em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras de Assis, em Assis, SP. Brasil. Desenvolve pesquisa sobre a obra de Jean-Paul Sartre financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

FRAYZE-PEREIRA, João A. O que é loucura? Brasiliense: São Paulo, 1984.

JAMESON, Fredric. A Interpretação: a literatura como ato socialmente simbólico. In: JAMESON, Fredric. O Inconsciente Político: a narrativa como ato socialmente simbólico. São Paulo: Ática, 1992. p. 15-103.

KANT, Immanuel. Resposta à pergunta: “Que é Esclarecimento?”. In: KANT, Immanuel. Textos seletos. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1985. p. 100-117.

MARX, Karl. Os despossuídos. Boitempo: São Paulo, 2017.

MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Boitempo: São Paulo, 2007.

MOSCATELLI, Renato. O pensamento político de Rousseau à luz do debate liberal- comunitário. Doispontos, São Carlos, v. 16, n. 1, p. 51-70, ago. 2019.

RÖHRIG, Maiquel. Uma leitura humanista de Ensaio sobre a cegueira, Ensaio sobre a lucidez e As intermitências da morte, de José Saramago. Nau literária, Porto Alegre, v. 7, n. 2, p. 1-16, jul./dez. 2011.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a economia política e do contrato social. Petrópolis: Vozes, 1996.

SARAMAGO, José. Ensaio sobre a cegueira. Companhia das Letras: São Paulo, 2017.

SARAMAGO, José. As intermitências da morte. Companhia das Letras: São Paulo, 2020.

SARAMAGO, José. Cadernos de Lanzarote (2). São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SARAMAGO, José. Saramago anuncia a cegueira da razão. [Entrevista concedida a] Bia Abramo. Folha de SPaulo, São Paulo, out. 1995. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1995/10/18/ilustrada/1.html. Acesso em: 22 jan. 2022.

SARAMAGO, José. A humanidade não merece a vida. Sabatina. Folha de S.Paulo, São Paulo, out. 2008. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2911200830.htm. Acesso em: 22 jan. 2022.

SARTRE, Jean-Paul. Que é a Literatura? São Paulo: Ática, 2004.

SILVEIRA, Gisele Fredes. O caos social na cidade fictícia de Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago. Nau literária, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 1-7, jul./dez. 2012.

VIEIRA, Julia Lemos. O problema da propriedade privada para o jovem Marx. Trans/Form/Ação, Marília, v. 42, n. 2, p. 123-150, abr./jun. 2019.

Publicado
2022-08-24
Como Citar
Ferreira, S. A., & Santos, J. C. S. dos. (2022). Não há cegos, há cegueira: Reflexões acerca do capitalismo tardio em Ensaio Sobre a Cegueira, de José Saramago. Navegações, 15(1), e42854. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2022.1.42854