Sobre a atualidade política da Teoria Crítica

Ciências sociais entre alienação e emancipação

Palavras-chave: Teoria Crítica, Emancipação, Alienação, Diagnóstico de realidade, Metodologia

Resumo

O objetivo deste texto, introdutório ao núcleo temático sobre a atualidade política da Teoria Crítica, é estabelecer um quadro referencial. Em um primeiro momento, coloca a questão da relação fundamental entre política, crítica e teoria social – atual já no tempo de Max Weber e na sua fundamentação das ciências sociais ao lado do político, a qual nunca perdeu a sua atualidade política. Em um segundo momento, por meio de uma retrospectiva histórica, são enfatizados aspectos fundamentais da forma de crítica da Teoria Crítica. Para tanto, recorremos a duas referências. Já Jean-Jacques Rousseau se ocupou da relação entre desigualdade e emancipação através de sua análise da alienação devida às condições sociais. Com Walter Benjamin a experiência com a política torna-se o ponto de partida para uma crítica da interconexão constitutiva entre o indivíduo e suas condições sociais. Ao assumir esses enfoques, a própria Teoria Crítica torna-se um instrumento para tornar o progressivo processo de sociação menos desigual e menos alienador – e a atualidade política permanente dessa escola de pensamento se torna evidente. Finalmente, sugerimos uma breve sistematização dos textos, em diálogo entre cientistas alemães e brasileiros, perguntando pelo lugar da política nas teorias sociais; pela relevância da política para diferentes teorias sociais atuais, notadamente pós-colonial e teoria crítica; por diagnósticos atuais de realidade feitos na perspectiva da Teoria Crítica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Benjamin Bunk, Justus-Liebig-Universität Gießen, Gießen, Deutschland.

Doutor em Ciências da Educação pela Friedrich-Schiller-Universität Jena, em Jena, Alemanha. Professor assistente na área Pedagogia da Juventude na Justus-Liebig-Universität Gießen, em Gießen, Alemanha.

Emil A. Sobottka, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutor em Sociologia e Ciência Política pela Westfälische Wilhelms-Universität Münster, em Münster, Alemanha. Professor na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

Adorno, Theodor W. 1978. Ideologia. In Temas básicos da sociologia. Max Horkheimer e Theodor W. Adorno, 2. ed., 184-205. São Paulo: Cultrix.

Adorno, Theodor W. [s. d.]. Educação após Auschwitz. Repositório. São Paulo. Acessado em 27 de dezembro de 2021. https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5090779/mod_resource/content/1/Adorno-Educacao-apos-Auschwitz.pdf.

Adorno, Theodor W. e Max Horkheimer. 2006. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar.

Adorno, Theodor W., Karl R. Popper, Ralf Dahrendorf, Jürgen Habermas, Hans Albert e Harald Pilot. 1973. La disputa del positivismo en la sociología alemana. Barcelona: Grijalbo.

Benjamin, Walter. 1984. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense.

Bohmann, Ulf e Paul Sörensen. 2019. Kritische Theorie der Politik. Berlin: Suhrkamp.

Bunk, Benjamin, e Emil A. Sobottka, orgs. 2020a. Zusammenhalt | diferença -. Soziale Passagen. Journal für Empirie und Theorie Sozialer Arbeit 12 (2): 209-463.

Bunk, Benjamin e Emil A. Sobottka. 2020b. Zusammenhalt und Differenz. Soziale Passagen 12 (2): 215-36. https://doi.org/10.1007/s12592-020-00367-w.

Demirović, Alex. 1999. Der nonkonformistische Intellektuelle: die Entwicklung der Kritischen Theorie zur Frankfurter Schule. Frankfurt am Main: Suhrkamp.

Forst, Rainer e Klaus Günther, orgs. 2021. Normative Ordnungen. Berlin: Suhrkamp.

Foucault, Michel. 1990. Qu’est-ce que la critique? Critique et Aufklärung. Bulletin de la Société Française de Philosophie 82 (2): 35-63.

Freire, Paulo. 1974. Uma educação para a liberdade. 4. ed. Porto: Dinalivro.

Horkheimer, Max. 1999. A presente situação da filosofia social e as tarefas de um instituto de pesquisas sociais. Praga: Estudos Marxistas 7: 121-32.

Jaeggi, Rahel e Tilo Wesche. 2013. Was ist Kritik? Berlin: Suhrkamp. http://nbn-resolving.de/urn:nbn:de:101:1-2014021412659.

Marchart, Oliver. 2013. Die politische Differenz Zum Denken des Politischen bei Nancy, Lefort, Badiou, Laclau und Agamben. Acesssado em 16 fev. 2022, https://nbn-resolving.org/urn:nbn:de:101:1-2014021412961.

Marcuse, Herbert. 1997. Filosofia e Teoria Crítica. In Cultura e sociedade, 2. ed., 137-60. São Paulo: Paz e Terra.

Musse, Ricardo. 2021. Cultura e sociedade na primeira Teoria Crítica. Tempo Social 33 (2): 267-88. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2021.181238.

Rosa, Hartmut. 2016. Resonanz: eine Soziologie der Weltbeziehung. Berlin: Suhrkamp.

Rousseau, Jean-Jacques. 1999 [1762b]. Emílio ou da educação. São Paulo: Martins Fontes.

Rousseau, Jean-Jacques. 2008 [1755]. Diskurs über die Ungleichheit: kritische Ausgabe des integralen Textes. Paderborn: Schöningh.

Rousseau, Jean-Jacques. 2010 [1762a]. O contrato social. Oeiras: Presença.

Rousseau, Jean-Jacques. 2013 [1755]. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Porto Alegre: L&PM.

Sobottka, Emil A. 1997. Ação comunicativa e filosofia da libertação como utopia: uma análise comparativa de Jürgen Habermas e Enrique Dussel. Veritas 42 (1): 13-34.

Spivak, Gayatri Chakravorty. 1999. A critique of postcolonial reason: toward a history of the vanishing present. Cambridge, Mass: Harvard University Press.

Weber, Max. 1982. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara.

Weber, Max. 1995. O sentido da “neutralidade axiológica” nas Ciências Sociais. In Metodologia das Ciências Sociais, Max Weber, 2. ed., 361-98 São Paulo: Cortez.

Weber, Max. 2006. A “objetividade” do conhecimento nas ciências sociais. São Paulo: Ática.

Wiggershaus, Rolf. 1991. Die Frankfurter Schule: Geschichte, theoretische Entwicklung, politische Bedeutung. 3. ed. München: DTV.

Publicado
2022-06-20
Como Citar
Bunk, B., & Sobottka, E. A. (2022). Sobre a atualidade política da Teoria Crítica: Ciências sociais entre alienação e emancipação. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 22, e42718. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2022.1.42718
Seção
Dossiê: Atualidade política da Teoria Crítica