A Função do educador na creche sob a abordagem psicanalítica

Uma revisão integrativa

Palavras-chave: bebê, creche, psicanálise, educação, linguagem

Resumo

A creche é um espaço privilegiado para o desenvolvimento infantil e envolve questões sobre a separação mãe-bebê. O educador que atua na creche vivencia alguns conflitos sobre a maternagem dos bebês. Diante disso, realizou-se uma revisão integrativa da literatura, entre os anos de 2002 e 2016, com o objetivo de apresentar a contribuição dos conceitos psicanalíticos para definir a função do cuidador/educador na creche. Quatorze publicações, que se enquadram nas questões da presente pesquisa, foram utilizadas como referência. A maioria dos estudos analisados destacaram a importância da primeira infância na constituição do aparelho psíquico a partir dos conceitos psicanalíticos fundantes. Sendo assim, infere-se que o cuidador/educador na creche é um mediador na constituição psíquica do bebê, inserindo a criança no campo da linguagem e operando na função materna e paterna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hellen Terluk Gnatta, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa, PR

Especialista em Teoria Psicanalítica e Práticas Institucionais em Saúde Mental pela Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) em Ponta Grossa, PR, Brasil.

Juliana Marcolino-Galli, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, PR

Mestre em Psicologia Clínica com ênfase em psicanálise pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) Diretora do departamento de Psicologia e Professora na Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), em Irati, PR, Brasil.

Cléa Maria Ballão, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, PR

Universidade Estadual do Centro-Oeste, Irati, Paraná. Mestre em Psicologia Clínica com ênfase em Psicanálise, UFPR-PR; Docente do Departamento de Psicologia, UNICENTRO

Referências

Bogéa Borges, I. (2010). Primórdios-CPRJ, Rio de Janeiro, v. 1(1), n. 1, p. 73-93, 2010. CF Brasil

Brandão, D. (2012). Educador de creche e constituição subjetiva de bebês: uma articulação [Apresentação de Trabalho]. In Proceedings of the 9th retratos do mal-estar contemporâneo na educação (pp.1-10). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. http://www.proceedings.scielo.br/pdf/lepsi/n9/a01n9.pdf.

CF Brasil. (1988). Emenda Constitucional de 1988.

de Lemos, M. (2002). A Língua Que Me Fala: Uma Análise dos Estudos em Aquisição da Linguagem. Mercado Das Letras.

de Souza Dias, I. (2010). A relação educadora-bebê: Laços possíveis [Dissertação de mestrado]. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. http://hdl.handle.net/10183/24819

Fischer Bernardino, L., & Kamers, M. (2003). A creche e o brincar: alternativas para a educação no primeiro ano de vida. Estilos da Clínica, (15), 48-57. de, Julho/Dezembrode, 5-14. https://doi.org/10.20396/cel.v33i0.8637091Elia, L. (2010). O conceito de sujeito (3rd ed.). Zahar.

Fernandes, S. A. (2012). A escuta e as palavras nos anos iniciais da vida: diálogos entre os bebês, a psicanálise e a educação infantil [Dissertação de mestrado]. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. http://hdl.handle.net/123456789/591

Ferreira, T. (2000). A escrita da clínica: psicanálise com crianças (2nd ed., p. 141). Belo Horizonte: Autêntica.

Fischer Bernardino, L., & Kamers, M. (2003). A creche e o brincar: alternativas para a educação no primeiro ano de vida. Estilos da Clínica, (15), 48-57.

Flach, F. (2006). Educação Infantil: A educação e o cuidado enquanto espaços de subjetivação [Dissertação de mestrado]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. http://hdl.handle.net/10183/8343

Flach, F., & Orgler Sordi, R. (2007). A educação infantil escolar como espaço de subjetivação. Estilos da Clínica, 12(22), 80-99.

Freud, S. (1988). O ego e o id (José Octavio de Aguiar Abreu, Trad.). In J. Salomão (Dir. geral), Edição Standard Brasileira das Obras psicológicas completas de Sigmund Freud (2 ed., Vol. 19, pp. 33-40). Rio de Janeiro, Brasil: Imago. (Trabalho original publicado em 1923).

Freud, S. (1988). Projeto para uma psicologia científica (José Octavio de Aguiar Abreu, Trad.). In J. Salomão (Dir. geral), Edição Standard Brasileira das Obras psicológicas completas de Sigmund Freud (2 ed., Vol. 1, pp. 385-529). Imago. (Trabalho original publicado em 1950).

Guimarães de Lemos, C. (1997, Julho/Dezembro). Native speaker’s intuitions and metalinguistic abilities: what do they have in common from the point of view of language acquisition?. Cadernos de Estudos Linguísticos, (33), 5-14. https://doi.org/10.20396/cel.v33i0.8637091

Merlo, Á. R. C. (2006). A psicodinâmica do trabalho dos analistas de informática [Apresentação de Trabalho]. In Sei, M. B.; Reis, M. E. B. T. (Orgs.), Psicologia & informática: Produções do III. Psicoinfo, II. Jornada do NPPI (pp. 10-19). Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, São Paulo, Brasil. https://bit.ly/399zImG

Kupfer, M., Cavagionni, A., & Anconi, A. (2012). As posições discursivas dos educadores de creche e seus efeitos nas práticas com bebês [Apresentação de tTrabalho]. In Proceedings of the 9th retratos do mal-estar contemporâneo na educação (pp.1-12). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. http://www.proceedings.scielo.br/pdf/lepsi/n9/a46n9.pdf

Lacan, J. (1964). O Seminário, Livro 11: Os Quatro Conceitos Fundamentais da Psicanálise (2nd ed.). Jorge Zahar Editor.

Maia, S. (2011). Artesã do desejo: A função das educadoras da creche na constituição subjetiva de bebês [Dissertação de mestrado]. Universidade Estadual de Londrina.

Mariotto, R. (2007). A função do educador de creche no desenvolvimento e na subjetivação de bebês [Apresentação de trabalho]. In Anais do VII Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, Curitiba, PR, Brasil.

Marcolino Galli, J. (2013). A relação memória-linguagem nas demências: abrindo a caixa de pandora [Tese de doutorado]. LAEL/PUC-SP.

Meireles, F. (2013). Desenvolvimento Infantil: Um olhar psicanalítico sobre as práticas pedagógicas [Monografia de Trabalho de Conclusão de Curso]. Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Monteiro, E. (2005). Sobre uma especificidade do ensino da Psicanálise na universidade: A formação de educadores [Tese de doutorado]. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Pereira, K. (2012). A que papel o professor de educação infantil vem sendo convocado? Aspectos do desenvolvimento da criança frente à escolarização [Dissertação de mestrado]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Schultz, L. (2002). A criança em situação de berçário e a formação do professor para a educação infantil [Tese de doutorado]. Universidade Estadual Paulista.

Sommerhalder, A. (2010). A educação e o cuidado da criança: O que advogam os documentos políticos do ministério da educação para a educação infantil? [Tese de doutorado]. Universidade Estadual Paulista.

Souza, A.O. (2014). A inserção de bebês na creche e a separação como operador simbólico [Dissertação de mestrado]. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.

Publicado
2020-07-16
Como Citar
Gnatta, H. T., Marcolino-Galli, J., & Ballão, C. M. (2020). A Função do educador na creche sob a abordagem psicanalítica: Uma revisão integrativa. Educação, 43(2), e32010. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2020.2.32010
Seção
Outros Temas