O Estado da Arte ou o Estado do Conhecimento

Palavras-chave: Estado da Arte, Estado do Conhecimento, Educação Infantil

Resumo

O artigo inicia com uma discussão teórica do que são as revisões críticas dos modos de produção no campo da Educação reconhecidos como “Estado da Arte” e “Estado do Conhecimento”. São estudos que sistematizam o que foi produzido durante um período de tempo e área de abrangência, observando rastros deixados no percurso histórico de suas produções. Esses termos são comumente utilizados como sinônimos em variadas investigações, apesar das diferenças existentes. Na segunda parte é apresentado um balanço do que foi produzido entre 2003 e 2018, em quatro programas de pós-graduação de uma das universidades estaduais do Brasil, com tradição em investigação em Educação. Foram analisadas 54 produções (11 teses e 43 dissertações) referentes à Educação Infantil, desvelando seus achados e lacunas que poderão ser preenchidas em futuras pesquisas. O texto, busca demarcar as congruências e as divergências das concepções apresentadas e explicitar os percursos delineados no processo de construção do conhecimento na área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Maria Ramos de Vasconcellos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Doutora em Psicologia do Desenvolvimento & Social pela University of Sussex, UK; mestre em Psicologia Escolar pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professora aposentada da Universidade Federal Fluminense (1977 – 2002, Titular desde 1994) e professora titular aposentada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002 – 2019), membro do Programa de Pós-Graduação em Educação (Proped/UERJ).

Anne Patrícia Pimentel Nascimento da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professora da rede municipal de Educação do Rio de Janeiro. Psicopedagoga no Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPp/ UNISUAM) e tutora a distância de Pedagogia da UERJ/ Consórcio CEDERJ.

Roberta Teixeira de Souza, Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Turismo de Itaboraí, Itaboraí, RJ, Brasil.

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2019). Membro do Núcleo de Estudos da Infância: Pesquisa e Extensão (NEI:P&E/UERJ). Professora de Disciplinas Pedagógicas do Curso Normal – Formação de Professores (SEEDUC/RJ). Atua como Coordenadora da Educação Infantil na Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Turismo de Itaboraí/RJ. Tem experiência na área de Educação com ênfase em Formação de Professores, Educação Infantil e Políticas Públicas.

Referências

Abreu, R. S. (2017). Tia, eu fiz um desenho prá você! Investigando o desenho infantil a partir das narrativas de crianças pequenas e da prática pedagógica (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Almeida, A. G. de. (2017). A Roda de Conversa na escola da infância: (re) pensando as experiências de linguagens no cotidiano de uma unidade municipal de Educação Infantil (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Alves, F. de S. (2016). “Tem uma hora que aprendemos a contar na cabeça”: um estudo sobre a construção do número e o campo aditivo na educação infantil (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Aquino, L; M; L. Vasconcellos, V.; M.; R. (2011). Orientação Curricular para a Educação Infantil: Referencial Curricular Nacional e Diretrizes Curriculares Nacionais. In Vasconcellos, V. M. R. (Org.), Educação da Infância: História e Política (2. ed.). Niterói: Editora da UFF.

Braga, A. de O. (2016). “Solta o cabelo!”: etnografia sobre o cabelo crespo como marcador de identidade étnico-racial entre crianças negras da Educação Infantil (Dissertação de Mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Brandão, Z.; Baeta, A. M. B; Rocha, A. D. C. (1986). Evasão e repetência no Brasil: a escola em questão (2. ed.). Rio de Janeiro, RJ: Dois Pontos.

Brasil, M. G. de P. (2016). Espaço(s) na educação infantil: entre políticas e práticas (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Brzezinski, Iria. (2013). Estado do Conhecimento Sobre Formação de Profissionais da Educação: teses e dissertações do período 2003-2010. Indagatio Didactica, 5(2).

Carvalho, L. D. (2014) Caminhos de vida, percursos na educação da Infância: um estudo sobre a trajetória profissional da educadora Astrogildes Delgado de Carvalho (anos 1940-1980) (Tese de doutorado). Pós-graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Carpi, C. M. S. (2014). Tornar-se Docente: uma viagem pelas experiências formativas de professores da Educação Infantil do Centro Educacional de Niterói de 1980 a 2006 (Dissertação de mestrado). Pós-graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo.

Campos. K. P. B. (2012). Isabel na escola: desafios e prospectivas para a inclusão de uma criança com síndrome de down numa classe comum (Tese de doutorado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Cardoso, M. A. (2003). Cresça e Apareça: um estudo de caso sobre a construção da autonomia na Educação Infantil (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Campos, M. I. F. (2014). O PROINFANTIL no município do Rio de Janeiro: concepções de criança nos Projetos de Estudos (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Chervel, A. (1990). História das Disciplinas Escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 177-229.

Côco, V. A. (2010) Configuração do trabalho docente na Educação Infantil. Espírito Santo. Recuperado de http://www.anpae.org.br/iberolusobrasileiro2010/cdrom/118.pdf

Côco, V. (2010). A configuração do trabalho docente na educação infantil. In Congresso Ibero-Luso Brasileiro de Política e Administração da Educação.

Costa. T. G. (2011). Movimentos Sociais e direito à educação infantil em São Gonçalo: perspectivas, dilemas da política dos convênios do poder público e creches comunitárias (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Coutinho, A. L. (2017). Políticas de currículo: relação família e escola nos textos políticos para Educação Infantil (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

D’almeida, K. P. de M. (2009). Educação Infantil e Direito: práticas de controle como campo de análise (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

D’almeida, K. P. de M. (2014). A obrigatoriedade da educação infantil: governamentalidade e refinamento das técnicas de governo (Tese de doutorado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Dinis, A. C. (2018). Representação semiótica: uma perspectiva para a construção do conceito de número na educação infantil (Dissertação de mestrado) Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Dornelles, P. de O. (2016) A Creche UFF e sua Flor de Papel – uma análise sobre a produção de conhecimento de uma biblioteca escolar infantil (Dissertação de mestrado. Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Drumond, R. C. R. (2014). Educação Infantil- Ensino Fundamental: possibilidades de produções curriculares no entre-lugar (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Elia, R. (2018). Um turista aprendiz nos Parques Infantis: Mário de Andrade, viagem e educação (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Endlich, A. R. F. G. (2017). Ambientes para a Educação Infantil: o Proinfância em Quatis (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Fabricante, B. S. (2012) Investigando caminhos formativos de professoras da(s) infância(s) em Rio Bonito: o curso normal em questão (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Faria, C. E. C. (2018). Políticas Públicas de Educação Infantil no município de Duque de Caxias – RJ: de 2007 a 2017 (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Fernandes, L. S. (2012). O portfólio na formação docente como espaço de produção curricular na Educação Infantil: o PROINFANTIL em Mesquita - RJ (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Ferreira, N. S. de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, 79, 2002.

Ferreira, N. S. de Almeida et al. (2001). A pesquisa sobre leitura no Brasil: 1980-1995 (1. ed.). Campinas: Komedi: Arte e Escrita

Frangella. R. C. P. (2006). Na procura de um curso: currículo-formação de professores-Educação Infantil Identidade(s) em (des)construção (?) (Tese de doutorado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Brasil.

Gatti, B. A. (2002). A construção da Pesquisa em Educação no Brasil. Brasília: Plano Editora.

Gil, M. de O. G. (2018). Políticas Públicas de Educação Infantil no Município do Rio de Janeiro: Berçário em Foco (2009 – 2016) (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Lamare, F. de F. de. (2016). Contradições na concepção de formação humana nas políticas de Educação Infantil no Brasil: o que revelam os documentos do período de 2003 a 2010 (Tese de doutorado). Programa de Políticas Públicas e Formação Humana, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Lima, F. F. de S. (2016). “9/5”: Tempo(s) e Espaço(s) na Educação da Pequena Infância numa Escola Pública do Município de Niterói (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores. Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. São Gonçalo, Brasil

Lopes, A. B. P. (2015). Habitar o presente, fazer um mundo: movimentos de crianças e adultos em uma escola de educação infantil. (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Maia, S. N. L. (2011). Leituras e produções de imagens no cotidiano de uma escola de Educação Infantil: possibilidades de construção de conhecimento (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Mattos, P. G. G. (2013). O curso de Pedagogia da Faculdade de Formação de Professores da UERJ a partir de narrativas de formação de professoras das infâncias (Dissertação de mestrado). Pós Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Melro. R. dos S. (2013). Percursos de uma Educação de crianças: o que as vozes infantis têm a nos ensinar? (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores de São Gonçalo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo.

Mendes, J. da S. (2018). Programa “Mais Infância”: o direito ao atendimento educacional na primeira infância no munícipio de Niterói (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Menezes, L.B. D de. (2010). Especialmente recomendado para menores de seis anos. (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de= Janeiro, Brasil.

Miceli, P. de A. M. (2017). Negritude nas Práticas Pedagógicas da EEI-UFRJ. Estudo das Relações Etnico- Raciais na Escola de Educação Infantil da UFRJ (Dissertação de mestrado). Faculdade em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Miranda, D. R. (2016). Educação Infantil em contextos rurais: perspectivas presentes na produção acadêmica da última década (2000-2010) (Tese de Doutorado). Centro de Educação e Humanidades, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Moraes, R. M. (2007). Conselhos Tutelares e Educação Infantil: Impasses Desafios e Tensões. Avanços e Retrocessos de uma Relação em Construção (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Morais, A. P. S. (2018) Por uma espreita infantil: fazer-se professora entre os movimentos do imperceptível. (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

OLIVEIRA, R. T. (2017). Audiovisualidades praticadas nos/com os cotidianos da Educação Infantil como dispositivos para autoformação e formação docente continuada (Dissertação de mestrado). Centro de Educação e Humanidades, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

OLIVEIRA, C. G. de. (2017). “Que rei sou eu?” Escolas Públicas de Excelência, Políticas Educacionais e Currículo: uma análise sobre o processo de instituição da Educação Infantil no Colégio Pedro II (Tese de doutorado). Centro de Educação e Humanidades, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Pereira. R. R. (2012). Pesquisa com Crianças. Infância em Pesquisa, v. 1.

Peres, S. P. V. (2017). Por Uma Política Nacional Para a Educação Infantil: Os Cadernos da COEDI (1994 -1998) (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil

Pimentel, A. P. (2016). 12 anos (2003-2015) de Educação Infantil na UERJ: entre teses e dissertações (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Pires, M. I. (2016). Educação Sexual: significações que circulam e disputam hegemonia em textos curriculares de Educação Infantil no Município de Duque de Caxias – RJ (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Reis, A. C. C. (2014) Formação docente para a infância: o legado de Heloísa Marinho (1934 – 1938) (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. Brasil.

Ribeiro, R. (2018) Uma análise do Programa “Mais Infância”: concepções e ações envolvidas na implementação da política pública para a Educação Infantil em Niterói (2013-2016) (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Rocha, E. C. 1999. A Pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia (Tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brasil.

Rocha, E. C; Silva Filho, J. J.; Strenzel, G. R. (Orgs.). (2001). Educação Infantil (1983-1996). Brasília: MEC/Inep/Comped. (Série Estado do Conhecimento n. 2). Recuperado de http://www.inep.gov.br/download/cibec/2001/estado_do_conhecimento/serie_doc_educacão_infantil.pdf/

Rocha, E. C; Romanovski, J. P. (set./dez. 2006) As pesquisas denominadas do tipo o Estado da Arte em educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, 6(19), 37-50. Rodrigues, D. A. dos S. (2018). Mais Infância para quem? Problematizando o “Programa Mais Infância” a partir de vozes de crianças no cotidiano de uma Unidade Municipal de Educação Infantil em Niterói (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. São Gonçalo, Brasil.

Romanowski, J. P. (2002). As licenciaturas no Brasil: um balanço das teses e dissertações dos anos 90. São Paulo: Faculdade de Educação da USP.

Romanowski, J. P & ENS, Romilda Teodora. (2006). As pesquisas denominadas do tipo” Estado da Arte. Revista Diálogo Educacional, 6(19).

Rosa. F. J. P. da. (2012). O dispositivo da sexualidade enquanto enunciador do professor-homem no magistério das séries iniciais e na educação infantil (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Rossato, B. C. L. (2017). Aprendizagens de gênero-sexualidade na/com a Educação Infantil: apontamentos para pensar os currículos (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

Santos, E. C. R. dos. (2018). Dança na Escola de Educação Infantil da UFRJ: proposta pedagógica e práticas docentes (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Santos, R. (2018). Bidocência na Educação Infantil do Colégio Pedro II: possibilidades e desafios narrados pelas professoras (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Santos, A. (2018). A Educação das Relações Étnico-Raciais na Creche: uma leitura a partir do espaço institucional (Tese de doutorado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Silva, J. V. da. (2016). Indagações sobre a relação entre currículo e o uso das mídias digitais: O projeto KidSmart na Educação Infantil do Município do Rio de Janeiro (Dissertação de mestrado). Pós Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil.

Silva, M. M. (2016). Formação do leitor literário na Educação Infantil (Tese de doutorado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Silva, M. do N. (2016). O que aprendemos com os bebês? Uma experiência de pesquisa no berçário de uma creche pública de Niterói (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Silva, T. N. da. (2018). Escrever, refletir, compartilhar: marcas da formação continuada em registros de uma professora das infâncias (Dissertação de mestrado). Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Brasil.

Siqueira, M. C. D. (2017) Todos na roda: o uso da Comunicação Alternativa e Ampliada em uma escola de Educação Infantil (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Souza, Y. C. (2009). Atravessando a Linha Vermelha: Programa “Nova Baixada” de Educação Infantil - Discutindo a diversidade étnico-racial e cultural na formação docente (Dissertação de mestrado). Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Brasil.

Souza, R. T. de. (2019). Políticas Públicas de Educação Infantil no município de Itaboraí/RJ: ampliação e acesso à creche (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2019.

Soares, M. (1989). Alfabetização no Brasil – O Estado do conhecimento. Brasília: INEP/MEC.

Soares, M., Maciel, F. (2000). Alfabetização – Série Estado do Conhecimento. Brasília: MEC/INEP.

Sposito, M. P. (2009). O Estado da Arte sobre Juventude na Pós-Graduação Brasileira: Educação, Ciências Sociais e Serviço Social (1999-2006). Belo Horizonte, MG: Argvmentvm.

Sposito, M. P. (2009). Os jovens na Pós-Graduação: um balanço da produção discente em Educação, Serviço Social e Ciências Sociais (1999-2006)”, In Sposito, M. P., O Estado da Arte sobre Juventude na Pós-Graduação Brasileira: Educação, Ciências Sociais e Serviço Social (1999-2006) (Vol. 1, pp. 17-56). Belo Horizonte, MG: Argvmentvm.

Torres, L. L., Palhares, J. A. (2014). Metodologia de investigação em Ciências Sociais da Educação. Instituto de Educação da Universidade do Minho, Minho: Edições Húmus.

Vasconcellos, V. M. R. (2008). Ordenamento Legal para a educação infantil e os desafios para os gestores municipais. In Vasconcellos, T. (Org.), Reflexões sobre infância e cultura. Niterói: EDUFF.

Zadminas, M. R. (2016). PEI egressos da UERJ no facebook: uma busca pelas falas a respeito dos saberes e prática no berçário carioca (Dissertação de mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Vasconcellos, V. M. R. de, Nascimento da Silva, A. P. P., & de Souza, R. T. (2020). O Estado da Arte ou o Estado do Conhecimento. Educação, 43(3), e37452. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.3.37452
Seção
Artigos