Os sentidos atribuídos pelas crianças à cidade

Vania Carvalho de Araújo, Luciana Pimentel Rhodes Gonçalves Soares, Rosali Rauta Siller, Ines de Oliveira Ramos, Victória Galter Vieira, Érika Milena de Souza

Resumo


Este artigo expõe parte do resultado de um estudo exploratório realizado com 220 crianças de dez cidades do Estado do Espírito Santo matriculadas nas instituições de educação infantil. Tem por objetivo discorrer sobre os sentidos atribuídos pelas crianças à cidade, evidenciando alguns constrangimentos pelos quais elas passam em função de serem excluídas do planejamento da cidade e dos espaços sociais mais amplos. As narrativas das crianças expõem o paradoxal movimento entre a invisibilidade das crianças e a capacidade de as culturas infantis inaugurarem novos dispositivos discursivos que permitam construir outras racionalidades. Considerar as diferentes formas de simbolização das crianças acerca de seus mundos de vida é perceber que elas carregam consigoas marcas das culturas dos adultos, ao mesmo tempo em que são capazes de empreender outros sentidos sobre a realidade, o que deixa transparecer um universo de significação peculiar sobre a cidade, cujas sutilezas constituem um patrimônio social próprio das culturas infantis, ainda que em plena articulação com as culturas adultas.


Palavras-chave


Crianças e cidade. Educação infantil e cidade. Cidade e infância.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, V. C.; CARVALHO, J. S. F. As possibilidades de uma experiência compartilhada entre adultos e crianças na cidade. Revista Pro-posições, Campinas, v. 28, supl. 1, p. 111-131, set./dez. 2017.

ARAÚJO, V. C. de. Educação infantil em tempo integral: em busca de uma philia social. Educar em Revista, Curitiba, n. 63, p. 191-203, jan./maio 2017.

ARAÚJO, V. C. de. Rua e escola: lugares de possíveis compartilhamentos? Cadernos de Pesquisa em Educação, v. 14, n. 28, p. 80-101, jul./dez. 2008.

DEBORTOLI, J. A. O. Imagens contraditórias da infância: crianças e adultos na construção de uma cultura pública coletiva. In: DEBORTOLI, J. A. O.; MARTINS, M. F. A; MARTINS, S. (Org.). Infâncias na metrópole. Belo Horizonte: UFMG, 2008. p. 71-86.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). A educação no Brasil rural. Brasília, DF: Inep, 2006.

INNERARITY, D. O novo espaço público. Lisboa: Editorial Teorema, 2006.

LIMA, Mayumi Souza. A cidade e a criança. São Paulo: Nobel, 1989.

MARTINS, S. Urbanização e violência: reflexões a partir do livro e do filme Cidade de Deus. In: DEBORTOLI, J. A. O.; MARTINS, M. F. A.; MARTINS, S. Infâncias na metrópole. Belo Horizonte: UFMG, 2008. p. 175-202.

MATOS, Olgária. Contemporaneidades. São Paulo: Nacional, 2009.

PAYER, M. O. O rural no espaço público urbano. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas, SP: Pontes, 2001.

PEREIRA, P. C. Urbanidade e consciência do comum: para uma apresentação. In: Pereira , P. C. (Org.). Espaço público: variações críticas sobre a urbanidade. Porto: Afrontamento, 2013. p. 7-15.

PORTELLA, E. Homem, natureza, cidade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2012.

PROUT, A. Participação, políticas e as condições da infância em mudança. In: MULLER, F. Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. São Paulo: Cortez, 2010. p. 21-41.

QVORTRUP, J. A dialética entre a proteção e a participação. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 1, p. 11-30, jan./abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 6 set. 2016.

DO RIO, João. A alma encantadora das ruas: crônicas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

SANTOS, M. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Hucitec, 1997.

SARMENTO, M.; PINTO, Manuel. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: PINTO, M.; SARMENTO, M. As crianças: contexto e identidade. Braga: Centro de Estudos da Criança/Universidade do Minho, 1997. p. 9-30.

SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 361-378, maio/ago. 2005.

SARMENTO, M. J. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. In: SARMENTO, M.; CERISARA, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas sobre infância e educação. Porto: Edições Asa, 2004. p. 9-34.

SILVA, A. N. Jogos, brinquedos e brincadeiras: trajectos intergeracionais. Vila Verde/Portugal: Atahca, 2011.

SOUZA, S. J.; LOPES, A. E. Fotografar e narrar: a produção do conhecimento no contexto da escola. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 61-68, jul. 2002. Disponível em: . Acesso em: 1º dez.2017.

SOUZA, p. de. Espaços interdidatos e efeitos-sujeito na cidade. In: ORLANDI, E. p. (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas, SP: Pontes, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.30542




Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS