A construção social da voz

  • Clóvis de Barros Filho Universidade de São Paulo
  • Felipe Lopes Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo
  • Fernanda Belizário Faculdade Cásper Líbero
Palavras-chave: Voz, comunicação, subjetividade

Resumo

A voz é imprescindível para os enunciados verbais. Os discursos, não escritos mas falados, requerem orquestração fonética. Já as atividades de consciência não manifestas constituem comunicação intrapessoal e dispensam a oralidade. A voz interior não nos interessa. A voz que pode ser percebida pelo outro possibilita a comunicação da consciência com o mundo que lhe é exterior. Faculta, a qualquer interlocutor, a exposição auditiva ao discurso. Faz deste último um fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clóvis de Barros Filho, Universidade de São Paulo
Bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (1986), Bacharel em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1985), Mestre em Science Politique pela Universite de Paris II, Doutor em Direito pela Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (1990) e Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2002). Livre-Docência pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2007). Consultor e Conferencista do Espaço Ética. 
Felipe Lopes, Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo
Bolsista da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo.
Fernanda Belizário, Faculdade Cásper Líbero
Graduada em Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (2003), graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2010). Mestra com bolsa da FAPESP em Comunicação e Práticas de Consumo pela ESPM-SP. Professora de Comunicação Pública na Faculdade Cásper Líbero. É Gerente de Educação no Instituto Estre de Responsabilidade Socioambiental.
Publicado
2008-04-12
Como Citar
de Barros Filho, C., Lopes, F., & Belizário, F. (2008). A construção social da voz. Revista FAMECOS, 11(23), 97-108. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2004.23.3253
Seção
Mídia