Noopsicossomática em Pessoas Vivendo com HIV/AIDS: Evidências de um Modelo Explicativo

  • Alisson de Meneses Pontes Faculdades Integradas de Patos/PB
  • Thiago Antônio Avellar de Aquino Universidade Federal da Paraíba. Programa de Pós-graduação em Ciência das Religiões.
  • Valdiney Veloso Gouveia Universidade Federal da Paraíba. Programa de Psicologia Social.
  • Patrícia Nunes da Fonsêca Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Psicopedagogia.
  • Berta Lúcia Pinheiro Kluppel Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Ciências da Saúde e Ciências Médicas.
Palavras-chave: HIV/AIDS, Espiritualidade, Afetos, Sentido da vida, Noopsicossomática.

Resumo

O objetivo deste estudo foi testar um modelo teórico proposto por Viktor Frankl, que pode explicar a dinâmica da noopsicossomática em pessoas com HIV/AIDS. Especificamente, buscou-se entender como a dimensão noológica (representada pela atitude religiosa e a realização de sentido) influencia a dimensão psíquica (afetos positivos e a percepção do passado) e, consequentemente, repercute na dimensão somática (números de células CD4+/CD8+). Participaram 115 pacientes soropositivos para o HIV/AIDS, com idade média de 39 anos (61,4% do sexo masculino). Os resultados apontaram para a adequação deste modelo, com os índices de ajuste aceitáveis. Conclui-se que foram reunidas evidências acerca do modelo teórico da noopsicossomática em pacientes com HIV/AIDS, corroborando a relevância da dimensão noológica no processo de adoecimento e saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alisson de Meneses Pontes, Faculdades Integradas de Patos/PB
Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ (2010), mestrado em Ciências das Religiões pela Universidade Federal da Paraíba (2012). Atualmente atua como docente do curso de Psicologia das Faculdades Integradas de Patos (FIP). Tem experiência na área de Psicologia atuando principalmente nos seguintes temas: Sentido da Vida, com ênfase na Logoterapia e Análise Existencial de Viktor Frankl; Pessoas vivendo com HIV/AIDS; Bem-estar Subjetivo e Existencial; Psicologia da Religião; Terapia Sistêmica Familiar; Equoterapia; Psicoterapia de Grupo e Dependência Química. É Pesquisador integrante do Grupo de pesquisa Nous: Espiritualidade & Sentido - UFPB.
Thiago Antônio Avellar de Aquino, Universidade Federal da Paraíba. Programa de Pós-graduação em Ciência das Religiões.
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba (1995), mestrado em Psicologia (Psicologia Social), pela Universidade Federal da Paraíba (1998), e doutorado em Psicologia (Psicologia Social), pela Universidade Federal da Paraíba (2009). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba do Departamento de Ciências das religiões; professor credenciado do Programa de Pós-graduação em Ciências das Religiões; é também líder do grupo Nous: Espiritualidade & Sentido (CNPq). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase na Análise Existencial de Viktor Frankl, atuando principalmente nos seguintes temas: sentido da vida, identidade religiosa, valores humanos, bem-estar existencial, psicologia da religião, processos de culpabilidade e concepções de morte.
Valdiney Veloso Gouveia, Universidade Federal da Paraíba. Programa de Psicologia Social.
Possui Licenciatura (1989) e Formação (2005) em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba, Especialização em Psicometria (1993) e Mestrado em Psicologia Social e do Trabalho (1991) pela Universidade de Brasília e Doutorado em Psicologia Social (1998) pela Universidade Complutense de Madri. Atualmente é Professor Titular na Universidade Federal da Paraíba. Vem atuando como consultor das seguintes instituições: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e Fundação Ford. Tem participado do Conselho Editorial de revistas nacionais e internacionais (Avaliação Psicológica, European Journal of Social Psychology, Psicologia: Teoria e Pesquisa, Psicologia: Reflexão e Crítica e Revista Thomson Psicología), além de atuar como parecerista de outras, como International Journal of Psychology, Interamerican Journal of Psychology, Journal of Applied Social Psychology, Journal of Cross-Cultural Psychology, Estudos de Psicologia, Psicologia em Estudo e Cadernos de Saúde Pública. Seus interesses de pesquisa se centram nas áreas de Psicologia Social (estruturas sociais; indivíduos) e Avaliação Psicológica (construção e adaptação de escalas e testes). Alguns dos tópicos aos quais têm se dedicado são: valores humanos, bem-estar subjetivo, atitudes ambientais, comportamentos pró e antissociais e individualismo-coletivismo.
Patrícia Nunes da Fonsêca, Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Psicopedagogia.
Possui Formação e Licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba, Especialização em Educação Básica, Mestrado e Doutorado em Psicologia Social pela Universidade Federal da Paraíba. Docente da Universidade Federal da Paraíba do Departamento de Psicopedagogia e Pós-Gradução em Psicologia Social, Coordenadora do Núcleo de Estudos em Desenvolvimento Humano, Educacional e Social (NEDHES), Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Bases Normativas do Comportamento Social (BNCS). Coordenadora de Extensão do Curso de Psicopedagogia. Tem interesse por pesquisas nas áreas social, escolar e do desenvolvimento humano.
Berta Lúcia Pinheiro Kluppel, Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Ciências da Saúde e Ciências Médicas.
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba (1974), mestrado (1991) e doutorado (1999) em Patologia Experimental pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professora associada da Universidade Federal da Paraíba onde leciona Fundamentos da Homeopatia e Fitoterapia aos cursos de graduação dos Centros de Ciências da Saúde e Ciências Médicas. Leciona disciplinas e orienta dissertações na linha de pesquisa em Espiritualidade e Saúde, no Programa de Pós Graduação em Ciencias das Religiões do CE/UFPB. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em imunopatologia e migração celular. Trabalha atualmente em temas relacionados com qualidade de vida, psiconeuroimunologia e terapias integrativas e complementares. Coordena o grupo Hygia de pesquisa em espiritualidade e saúde, na UFPB.

Referências

Achterberg, J. (1996). A imaginação na cura: xamanismo e medicina moderna (Trad. Carlos Eugênio Marconsde de Moura). São Paulo: Summus.

Alencar, T. M. D., Nemes, M. I. B., & Velloso, M. A. (2008). Transformações da "aids aguda" para a "aids crônica": percepção corporal e intervenções cirúrgicas entre pessoas vivendo com HIV e AIDS. Ciência & Saúde Coletiva, 13, 1841-1849. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232008000600019

Aquino, T. A. A. (2009). Atitudes e intenções de cometer suicídio: Seus correlatos existenciais e normativos. Tese de Doutorado. Departamento de Psicologia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB.

Aquino, T. A. A. (2013). Logoterapia e análise existencial: Uma introdução ao pensamento de Viktor Frankl. São Paulo: Paulus.

Aquino, T. A. A., Correia, A. P. M., Marques, A. L. C., Souza, C. G., Freitas, H. C. A., Araújo, I. F., Dias, P. S. A., & Fernandes, W. (2009). Atitude religiosa e sentido de vida: Um estudo correlacional. Psicologia: Ciência e Profissão, 29, 228-243.

Aquino, T. A. A., Gouveia, V. V., Pontes, A. M., Pereira, G. A., & Fernandes, A. S. (no prelo). Questionário de Sentido de Vida: Evidências de sua validade fatorial e consistência interna. Psicologia: Ciência e Profissão.

Aquino, T. A. A., Gouveia, V. V., Silva, S. S., & Aguiar, A. A. (2013). Escala de Atitudes Religiosas, versão expandida (EAR-20): Evidências de validade. Avaliação Psicológica, 12,109-119.

Amâncio, D. C. O., Nunes, M. T. C. C., & Cardoso, M. A. G. (2010). Resposta imune humoral frente à situação de estresse. XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação.

Amatuzzi, M. M. (2000). Desenvolvimento religioso: Uma hipótese psicológica. Estudos de Psicologia (PUC-Campinas), 17, 15-30. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2000000100002

Balestieri, F. M. P. (2005). Imunologia. São Paulo: Malone.

Bower, G. H. (1981). Mood and memory. American Psychologist, 36, 129-148. http://dx.doi.org/10.1037/0003-066X.36.2.129

Brasil. Ministério da Saúde. (2012). Secretária de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico - AIDS e DST.

Byrne, B. M. (2010). Structural equation modeling with Amos: Basic concepts, applications, and programming. 2ª ed. New York: Taylor and Francis.

Cotton, S., Puchalski, C. M., Sherman, S. N., Mrus, J. M., Peterman, A. H., Feinberg, J., Pargament, K. I., Justice, A. C., Leonard, A. C., & Tsevat, J. (2006). Spirituality and religion in patients with HIV/AIDS. Journal of General Internal Medicine, 21, 5-13. http://dx.doi.org/10.1111/j.1525-1497.2006.00642.x

Diener, E., & Emmons, R. (1984). A The independence of positive and negative affect. Journal of Personality and Social Psychology, 47, 1105-1117. http://dx.doi.org/10.1037/0022-3514.47.5.1105

Diniz, A. C., & Aquino, T. A. A. (2009). A relação da religiosidade com as visões de morte. Religare, 1, 90-105.

Espírito Santo, C. C. (2011). Expressões da espiritualidade em pessoas que vivem com HIV/AIDS a partir das representações sociais acerca da síndrome: Implicações para o cuidado de enfermagem. Dissertação de Mestrado. Departamento de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, RJ.

Ferreira, D. C., Favoreto, C. A. O., & Guimarães, M. B. L. (2012). A influência da religiosidade no conviver com o HIV. Interface, 16, 383-394. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832012005000019

Frankl, V. E. (1992). Teoría y terapia de las neurosis: Iniciación a la logoterapia y análisis existencial. Madrid: Herder.

Frankl, V. E. (2008). Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração (Trad. Walter O. Schlupp & Carlos C. Aveline). 25ª ed. São Leopoldo, RS: Sinodal / Petrópolis, RJ: Vozes.

Frankl, V. E. (2009). A presença ignorada de Deus (Trad. W. O. Schlupp & H. H. Reinhold). 11ª ed. São Leopoldo, RS: Sinodal / Petrópolis, RJ: Vozes.

Frankl, V. E. (2010). Psicoterapia e sentido da vida: Fundamentos da logoterapia e análise existencial (Trad. Alípio Maia de Castro). 5ª ed. São Paulo: Quadrante.

Frankl, V. E. (2011). A vontade de sentido: Fundamentos e aplicações da logoterapia (Trad.Ivo Studart Pereira). São Paulo: Paulus.

Frankl, V. E. (2012). Logoterapia e análise existencial: textos de seis décadas. 1. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Fryback, P. B., & Reinert, B. R. (1999). Spirituality and people with potentially fatal diagnoses. Nursing Forum, 34, 13-22. http://dx.doi.org/10.1111/j.1744-6198.1999.tb00231.x

Geocze, L., Mucci, S., Marco, M. A., Nogueira-Martins, L. A., & Citero, V. A. (2010). Qualidade de vida e adesão ao tratamento anti-retroviral de pacientes portadores de HIV. Revista de Saúde Pública, 44,743-749. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010000400019

Hamilton, J. M., Kives, K. D., Micevski, V., & Grace, S. L. (2003). Time perspective and health-promoting behaviour in a cardiac rehabilitation population. Behavioural Medicine, 28, 132-139. http://dx.doi.org/10.1080/08964280309596051

Kasser, T., & Ahuvia, A. C. (2002). Materialistic values and well-being in business students. European Journal of Social Psychology, 32, 137-146. http://dx.doi.org/10.1002/ejsp.85

Kasser, T., & Ryan, R. M. (1993). A dark side of the American dream: Correlates of financial success as a central life aspiration. Journal of Personality and Social Psychology, 65, 410-422. http://dx.doi.org/10.1037/0022-3514.65.2.410

Knapp, P. (Org.). (2004). Terapia cognitivo-comportamental na prática psiquiátrica. Porto Alegre, RS: Artes Médicas.

Koenig, H. G., McCullough, M. E., & Larson, D. B. (2001). Handbook of religion and health: A century of research reviewed. New York: Oxford University Press. http://dx.doi.org/10.1093/acprof:oso/9780195118667.001.0001

Leserman, J. (2008). Role of depression, stress, and trauma in HIV disease progression. Psychosomatic Medicine, 70, 539-545. http://dx.doi.org/10.1097/PSY.0b013e3181777a5f

Linares, V. R., Burón, R. R., Rodríguez, J. A. P., López, L. J. G., & Guadalupe, L. A. O. (2008). Psiconeuroinmunología: Conexiones entre sistema nervioso y sistema inmune. Suma Psicológica, 15,115-142.

Litwinczuk, K. M., & Groh, C. J. (2007). The relationship between spirituality, purpose in life, and well-being in HIV-positive persons. Journal of the Association of Nurses in AIDS care, 18, 13-22. http://dx.doi.org/10.1016/j.jana.2007.03.004

Lotufo Neto, F. (2003). Religião, psicoterapia e saúde mental. In C. N. Abreu (Org.), Psicoterapias cognitiva e construtivista: Novas fronteiras da prática clínica (pp. 289-315). Porto Alegre, RS: Artmed.

Lukas, E. (1989). Logoterapia: A força desafiadora do espírito (Trad. J. de Sá Porto). São Paulo: Edições Loyola / Santos, SP: Leopodianum Editora.

Lukas, E. (1990). Mentalização e saúde: A arte de viver e logoterapia (Trad. Helga Hinkenickel Reinhold). Petrópolis, RJ: Vozes.

Marques, M. C. C. (2003). A história de uma epidemia moderna – A emergência política da AIDS/HIV no Brasil. São Carlos, SP: Rima.

Mello, V. A., Segurado, A. A. C., & Malbegier, A. (2010). Depression in women living with HIV: Clinical and psychosocial correlates. Archives of Women's Mental Health, 13,193-199. http://dx.doi.org/10.1007/s00737-009-0094-1

Moreira-Almeida, A., Lotufo Neto, F., & Koenig, H. G. (2006). Religiousness and mental health: A review. Revista Brasileira de Psiquiatria, 28, 242-250. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462006005000006

Nauert, R. (2011). Attitude about past influences health. PsychCentral. Acessado em 20 de março de 2013, disponível em: http://psychcentral.com/news/2011/09/07/attitude-about-past-influences-health/29216.html.

Oyanadel, C., & Buela-Casal, G. (2011). La percepción del tiempo: Influencias en la salud física y mental. Universitas Psychologica, 10, 149-161.

Panzini, R. G., & Bandeira, D. R. (2007). Coping (enfrentamento) religioso/espiritual. Revista de Psiquiatria Clínica, 34, 126-135. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832007000700016

Panzini, R. G., & Bandeira, D. R. (2005). Escala de coping religioso-espiritual (escala CRE1): Elaboração e validação de construto. Psicologia em Estudo (Maringá), 10, 507-516.

Pergher, G. K., Grassi-Oliveira, R., Ávila, L. M., & Stein, L. M. (2006). Memory, mood and emotion. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 28, 61-68. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082006000100008

Remor, E. A. (2002). Aspectos psicossociais na era dos novos tratamentos da AIDS. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 18, 283-287. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722002000300007

Resende, M. C., Silva, R. M., Marques, T. P., & Abreu, M. V. (2008). Coping e satisfação com a vida em adultos com AIDS. Psico-PUCRS, 39, 232-239.

Saldanha, A. A. W. (2003). Vulnerabilidade e construções de enfrentamento da soropositividade ao HIV por mulheres infectadas em relacionamento estável. Tese de doutorado não-publicada. Pós-Graduação em Psicologia, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP.

Saroglou, V. (2003). Spiritualité moderne: Un regard de psychologie de la religion. Revue Théologique de Louvain, 34, 473-504. http://dx.doi.org/10.2143/RTL.34.4.2017462

Seidl, E. M. F., Zannon, C. M. L. C., & Tróccoli, B. T. (2005). Pessoas vivendo com HIV/AIDS: Enfrentamento, suporte social e qualidade de vida. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18, 188-195. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722005000200006

Serrano-Villar, S., Sainz, T., Lee, S.A., Hunt, P.W., Sinclair, E., Shacklett, B, L., Ferre, A. L., Hayes, T. L., Somsouk, M., Hsue, P. Y., Van, N. M., Meinert, C. L., Lederman, M. M., Hatano, H., Jain, V., Huang, Y., Hecht, F. M., Martin, J. N., McCune, J. M., Moreno, S., & Deeks, S. G. (2014). HIV-infected individuals with low CD4/CD8 ratio despite effective antiretroviral therapy exhibit altered T cell subsets, heightened CD8+ T cell activation, and increased risk of non-AIDS morbidity and mortality. PLoS Pathog, 10(5): e1004078. http://dx.doi.org/10.1371/journal.ppat.1004078

Silva, A. L. C. N., Waidman, M. A. P., & Marcon, S. S. (2009). Adesão e não-adesão à terapia antirretroviral: As duas faces de uma mesma vivência. Revista Brasileira de Enfermagem, 62, 213-220. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672009000200007

Silva Filho, N., Chaves Júnior, J. C. S., & Campos, D. (2012). Relações entre o funcionamento dos sistemas imunológico e psicológico em pacientes com HIV/SIDA. In: Psicologia da Saúde: desafios à promoção da saúde em doenças crônicas. (Org. Ribeiro J. L. P., Leal I., Pereira A. e Monteiro S.). 1 ed. pp. 113-119. Lisboa: Placebo.

Steger, F. M., Frazier, P., Oishi, S., & Kaler, M. (2006). The Meaning in Life Questionnaire: Assessing the presence of and search for meaning in life. Journal of Counseling Psychology, 53, 80-93. http://dx.doi.org/10.1037/0022-0167.53.1.80

Teixeira, F. (2005). O potencial libertador da espiritualidade e da experiência religiosa. In M. M. Amatuzzi (Org.), Psicologia e espiritualidade (pp. 13-30) São Paulo: Paulus.

Terrin, A. N. (1998). A doença? Síndrome de desarmonia do espírito tratado sobre religiões antigas e novas. In F. Dal Pino, R. Fabris, E. Fizzotti, U. Galimberti, B. Häring, A. Langella, J. Ries, B. Secondin, G. Sovernigo, A. N. Terrin, & S. Ubbiali, S. (Orgs.), Liturgia e terapia: A sacramentalidade a serviço do homem na sua totalidade (pp. 181-234). São Paulo: Paulinas.

Unaids, Joint United Nations Programme on HIV/AIDS. (2012). Global report: UNAIDS report on the global AIDS epidemic 2012. Geneva. World Healt Organization.

Veronesi, Ricardo; Focaccia, Roberto. (2010). Tratado de Infectologia. 4ª Ed. Vol 2. São Paulo: Atheneu.

Woods, T. E., Antoni, M. H., Ironson, G. H., & Kling, D. W. (1999). Religiosity is associated with affective and immune status in symptomatic HIV-infected gay men. Journal of Psychosomatic Research, 46, 165-176. http://dx.doi.org/10.1016/S0022-3999(98)00078-6

Publicado
2015-03-17
Como Citar
Pontes, A. de M., Aquino, T. A. A. de, Gouveia, V. V., Fonsêca, P. N. da, & Kluppel, B. L. P. (2015). Noopsicossomática em Pessoas Vivendo com HIV/AIDS: Evidências de um Modelo Explicativo. Psico, 46(1), 129-138. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2015.1.17332
Seção
Artigos