Espaço público, visibilidade mediática e cibercultura: obliteração estrutural da esfera pública no cyberspace

  • Eugênio Trivinho Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Cibercultura, cyberspace, esfera pública

Resumo

O estudo aborda a repercussão sociocultural do fenômeno da visibilidade multimediática na organização simbólica do espaço público a partir dos anos 70 do século passado, estirão histórico abrangido pela categoria da cibercultura. A argumentação é constituída em dois movimentos. O primeiro define e recontextualiza as três configurações mediáticas majoritárias do simbólico nessa época, reconhecendo-lhes o respectivo estado da arte: a cena pública de promoção e autopromoção, o espaço público de partilha e de resposta e a esfera pública de discussão, macroconfigurações que, embora imbricadas na realidade, não podem ser confundidas. Esse procedimento analítico e reflexivo condiciona o movimento sequencial da argumentação, em cujo cerne comparece a tese fundamental do texto: a obliteração estrutural e acentuada da esfera pública de discussão paradoxalmente no cyberspace, a rede de manifestação livre de idéias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugênio Trivinho, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Referências

ADORNO, Theodor Wisenground; HORKHEIMER, Max. Dialéctica del iluminismo. Buenos Aires: SUR, 1970.

BATAILLE, Georges. A parte maldita. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

BAUDRILLARD, Jean. Para uma crítica da economia política do signo. São Paulo: Martins Fontes, s.d.

______. L’échange symbolique et la mort. Paris: Gallimard, 1976.

______. Simulacres et simulations. Paris: Galilée, 1981.

CAILLÉ, Alain. Critique de la raison utilitaire. Paris: La Découverte, 1989.

______. Antropologia do dom: o terceiro paradigma. Petrópolis, Vozes, 2002.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

ELIOT, Thomas Stearsn. Poesia. Tradução de Ivan Junqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

GODBOUT, Jacques T.; CAILLÉ, Alain. L´esprit du don. Paris: La Découverte, 1992.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

______. Théorie de l’agir communicationnel. Paris: Fayard, v.2, 1987.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.

______. A transfiguração do político: a tribalização do mundo.

Porto Alegre: Sulina, 1997.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva: forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e antropologia, v. II, p. 39-184. São Paulo: EPU; EDUSP, 1974.

NICOLAS, Guy. Don rituel et échange marchand dans une société sahélienne. Paris: Institut d’ethnologie, 1986.

SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis: Vozes, 2006.

Trivinho, Eugênio. Redes: obliterações no fim de século. São Paulo: Annablume; FAPESP, 1998.

______. O mal-estar da teoria: a condição da crítica na sociedade tecnológica atual. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

______. A dromocracia cibercultural: lógica da vida humana na civilização mediática avançada. São Paulo: Paulus, 2007.

______. Visibilidade mediática e violência transpolítica na cibercultura: condição atual da repercussão social-histórica do fenômeno glocal na civilização mediática avançada. In: ANTOUN, Henrique. Web 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad, 2008.

VIRILIO, Paul. O espaço crítico. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993a.

______. A inércia polar. Lisboa: Dom Quixote, 1993b.

Como Citar
Trivinho, E. (2011). Espaço público, visibilidade mediática e cibercultura: obliteração estrutural da esfera pública no cyberspace. Revista FAMECOS, 17(3), 266-277. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2010.3.8194
Seção
Cibercultura