Leitura de charges: questões metodológicas

Tamiris Machado Gonçalves

Resumo


A charge é um discurso complexo que se utiliza de vozes sociais contemporâneas a ela para edificar-se como gênero. Este artigo tem como tema a compreensão da charge sob a perspectiva do Círculo de Bakhtin, sobretudo das noções de signo ideológico, gêneros discursivos e vozes sociais. Construindo com a psicolinguística uma interface para entender os processos cognitivos implicados na leitura desse gênero, busca-se também o entendimento do conceito de compreensão leitora. Ademais, são apresentadas informações acerca do Google Formulários, tecnologia on-line que permite a construção de atividades envolvendo charges. A partir do estudo de duas charges de Latuff, publicadas uma em 2014 e outra em 2015 no endereço eletrônico Sul 21, busca-se entender a atividade enunciativa que as constitui: quais recursos são mobilizados para a edificação de seus sentidos. Para tanto, verifica-se como se dão as relações dialógicas entre as charges e os enunciados anteriores que com elas se relacionam para se constituir como gênero na cadeia da comunicação discursiva. Com as discussões em torno dos sentidos construídos, será possível perceber que todo discurso é dialógico, isto é, todo discurso estabelece uma necessária relação com outros discursos, desencadeando diferentes sentidos.


Palavras-chave


Charge jornalística; Construção de sentidos; Interface teórica

Texto completo:

PDF

Referências


BAKTHIN, M. Gêneros do Discurso (1952-1953). In: ______. Estética da Criação Verbal (1979). Trad. Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M/VOLOCHÍNOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem (1929). Trad. Michel Laud e Yara Frateschi. São Paulo: Hucitec, 2009.

BALIEIRO JR, Ari Pedro. Psicolingüística. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Cristina Bentes. Introdução à linguística: domínios e fronteiras. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

BUBNOVA, Tatiana. Prólogo. In: Bajtin , Mijail. Yo también soy: fragmentos del outro. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: EGodot Argentina, 2015.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Disponível em: . Acesso em: jun. 2013.

BRASIL, Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o ensino médio. Disponível em

pdf>. Acesso em: jun. 2013.

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola, 2009.

VOLOCHÍNOV, V. A. a palavra na vida e na poesia. Introdução ao problema da poética sociológica (1926). In: BAKHTIN, M. Palavra própria e palavra outra na sintaxe da enunciação. São Carlos: Pedro e João Editores, 2011.

TOMICH, Lêda Maria Braga. Desvelando o processo de compreensão leitora: protocolos verbais na pesquisa em leitura. Signo. Santa Cruz do Sul, v. 32, n. 53, p. 42-53, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2016.

KLEIMAN, Leitura: ensino e pesquisa. Campinas: Pontes, 2008.

SMITH, Frank. Leitura significativa. Trad. Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: ARTMED, 1999.

______. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender a ler. Trad. Daise Batista. Porto Alegre: ARTMED, 2003.

SLAMA-CAZACU, Tatiana. Psicolingüística aplicada ao ensino de línguas. Trad. Leonor Scliar-Cabral. São Paulo: Pioneira, 1979.

PEREIRA, Vera Wannmacher. Estratégias de E-book. In: Signo. Santa Cruz do Sul, v. 34, n. 56, p. 80-89, dez. 2009. Disponível em: .

Acesso em: 07 abr. 2016>.

PEREIRA, Vera Wannmacher. A predição na teia de estratégias de compreensão leitora. In: Confluência, Rio de Janeiro, v. 1, p. 81-91, 2012. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2016.2.23809

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Letras/Linguística 

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICOS NO QUADRIÊNIO 2013/2016 - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS