Cuide de você: mediação e estética do jogo em Sophie Calle

  • Fernando do Nascimento Gonçalves Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Mediação, arte, estética relacional

Resumo

Este texto tem como foco a exposição Cuide de você, da artista francesa Sophie Calle, que tem como base a história de um rompimento amoroso via e-mail e na reação de 107 mulheres que a artista convidou para responder em seu lugar. Calle ficou conhecida por expor suas “experiências pessoais” para produzir um trabalho que discute intimidade e identidade por meio de fotografia, filme, instalação e performance. A partir de uma descrição do tipo etnográfica da exposição, percebe-se que seu objeto não consiste nem na história do rompimento nem nas respostas ao e-mail, mas no circuito por onde circulam afetos, discursos e práticas sociais. O texto propõe-se então a analisar os processos relacionais que constituem seus jogos com as formas narrativas. Com base nos conceitos de mediação e de tradução desenvolvidos por Bruno Latour, nos interessará discutir exatamente esse aspecto comunicativo da obra: os modos como esta mobiliza e conecta em uma rede sígnica distintas instâncias de enunciação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando do Nascimento Gonçalves, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Referências

ARDENNE, Paul. Pratiques contemporaines: l’art Contemporain comme expérience. Paris: Dis Voir, 2001.

BOURRIAUD, Nicholas. Esthétique relationnelle. Paris: Les Presses du Réel, 1998.

CALLON, Michel. Quatre modèles pour décrire la dynamique de la science. In: AKRICH, Madeleine (Org). Sociologie de la Traduction: textes fondateurs. Paris: Mines Paris, 2006.

DANTO, Arthur. Después del fin del arte. Buenos Aires: Paidós, 2003.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é Filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

ERNAUX, Annie. Vers un Je transpersonnel, autofictions et Cie. In : Cahiers RITM, n. 6, p. 218–221, Paris, Université Paris X- Nanterre, 1994.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FREIRE, Leticia de Luna. Seguindo Bruno Latour: notas para uma antropologia simétrica. Disponível em: http://www.facha.edu.br/publicacoes/comum/comum26/artigo2.pdf. Acesso em 12 ago. 2009.

GONÇALVES, Fernando. Tecnologia e cultura: usos artísticos da tecnologia como prática de comunicação e laboratório de experimentação social. In: Revista Famecos, Porto Alegre, n. 38, v. 1, p. 100-110, 2009.

______. Comunicação, Arte e Cultura Contemporânea. In: Revista Contemporânea, Rio de Janeiro, n. 8, v. 16, 2007. Disponível em: www.contemporanea.uerj.br/anteriores/index08.html

GUATTARI, Félix. Caosmose. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

LADAGGA, Reinaldo. La estética de la emergencia. Buenos Aires: Hidalgo, 2006.

LATOUR, Bruno. Le prince : machines et machinations. In AKRICH. Madeleine (Org). Sociologie de la Traduction: textes fondateurs. Paris: Mines Paris, 2006.

______. Ciência em Ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade a fora. São Paulo: Edusc, 2000.

______. Jamais fomos modernos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

LINS, Consuelo. O documentário expandido de Maurício Dias e Walter Riedweg. Vídeo Brasil, Festival Internacional de Arte Eletrônica. Disponível em: http://www.sescsp.org.br/sesc/videobrasil/site/dossier028/apresenta.asp Acesso em 28 set. 09.

SAUVAGEOT, Anne. Sophie Calle: l’art cameleon. Paris: PUF, 2007.

SERRES, Michel. A comunicação. Lisboa: Rés, 1984.

Como Citar
Gonçalves, F. do N. (2011). Cuide de você: mediação e estética do jogo em Sophie Calle. Revista FAMECOS, 17(3), 207-215. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2010.3.8188
Seção
Cultura e Mediação