Abordagem disposicional como ferramenta para compreender o subcampo da Educação

Palavras-chave: disposições, pesquisa em educação, habitus, campo científico

Resumo

Este artigo propõe compreender aspectos da pesquisa em Educação no Brasil a partir do conceito de disposições, verificando-as em depoimentos de líderes de grupos de pesquisa. A abordagem se dá a partir da sociologia crítica, com base no arcabouço teórico desenvolvido por Pierre Bourdieu e Bernard Lahire. O material empírico é composto por entrevistas, cujo conteúdo foi categorizado através de análise qualitativa. Há evidências de disposições alinhadas àquilo que a literatura sociológica identifica como propriedades gerais do campo científico, como a competência para operar o ludus e a apetência e a competência para a interlocução. Ao mesmo tempo, emerge um conjunto de elementos que indicam disposições particulares ao subcampo da Educação, aqui caracterizadas como apetência para a intervenção socioeducacional. Tal característica, associada a ideias de emancipação e mudança social, pode ser reconhecida como uma das particularidades que compõe a singularidade da pesquisa educacional dentro do campo científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Elizabete Caregnato, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professora associada na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Bernardo Sfredo Miorando, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; bolsista de desenvolvimento institucional da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e pós-doutorando na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Ricardo Cortez Lopes, Faculdade CMB, Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; coordenador de Aprendizagem na Faculdade CMB e professor conteudista em cursos superiores de Ciências Sociais, em Porto Alegre, RS, Brasil.

Vinicius Foletto Bevilaqua, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia

Referências

BIANCHETTI, Lucídio; VALLE, Ione Ribeiro; PEREIRA, Gilson Ricardo de Medeiros Pereira. O fim dos intelectuais acadêmicos? Induções da Capes, desafios às associações científicas e a emergência do intelectual institucionalizado. Campinas: Autores Associados, 2015.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BOURDIEU, Pierre. Sociologia. (organizado por Renato Ortiz). São Paulo: Ática, 1983.

BOURDIEU, Pierre. Usos sociais da ciência. São Paulo: Unesp, 2004.

CAPES - Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório da Avaliação Quadrienal 2017. Educação. Brasília: CAPES: 2017. Disponível em: http://capes.gov.br/images/documentos/Relatorios_quadrienal_2017/20122017-Educacao_relatorio-de-avaliacao-quadrienal-2017_final.pdf

CAREGNATO, Celia Elizabete; LEITE, Denise; SFREDO MIORANDO, Bernardo. Pesquisadores e legitimidade científica no campo da Educação. Linhas críticas, v. 22, n. 47 , jan./abr. 2016, p. 189-209, 2016.

CAREGNATO, Célia Elizabete; SFREDO MIORANDO, Bernardo; LEITE, Denise. O campo da educação no Brasil: mudanças em atributos para legitimação dos pesquisadores. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 1, p. 211 - 232, jan./abr. 2018.

CNPQ - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Critérios de julgamento CA-ED. Brasília: CNPQ, 2015. Disponível em: http://cnpq.br/web/guest/view/-/journal_content/56_INSTANCE_0oED/10157/5966303

CUNHA, Renata Barrichelo; PRADO, Guilherme do Val Toledo. A produção de conhecimento e saberes do/a professor/a-pesquisador/a. Educar, Curitiba, n. 30, p. 251-264, 2007.

LAHIRE, Bernard. O homem plural: os determinantes da ação. Petrópolis: Vozes, 2002.

LAHIRE, Bernard. Retratos sociológicos: disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MANCEBO, Deise. Trabalho docente e produção de conhecimento. Psicologia & Sociedade, v. 25, n. 3, 2013.

PORTO-CARRERO, Vera. Filosofia, história e sociologia das ciências I: abordagens contemporâneas. SciELO-Editora FIOCRUZ, 1994.

SANTOS, Ana Lúcia Félix dos; AZEVEDO, Janete Maria Lins de. A pós-graduação no Brasil, a pesquisa em educação e os estudos sobre a política educacional: os contornos da constituição de um campo acadêmico. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 42, p. 534-550, set./dez. 2009.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Pós-graduação e pesquisa: o processo de produção e de sistematização do conhecimento. Revista Diálogo Educacional, v. 9, n. 26, 2009.

Publicado
2021-06-21
Como Citar
Caregnato, C. E., Miorando, B. S., Lopes, R. C., & Bevilaqua, V. F. (2021). Abordagem disposicional como ferramenta para compreender o subcampo da Educação. Educação, 44(1), e31745. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2021.1.31745
Seção
Outros Temas