Pelos olhos da criança

Ancestralidade, guerra e política em Ondjaki

Palavras-chave: Ondjaki, Literatura angolana, Representação da infância

Resumo

Este artigo analisa a presença de ancestralidade, guerra e política na obra de Ondjaki, autor angolano contemporâneo, do ponto de vista das personagens infantis de cinco romances: Os da minha rua, AvóDezanove e o segredo do soviético, A bicicleta que tinha bigodes, Uma escuridão bonita, e Bom dia camaradas. A ancestralidade em Ondjaki remete à tradição de muitas sociedades africanas: os antepassados permanecem como parte da família e participam da vida cotidiana, mesmo após a morte. A guerra civil do país se mostra de maneira sutil e leve, inclusive com traços de humor. A política permeia o cotidiano das personagens, com a presença das forças do Estado e de estrangeiros (cubanos e russos, em sua maioria) atuando como militares, médicos e professores em Angola. Podemos concluir que o autor lida com esses conteúdos com grande sensibilidade e de maneira poética, apesar da complexidade de tais temas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rachel Lourenço, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil.

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Literatura (Póslit) pela Universidade de Brasília (UnB); professora da Universidade de Brasília (UnB).

Jorge Morais, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil.

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Literatura (Póslit) pela Universidade de Brasília (UnB).

Referências

CHAVES, Rita. Angola e Moçambique: experiência colonial e territórios literários. Cotia/SP: Ateliê Editorial, 2005.

HONWANA, Luís Bernardo. Nós matamos do cão tinhoso. Sociedade de Imprensa de Moçambique, 1964.

KI-ZERBO, Joseph; MAZRUI, Ali; WONDJI, Christophe. Construção da nação e evolução dos valores políticos In: MAZRUI, Ali; WONDJI, Christophe. História geral da África, VIII: África desde 1935. Tradução de Luís Hernan de Almeida Prado Mendoza. Brasília: UNESCO, 2010. p. 597-600.

LEITE, Fábio. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. África: Revista do Centro de Estudos Africanos, n. 18-19, p. 103-118, dez. 1997.

MACHADO, Ana Maria. Contracorrente: conversas sobre leitura e política. São Paulo: Ática, 2001.

MAZRUI, ALI. et al. O desenvolvimento da literatura moderna In: MAZRUI, Ali; WONDJI, Christophe. História geral da África, VIII: África desde 1935. Tradução de Luís Hernan de Almeida Prado Mendoza. Brasília: UNESCO, 2010. p. 689-692.

MORSON, Gary; EMERSON, Caryl. Mikhail Bakhtin: criação de uma prosaística. Tradução de Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

ONDJAKI. Os da minha rua. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2007.

ONDJAKI. AvóDezanove e o segredo do soviético. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

ONDJAKI. A bicicleta que tinha bigodes. Rio de Janeiro: Pallas, 2012.

ONDJAKI. Uma escuridão bonita. Rio de Janeiro: Pallas, 2013.

ONDJAKI. Bom dia camaradas. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

ONDJAKI. Literatura angolana hoy: Uvigo. Publicado em 9 de abril de 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=19JoIQCNrV0&feature=youtu.be. Acesso em: 21 abril 2019.

ONDJAKI. Estigas – the place of creativity. TEDx Talks. Publicado em 16 outubro 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Ov5AXbUUf70. Acesso em 21 abril 2019.

PADILHA, Laura Cavalcanti. Entre voz e letra: o lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Pallas, 2007.

RUI, Manuel. Quem me dera ser onda. Editorial Caminho, 1982.

SILVA, Ana Cláudia da. A resistência da poesia angolana na literatura infantil de Ondjaki. In: Pantoja, S. (org.), Bergamo, E. (org.) e Silva, A. (org.) África contemporânea em cena: perspectivas interdisciplinares. São Paulo: Intermeios, 2014.

SILVA, Ana Cláudia da; FREIRE, Anna Isabel Santos. Avós de Angola. In: Pantoja, S. (org.), Bergamo, E. (org.) e Silva, A. (org.). Angola e as angolanas. São Paulo: Intermeios, 2016.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Lourenço, R., & Morais, J. (2020). Pelos olhos da criança: Ancestralidade, guerra e política em Ondjaki. Navegações, 13(2), e36215. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2020.2.36215
Seção
Artigos