Infância e cidade: restrições e possibilidades

Manuel Jacinto Sarmento

Resumo


A maior parte das crianças do mundo vive em cidades. Estas, cada vez mais marcadas por fenômenos de superpopulação, congestionamento de tráfego, aumento de indicadores de poluição, de insalubridade e de risco. E a população urbana não tem parado de aumentar. Porém, não são apenas esses os fatores que influenciam a vida das crianças na cidade. Como a investigação sociológica da infância tem vindo a assinalar, a vida das crianças exprime a complexidade das realidades sociais contemporâneas, podendo associar-se aos contextos urbanos, tanto fatores de restrição da cidadania da infância quanto fatores de possibilidade. A partir da caraterização desses fatores, procura-se, neste texto, fundamentar políticas públicas que potenciam o bem-estar das crianças e a afirmação dos seus direitos em contexto urbano.


Palavras-chave


Infância. Cidade. Cidadania. Direitos da criança. Sociologia da Infância.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Vania Carvalho de. Pensar a cidade, as crianças e sua educação. Educação (UFSM), v. 43, n. 2, abr./jun. 2018.

ARAÚJO, Vania Carvalho de; CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. As possibilidades de uma experiência compartilhada entre adultos e crianças na cidade. Pro-Posições, v. 28, suppl.1, p. 111-131, 2017.

ARENHART, Deise. Culturas infantis e desigualdades sociais. Petrópolis: Vozes, 2016.

BARRA, Sandra Marlene Mendes. A infância na latitude zero: as brincadeiras da “criança global” africana. Tese (Doutoramento em Estudos da Criança) – Universidade do Minho, Braga, 2016.

BENJAMIN, Walter. Mythe et violence. Paris: Denoël, 1971.

CASTELLS, Manuel. The informational city. Oxford: Blackwell Castro, 1989.

CHRISTENSEN, Pia et al. Children living in sustainable built environments: new urbanisms, new citizens. London: Routledge, 2018.

CHRISTENSEN, Pia; O’BRIEN, Margaret (Ed.). Children in the city: home, neighbourhood and community. London: Routledge Falmer, 2003.

CORSARO, William A. The sociology of childhood. Thousand Oaks: Pine Forge Press, 1997.

FERREIRA, Maria Manuela. “A gente aqui o que gosta mais é de brincar com os outros meninos”: as relações sociais num jardim da infância. Porto: Afrontamento, 2004.

FORTUNA, Carlos. Cidade, cultura e globalização. Oeiras: Celta, 1997.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA (UNICEF). Crianças em um mundo urbano. New York: Unicef, 2012.

HARVEY, David. Social justice and the city. London: The University of Georgia Press, 2009.

HEFT, Harry. Affordances of children’s environments: a functional approach to environmental description. Children’s Environments Quarterly, v. 5, n. 3, p. 29-37, 1988.

JAMES, Allison; JENKS, Chris; PROUT, Alan. Theorizing childhood. Cambridge: Polity Press, 1998.

JENKS, Chris. Journeys into Space. Childhood, v. 12, n. 4, p. 419-424, 2005.

LE GALÈS, Patrick. Le retour des villes européennes: sociétés urbaines, mindialisation, gouvernement et gouvernance. Paris: Presses de Sciences PO, 2003.

LEFÈBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

LEVERETT, Stephen. Children spaces. In: FOLEY, R.; LEVERETT, S. (Ed.). Children and young people’s spaces: developing practice. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2011.

LOPES, Frederico; CARLOS NETO. A criança e a cidade: a importância da (re)conciliação com a autonomia. In: CORDOVIL, R.; BARREIROS, J. (Ed.). Desenvolvimento motor na infância. Cruz Quebrada: Faculdade de Motricidade Humana, 2014. p. 265-292.

LOPES, João Teixeira. Andante, andante: tempo para andar e descobrir o espaço público. Sociologia, v. 17, n. 18, p. 69-80, 2007.

MARCHI, Rita de C. Os sentidos (paradoxais) da infância nas ciências sociais: um estudo de sociologia da infância crítica sobre a “não-criança” no Brasil. 2007. Tese (Doutorado em Sociologia Política) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2007.

MOLANO, Mario Alejandro. Walter Benjamin: historia, experiencia y modernidade. Ideas y Valores, v. xiii, n. 154, p. 165-190, 2014.

O’BRIEN, Margaret; JONES, Deborah; SLOAN, David. Children’s independent spatial mobility in the urban public realm. Childhood, v. 7, n. 3, p. 257-277, 2000.

PAIS, José Machado. Lufa-lufa quotidiana: ensaios sobre cidade, cultura e vida urbana. Lisboa: ICS, 2010.

SARMENTO, Manuel Jacinto. A reinvenção do ofício de aluno e de criança. Atos de Pesquisa em Educação, v. 6, n. 3, p. 581- 602, 2011.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Carta da Cidadania Infantojuvenil do Conselho de Guimarães. Guimarães: ADCL, 2016. Disponivel em: . Acesso em: 1º jul. 2018.

SARMENTO, Manuel Jacinto; FERNANDES, Natália; TOMÁS, Catarina. Políticas públicas e participação infantil. Revista Educação, Sociedade e Cultura, n. 25, p. 183-206, 2007.

SARMENTO, Manuel Jacinto; MARCHI, Rita; TREVISAN, Gabriela. Beyond the modern norm of childhood: children as the margins as a challenge for the sociology of childhood. In: BARALDI, C.; COCKBURN, T. (Ed.). Theorizing childhood: citizenship, rights and participation. Milton Keynes: Palgrave- Macmillan, 2018. p. 135-157.

SARMENTO, Manuel Jacinto; SOARES, Natália Fernandes; TOMÁS, Catarina. Participação social e cidadania activa das crianças. In: RODRIGUES, David (Org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006. p. 141-159.

SASSEN, Saskia. The global city: New York, London and Tokyo. Princeton: Princeton University Press, 2001.

SASSEN, Saskia. The city: its return as a lens for social theory. In: CALHOUN, C.; ROJEK C.; Turner, B. (Ed.). The sage handbook of sociology. London: Sage, 2005. p. 457-470.

SHAW, Ben et al. Children’s independent mobility: an international comparison and recommendations for action. London: Policy Studies Institute, 2015.

SIROTA, Regine. Éléments pour une sociologie de l’enfance. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2007.

TONUCCI, Francesco. La ciudad de los niños: un modo nuevo de pensar la ciudad. Madrid: Fund. German Sanchez Ruiperez, 1991.

TREVISAN, G. “Somos as pessoas que temos de escolher, não são as outras pessoas que escolhem por nós”: infância e cenários de participação pública – uma análise sociológica dos modos de codecisão das crianças na escola e na cidade. 2014. Tese (Doutoramento em Estudos da Criança – Sociologia da Infância) – Universidade do Minho, Braga, 2014.

UNITED NATIONS CHILDREN’S FUND (UNICEF). Building friendly child cities. Florence: Unicef/Innocenti Research Centre, 2004.

WIEVIORKA, Michel. Nos enfants. Auxerre: Sciences Humaines Éditions, 2008.

ZEIHER, Helga. Shaping daily life in urban environments. In: CHRISTENSEN; O’BRIEN (Ed.). Children in the city: home, neighborhood and community. London: Routledge Falmer, 2003. p. 66-68.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.31317




Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS