CERTAS CANÇÕES: Teologia e literatura na música brasileira

  • Antônio Manzatto PUC-SP
Palavras-chave: Teologia e literatura. Antropologia teológica. Canções. Música Popular Brasileira. Cultura brasileira.

Resumo

É certo que música não é literatura e as canções não são simplesmente poesias musicadas. No entanto seria possível, como para as relações entre teologia e literatura, estabelecer relações entre teologia e canções? O relato a seguir exemplifica tal possiblidade quando analisa, antropológica e teologicamente, uma canção brasileira. O objetivo é demonstrar que há uma possiblidade de aproximação entre a reflexão teológica e a interpretação, ao menos, da letra de canções que falam ao coração das pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Manzatto, PUC-SP
Doutor em Teologia pela Universidade Católica de Lovaina (Bélgica, 1993). Um dos iniciadores no Brasil dos estudos que relacionam teologia e literatura e atualmente professor de teologia sistemática na PUC-SP.

Referências

AMARAL, Daniel do. Música e teologia. São Paulo: Fonte Editorial, 2013.

BOAS, Alex Villas. Teologia e Poesia. Sorocaba: Crearte, 2011.

CALVANI, Carlos Eduardo Brandão. Teologia e MPB. São Paulo: Loyola, 1998.

CNBB. A música litúrgica no Brasil. São Paulo: Paulus, 2002. 4. ed. (Estudos da CNBB, 79).

HERRERA, Paula Miranda. La poesía de Violeta Parra. Santiago: Editorial Cuarto Propio, 2013.

KUSCHEL. Karl-Josef. Os escritores e as escrituras. São Paulo: Loyola, 1999.

MAGALHÃES, Antonio. Deus no espelho das palavras. São Paulo: Paulinas, 2000.

MANZATTO, Antonio. Pequeno panorama de teologia e literatura. In: Vilhena, Maria Ângela; Mariani , Ceci Baptista. Teologia e Arte. São Paulo: Paulinas. 2010. p. 87-98.

_____. Teologia e Literatura. São Paulo: Loyola, 1994.

PALUMBO, Cecília Avenatti de (coord.). La libertad del Espíritu. Buenos Aires: Ágape Libros, 2014.

RICOEUR, Paul. Du texte à l’action. Essais d’herméneutique II. Paris: Seuil, 1986.

TILLICH, Paul. Teologia Sistemática. São Leopoldo: Sinodal, 2005.

Publicado
2015-11-04
Seção
Interpelações à Igreja