Neuroimagem do cérebro bilíngüe: evidências e metodologia de pesquisa

  • Ana Inés Ansaldo
  • Karine Marcotte
  • Rochele Paz Fonseca
  • Lilian Cristine Scherer

Resumo

Atualmente mais da metade da população mundial é bilíngüe, sendo o estudo do processamento lingüístico e de seus correlatos cerebrais em indivíduos bilíngües um tópico relevante e inovador na recente área da neuropsicolingüística. Este artigo tem dois objetivos: 1) discutir alguns aspectos metodológicos relacionados ao desenvolvimento de investigações com técnicas de neuroimagem sobre o processamento da linguagem no cérebro bilíngüe e 2) revisar evidências de neuroimagem sobre o processamento lingüístico considerando fatores individuais que têm caracterizado a literatura acerca do bilingüismo, por seu importante papel na representação cerebral bilíngüe da linguagem. Muitos estudos têm mostrado dados sobre a relação entre idade de aquisição, nível de proficiência, idade cronológica, uso de linguagem e forma de exposição às línguas na organização da linguagem no cérebro bilíngüe. A grande variabilidade de métodos de investigação e um controle metodológico nem sempre criterioso tem tornado difícil a generalização de conclusões sobre uma circuitaria cerebral da linguagem em bilíngües. A presente discussão deve contribuir para o debate dos fundamentos teóricos e metodológicos da organização neurofuncional da linguagem no cérebro bilíngüe. Palavras-chave: Bilingüismo; neuroimagem; linguagem; neuropsicologia; neuropsicolingüística.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Ansaldo, A. I., Marcotte, K., Fonseca, R. P., & Scherer, L. C. (2008). Neuroimagem do cérebro bilíngüe: evidências e metodologia de pesquisa. Psico, 39(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/4018
Seção
Artigos