Michel Foucault hoje, ou ainda: do dispositivo de vigilância ao dispositivo de exposição da intimidade

  • Ieda Tucherman Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Michel Foucault, Novas mídias, Subjetividade

Resumo

O texto pretende propor uma reflexão sobre a leitura de Michel Foucault das questões da comunicação no decorrer das diversas fases da sua obra. Partindo da relação com a escrita de si, consideramos se certas práticas ligadas aos novos meios de comunicação em rede, tais como blogs, ou ainda os novos produtos da TV e do cinema, tais como reality-shows e documentários “da intimidade” com os processos de estetização da existência, representariam uma nova perspectiva que seria a inversão dos dispositivos de vigilância e que chamamos de dispositivo de exposição da intimidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ieda Tucherman, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Possui graduação em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1973), mestrado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979) e doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991) e Pós doutorado pelo Ircam- Centre Georges Pompidou ( 2003). Atualmente é professor Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

BLANCHOT, Maurice. Michel Foucault tel que je l’imagine. Paris: Ed. Fata Morgana, 1986.

BRAGANÇA DE MIRANDA, José. Analítica da Actualidade. Lisboa: Vega, 994.

DELEUZE, Gilles. Foucault. Paris: Ed Minuit, 1986.

_____. Qu’est ce qu’un dispositif, in Michel Foucault Philosophe, rencontre internationale. Paris: Ed. Seuil, 1989.

_____. Michel Foucault. In: Conversações. São Paulo: Ed. 34, 1992.

ERIBON, Didier. Foucault, Gallimard. Paris: 1994.

FOUCAULT, Michel. Les mots et les choses. Paris: Gallimard, 1966.

_____. As palavras e as coisas. Ed. 4. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1987.

_____. L’ordre du discours. Paris: Gallimard, 1970.

_____. Surveiller et Punir. Paris: Gallimard, 1972.

_____. O olho do poder, in Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

_____. A vontade do saber, História da Sexualidade I. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

_____. O uso dos prazeres, História da Sexualidade II. Rio de Janeiro: Graal, 1984

_____. Foucault, resume des cours-1970-1982. Paris: Julliard, 1989.

_____. A escrita de si, in O que é um autor? Lisboa: Ed.Vega, 1992.

_____. Le philosophe masque. In: Dits et Écrits, v. IV, p. 104-110. Paris: Gallimard, 1994.

_____. Qu’est-ce que les lumières?. In: Dits et Écrits, v. IV, p. 679-688. Paris: Gallimard, 1994.

_____. Une esthétique de l’existence. In: Dits et Écrits, v. IV, p. 730-735. Paris: Gallimard, 1994.

NIETZSCHE, Friedrich. A gaia ciência. Lisboa: Guimarães e Cia Editora, 1977.

_____. Genealogia da Moral. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

TARDE, Gabriel. A opinião e as massas. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

Publicado
2008-04-13
Como Citar
Tucherman, I. (2008). Michel Foucault hoje, ou ainda: do dispositivo de vigilância ao dispositivo de exposição da intimidade. Revista FAMECOS, 12(27), 40-48. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2005.27.3321
Seção
Tecnologias na Contemporaneidade